quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

PORTUGAL O' MEETING 2012: FALTAM 30 DIAS!




O PORTUGAL O' MEETING

De 18 a 21 de Fevereiro, todos os caminhos vão dar ao Portugal O' Meeting 2011. Ao longo de quatro dias, Viseu catalisará as atenções da comunidade da Orientação mundial. Em Viseu, além de se situar o Centro de Evento, decorrerão também as etapas dos dois primeiros dias. A última metade do Portugal O' Meeting 2012 terá lugar em Sátão, com todas as etapas distribuídas num raio de 30 minutos de carro. Terrenos rápidos, de baixa montanha, mas de elevado teor técnico esperam por si.


A REGIÃO

Viseu é uma cidade portuguesa, capital do Distrito de Viseu, na região Centro e sub-região de Dão-Lafões, com 47.250 habitantes, sendo por isso a terceira maior e mais populosa cidade no Centro de Portugal, a seguir a Coimbra e Aveiro. É sede de um município com 507,10 km² de área, com 34 freguesias. O município é limitado a norte pelo município de Castro Daire, a nordeste por Vila Nova de Paiva, a leste por Sátão e Penalva do Castelo, a sueste por Mangualde e Nelas, a sul por Carregal do Sal, a sudoeste por Tondela, a oeste por Vouzela e a noroeste por São Pedro do Sul. Para além de sede de distrito e de concelho, Viseu é igualmente sede de Diocese e de Comarca. Alberga inúmeros serviços estatais. Segundo um estudo da DECO de 2007 sobre qualidade de vida, Viseu é a 17ª melhor cidade europeia, entre as 76 do estudo, sendo ainda a primeira das 18 cidades capitais de distrito portuguesas com melhor qualidade de vida.


A FIGURA

Pouco se conhece sobre a vida de Viriato. Não se sabe nada da sua data de nascimento nem o local exacto onde nasceu e a única referência à localização da sua tribo nativa foi feita pelo historiador grego Diodoro da Sicília que afirma que ele era das tribos Lusitanas que habitavam do lado do oceano. Descrito como sendo um pastor e caçador da Lusitânia, Viriato foi eleito chefe dos lusitanos. Depois de defender vitoriosamente as suas montanhas, Viriato lançou-se decididamente numa guerra ofensiva contra a ocupação romana. Em 140 a.C. inflige uma derrota decisiva a Fábio Máximo Servilliano, novo cônsul, quando morreram em combate cerca de 3000 romanos. Servilliano consegue manter a vida, oferecendo promessas e garantias da autonomia dos lusitanos e Viriato decide não o matar. Ao chegar a Roma a notícia desse tratado, este foi considerado humilhante para a imponência romana e o Senado volta atrás, declarando guerra contra os lusitanos. Assim, Roma envia novo general, Servílio Cipião, que renova os combates com Viriato, mas este mantém superioridade militar e força-o a pedir uma nova paz. Cipião recorre então ao suborno dos companheiros de Viriato, que assassinaram o grande chefe enquanto dormia. Um desfecho trágico para Viriato e para os lusitanos, e vergonhoso para Roma, superpotência da época e que se intitulava arauto da civilização.


A TÍTULO DE CURIOSIDADE

Tal como acontece em todas as cidades, também a história de Viseu é feita de lendas, pequenas histórias que vêm sendo contadas, passando de geração em geração, tentando explicar as transformações que os espaços e a vida dos homens sofreram, através dos tempos. Posto isto, não é por acaso que a cidade tem o nome de Viseu. Conta-se que, nos tempos da reconquista, os guerreiros cristãos chegaram perto da cidade, pelo lado do Nascente. Desse local, onde se dividem as águas dos rios Pavia e Dão, avistaram uma localidade pendurada num alto e um deles perguntou: “- Que viso (vejo) eu?” E desta pergunta, simples na aparência, surgiu o nome Viseu.

Saiba tudo em http://www.pom.pt/pt/


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

1 comentário:

Rafael da Silva Miguel disse...

Mais uma maratona jornalística!

Boa sorte!

E que seja mais um belo e grandioso Portugal "O" Meeting!

Abraço
RM