domingo, 22 de Janeiro de 2012

PORTUGAL O' MEETING 2012: FALTAM 27 DIAS!




O PORTUGAL O' MEETING

O Carnaval é uma festa que teve origem na Grécia e através da qual os gregos realizavam os seus cultos em agradecimento aos deuses pela fertilidade do solo e pela produção. A comemoração foi adotada pela Igreja Católica em 590 d.C., contemplando um período de festas regidas pelo ano lunar no cristianismo da Idade Média. O período do Carnaval era marcado pelo "adeus à carne" ou do latim "carne vale" dando origem ao termo "carnaval". Durante o período do Carnaval havia uma grande concentração de festejos populares. Cada cidade brincava a seu modo, de acordo com seus costumes. O Carnaval moderno, feito de desfiles e fantasias, é produto da sociedade vitoriana do século XIX. A cidade de Paris foi o principal modelo exportador da festa carnavalesca para o mundo. Cidades como Nice, Nova Orleans, Toronto e Rio de Janeiro inspiraram-se no Carnaval parisiense para implantar as suas novas festas carnavalescas. Já o Rio de Janeiro criou e exportou o estilo de fazer Carnaval com desfiles de escolas de samba para outras cidades do mundo, como São Paulo, Tóquio ou Helsinquia. Entre nós o carnaval é igualmente celebrado com a devida pompa e circunstância, sendo os de maior implantação os de Ovar, Estarreja, Mealhada, Torres Vedras e Loulé. Para os “foliões” da Orientação, o Carnaval é sinónimo de Portugal O' Meeting, muda de cenário todos os anos e este ano terá em Viseu e Sátão dois palcos de excelência.


A REGIÃO

O Carnaval de Lazarim (Lamego), no distrito de Viseu, é sem dúvida dos mais genuínos carnavais portugueses, mantendo bem vivas tradições ancestrais que perduraram ao longo dos tempos. Máscaras carrancudas de madeira, esculpidas por artesãos da aldeia, são nesta época festiva utilizadas por jovens de ambos os sexos - os caretos e as senhorinhas. Aqui o ritmo das escolas de samba não conseguiu ainda penetrar, o que não deixa de tirar atractivos a este carnaval autóctone.
A tradição perde-se no tempo e relatos que nos chegam da segunda metade do século XIX dão conta dum Carnaval que assumia então contornos de uma manifestação medieval, carregada de referências ao belzebu, macabra e assustadora, em especial para os mais novos. Máscaras de madeira eram frequentemente revestidas a pele de coelho, cujo pêlo era depois rapado a lâmina de barba, deixando apenas assinalados com o pêlo do próprio animal as zonas das sobrancelhas e do bigode.
Cobras e sardões, apanhados no estado de hibernação do inverno, eram também frequentemente utilizados. Pregados às máscaras de madeira serviam de ornamento a estas, deixando aterrorizadas as gentes de Lazarim.


A FIGURA

O Carnaval do Rio de Janeiro está no Guinness Book como o maior Carnaval do mundo e, contudo, são cada vez em maior número os brasileiros que cruzam o Atlântico nesta altura do ano para se juntarem ao grande “carnaval” da Orientação que é o Portugal O' Meeting. O ano de 2011 marcou um autêntico “boom” na presença de orientistas brasileiros, com um total de 18 participantes. Destes, 11 pertenciam à selecção militar brasileira que competiu nos 5º Jogos Mundiais Militares do CISM, que tiveram lugar no Rio de Janeiro em Julho passado. O Brasil teve uma prestação meritória, quer no Portugal O' Meeting, quer em particular nos Jogos Mundiais, com a Estafeta feminina (Miriam Pasturiza, Tânia Carvalho e Wilma Souza) a conseguir suplantar formações bem mais credenciadas e a lograr a medalha de bronze, quiçá a mais valiosa da história da Orientação brasileira.


A TÍTULO DE CURIOSIDADE

Diz o povo que S. Pedro é folião. A verdade é que, em dia de Carnaval, manda a tradição que o tempo esteja de feição, isto é, bom para a folia. Mas porque diz o povo, também, que S. Pedro é responsável pelo tempo? Tudo isto tem a ver com o facto de S. Pedro ter a fama de "porteiro" do Reino dos Céus. Ele ganhou esse título graças a uma passagem do Evangelho segundo S. Mateus, na qual Jesus se volta para Pedro, o seu seguidor mais próximo, e diz: "Eu te darei as chaves do Reino dos Céus e o que ligares na Terra será ligado nos céus". Essa simples declaração foi suficiente para Pedro passar para a história, em quadros e esculturas, como o "velhinho" que carrega as chaves celestiais e, na boca do povo, ganhou um poder ainda maior do que simplesmente o de abrir e fechar portas. "Se ele abre e fecha as portas e janelas do céu, então é a ele que pediremos para fazer chover ou cessar as inundações", diz o povo. Antes de assumir essa função no “andar de cima”, Pedro foi, com o perdão do trocadilho, o primeiro "manda-chuva" do Cristianismo. Verdade ou não, o facto é que no último Portugal O' Meeting organizado pelo Clube Ori-Estarreja, em 2007, S. Pedro deveria andar muito zangado... ou distraído!

Saiba tudo em http://www.pom.pt/pt/


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: