sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

NASCEU O ORIEVENTS!




Nasceu o Orievents. Votado à organização, comunicação e apoio de eventos de Orientação, o projecto tem a assinatura de Fernando Costa e consubstancia-se na rica e vastíssima experiência daquele que foi, nos últimos doze anos, o timoneiro dessa grande nau chamada Grupo Desportivo dos Quatro Caminhos. Apresentado ontem em Conferência de Imprensa, o Orievents assume a sua quota de pioneirismo num mercado difícil e revela uma faceta feita de vontade, arrojo e ambição.


A Quinta dos Ribeiros, em Alpalhão, foi palco ao início da noite passada dum evento invulgar. Foi este o local escolhido por Fernando Costa para, em conjunto com a Entidade Regional de Turismo do Alentejo, apresentar o projecto Orievents e, em simultâneo, promover a imagem do Alentejo como potencial destino de orientistas dos quatro cantos do mundo.

O lançamento do inovador projecto contou com a presença do Presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo, Ceia da Silva, da Presidente da Câmara Municipal de Portalegre e de vereadores dos Municípios de Alter do Chão, Crato e Marvão, num evento que teve em Maria Gabriela Tsukamoto, Presidente da Câmara Municipal de Nisa, uma particularmente atenciosa anfitriã. Presentes ainda alguns dos melhores orientistas mundiais da actualidade, nomeadamente as suecas Tove Alexandersson, Emma Johansson e Lena Eliasson, a checa Eva Jurenikova, os ucranianos Oleksandr Kratov e Nadiya Volynska e os franceses Amélie Chataing, Matthieu Puech, Philippe Adamski e esse nome incontornável da Orientação mundial, tri-campeão mundial em 2011 e líder destacado do ranking mundial de Orientação Pedestre, Thierry Gueorgiou.


“Há muita coisa que é feita, mas muito mais fica por fazer”

Nos belíssimos espaços interiores da Quinta dos Ribeiros, respirou-se Orientação e o Orievents, naturalmente, foi figura maior entre tantas figuras de vulto. Ao Orientovar, Fernando Costa começou por dizer que “este projecto nasceu duma ideia que tem já muitos anos e que se vem alicerçando na percepção crescente da falta de capacidade dos clubes em responder ao volume de solicitações que surgem dos mais diversos quadrantes.” Concretizando: “Escolas, Infantários, Universidades e Empresas são entidades que, frequentemente, procuram desenvolver actividades de Orientação e não encontram resposta da parte de quem tem esse ‘know-how’, sobretudo por falta de recursos humanos, uma situação que é agravada quando os pedidos se colocam em dias úteis.” Em suma, na sua opinião, “há muita coisa que é feita, mas muito mais fica por fazer”.

Para viabilizar a capacidade de resposta às múltiplas solicitações, Fernando Costa estabeleceu uma parceria com o Grupo Desportivo dos Quatro Caminhos, certo que “esta conjugação de esforços resultará na criação de mais-valias para ambas as estruturas.” Apoiando-se no grande espólio de mapas do qual o clube é detentor Fernando Costa e o Orievents propõem-se, desta forma, valorizá-lo e rentabilizá-lo, fazendo do Porto, Serra da Estrela e Norte Alentejano locais-alvo onde, numa primeira fase, o projecto encontrará uma aplicação muito directa e muito concreta.


“É fundamental que os clubes acreditem nisto”

Mas para Fernando Costa, a área de actuação privilegiada do Orievents poderá vir a ser a da comunicação e sponsorização de eventos. “Encontrar patrocinadores e falar de Orientação nos meios de Comunicação Social são aspectos onde a modalidade apresenta as maiores lacunas”, diz. Reconhecendo que a questão da angariação de patrocínios “cai na pior altura no actual contexto de crise” e que “vender o trabalho de comunicação esbarra no falta de preparação e de recursos de organizações totalmente amadoras”, Fernando Costa afirma que vai procurar conjugar as duas vertentes e tornar o produto particularmente atractivo. “Temos de cerrar fileiras, temos de acreditar e é fundamental que os clubes acreditem nisto também. Afinal, os clubes têm de nos aceitar como se fossemos elementos da organização nestas áreas específicas e, evidentemente, isto não é fácil”.

Acções de formação, actividades de ensino de Orientação para Escolas, implementação de percursos permanentes, desenvolvimento de cartografia de zonas específicas, projectos ligados ao turismo e uma ou outra “piscadela de olho” a actividades de ar livre, nomeadamente na área do Trail Running e do Pedestrianismo, merecem igualmente a atenção do Orievents. “As pessoas nem imaginam as potencialidades da modalidade para se desenvolver a partir de vectores paralelos como o Ambiente, o Turismo ou a Educação e desta forma tornar-se mais conhecida e participada”, assevera.


“O futuro do Alto Alentejo é o Turismo de Natureza”

No momento presente, o grande cartão-de-visita do Orievents chama-se “Training Camps”, os campos de treino da vasta região do Norte Alentejano, abrangendo os concelhos de Nisa, Castelo de Vide, Alter do Chão, Crato e Portalegre, palcos de luxo das recentes edições do Norte Alentejano O’ Meeting e do Portugal O’ Meeting 2011. É aí que se encontram desde a passada segunda-feira alguns dos melhores atletas do mundo, treinando em percursos traçados por três nomes altamente conceituados na modalidade: Oleksandr Kratov, Eva Jurenikova e Kenneth Buch. Esta é uma realidade que continua a ser escamoteada por quem de direito, a de que a Orientação é a modalidade que mais estrangeiros traz a Portugal. Fernando Costa é de opinião que “as organizações do Portugal O’ Meeting e os campos de treino que se têm desenvolvido num passado recente, têm contribuído extraordinariamente para colocar Portugal na rota de todos os orientistas do mundo.”

Tirar partido deste potencial e gerar riqueza no interior do País é, implicitamente, um dos objectivos do Orievents. “O futuro do Alto Alentejo é o Turismo de Natureza e isto tem de ser promovido. É a Orientação, como são também os Percursos Pedestres, o Birdwatching, a Rota do Cavalo, o Balonismo, enfim, um nunca mais acabar de actividades de natureza e ar livre”, diz Fernando Costa. Tudo isto é importante mas, para o mentor deste projecto, “acima de tudo é importante que todos estas áreas possam estar interligadas entre si e se envolvam neste movimento, em articulação estreita com as Unidades Hoteleiras, a Restauração e os Gabinetes de Turismo.”


“Portugal é um dos melhores locais do mundo para a prática da Orientação”

Os dados estão lançados e as várias entidades presentes afinam pelo mesmo diapasão. Ceia da Silva deu a conhecer o interesse da Entidade Regional de Turismo do Alentejo em estabelecer uma protocolo com o Orievents no sentido de apoiar a dinamização de eventos de Orientação na sua área de jurisdição e Maria Gabriela Tsukamoto salientou a candidatura de projectos para a produção de mapas com vista à criação de mais Campos de Treinos. Os atletas falaram igualmente – Eva Jurenikova e Thierry Gueorgiou tiveram assento na mesa da Conferência de Imprensa – e as suas declarações resumem-se numa afirmação do multi-campeão francês: “Portugal é um dos melhores locais do mundo para a prática da Orientação”.

Conheça o Orievents em http://orievents.com/







Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

4 comentários:

Ricardo telmo disse...

Desejo as maiores felicidades para mais esta empreitada do fernando Costa. Numa altura de crise, e importante para o país e para o interior apostar no turismo de natureza , neste caso a orientacao. No meu intender o futuro passa por aí! Boa sorte!
R. Fernandes

Dinis Costa disse...

Boas ideias e sentido de oportunidade,
O propósito radica na provável oportunidade económica, coisa já pensada face ao nosso clima, no entanto é de louvar a iniciativa. Pois, por esta via Portugal também estará pelo mundo (da orientação) e praticantes de todo mundo (mais o norte Europa) em Portugal.
A nível interno, o trabalho feito por “profissionais” que também gostam da modalidade propiciará um trabalho mais profícuo.
Por tudo isto felicita-se o Fernando Costa e sua equipa.

Alicia Cobo disse...

Training camps are really interesting. Congratulations

Anónimo disse...

Parabéns ao Fernando Costa por mais esta iniciativa.
Não é novidade para ninguém ligado á nossa modalidade que o Fernando,tem sido ao longo dos últimos anos, uma referência incontornável da nossa modalidade.Muito do que tem sido feito no sentido de projetar cada vêz mais a orientação através dos vários orgãos da comunicação social a ele se deve.Apesar do momento não ser fácil, acredito que o Fernando Costa irá mais uma vêz, conseguir levar este barco a bom porto.

Rui Antunes