terça-feira, 10 de Janeiro de 2012

MARIANA MOREIRA: "HÁ CADA VEZ MAIS JOVENS MOTIVADOS E A TREINAR BEM"




O ano de estreia de Mariana Moreira na Elite nacional feminina, apesar de muito marcado pelas lesões, trouxe com ele a primeira vitória numa prova de Nível 1 da Taça de Portugal, bem como um terceiro lugar final no 'ranking' respectivo. Além disso, Mariana Moreira acaba também de se lançar no espaço da blogosfera com uma página particularmente apelativa e que promete. É por aqui que começa a nossa conversa.


Orientovar - “Novo Ano, Novo Blogue”. Esta iniciativa é um passo importante nas tuas ambições para a próxima época ou é apenas e só um passo?

Mariana Moreira - Não considero que seja um grande passo. Tal como escrevi na primeira mensagem, ter um blogue é cada vez mais frequente nos jovens orientistas. Também eu pretendo publicar tudo sobre as minhas aventuras na Orientação, fazer uma análise de todos os treinos e provas, dar uma opinião acerca dos vários temas que vão surgindo no mundo orientístico, dar-me a conhecer como atleta e também levar a Orientação a todos os meus amigos ou a todas as outras pessoas que visitem o blogue.

Orientovar - Ainda que marcada pelas lesões, a temporada passada constituiu seguramente um marco na tua carreira. Competiste pela primeira vez no escalão de Elite e concluíste o ranking da Taça de Portugal na 3ª posição, tiveste em Entre-Ribeiras, no último dia do POM 2011, a primeira vitória numa Etapa da Taça de Portugal Nível 1, ainda que, no plano internacional, as tuas prestações no JWOC 2011, na Polónia, tivessem ficado algo aquém do expectável. Queres fazer-nos um balanço da tua época?

Mariana Moreira - A época passada, tal como a anterior, foi de facto marcada pelas lesões. Comecei bem o ano mas a lesão - a mesma que me tinha afectado em 2010 -, voltou quando já ia aproximadamente com quatro meses de treino. Com os objectivos do ano a aproximarem-se, tentei acelerar a recuperação, o que me levou a forçar a lesão e cheguei a ser obrigada a recorrer a canadianas para me deslocar diariamente. Foram quase três meses de fisioterapia, desesperantes pois o JWOC aproximava-se e não havia forma de eu poder treinar. Nas últimas semanas já podia fazer bicicleta e foi com algumas horas deste treino que corri o Mundial de Juniores. Se no início do ano ambicionava resultados nesta competição, dias antes da mesma sabia que, limitada fisicamente como estava, era praticamente impossível eles aparecerem. Foi uma boa experiência, que espero que possa ser útil para este ano, a minha última oportunidade de participar nesta prova. Devido à lesão, não pude correr em nenhuma das quatro etapas dos Campeonatos Nacionais. Estive parada durante todo o Verão e a lesão finalmente desapareceu, pelo que em Setembro consegui voltar a treinar, e restava um objectivo, o Absoluto. Acabou por ser uma desilusão, pois foram erros atrás de erros, tendo mesmo sido uma das minhas piores prestações da época.


É sempre triste ver o reduzido número de atletas que poderão mostrar, lá fora, o seu trabalho e valor

Orientovar - Acaba de ser divulgado o Projecto para as Seleções Jovens de Orientação Pedestre 2012 e no qual surges entre os convocados. A Federação poderia ter ido mais longe?

Mariana Moreira - No sector desportivo, com a situação que o país enfrenta, as principais Federações a sofrer são as das modalidades pequenas. Este projecto é espelho disso, principalmente pelo reduzido número de atletas que a Federação levará ao EYOC e ao JWOC. É compreensível, e acredito que este seja o máximo financiamento que a Federação realmente pode fazer neste momento nas seleções jovens, mas é sempre triste ver o reduzido número de atletas que poderão mostrar, lá fora, o seu trabalho e valor. Espero que o número de "vagas" que serão abertas para os atletas que poderem participar a expensas próprias seja adequado ao número de atletas que realmente merecem e têm capacidades para poderem vir a elevar o nome do nosso país, algo que sucedeu no ano passado e que permitiu a alguns atletas (dos quais eu sou exemplo, e o que só foi possível através do apoio do meu Clube, o CPOC), participarem no EYOC e JWOC. Aproveito aqui para agradecer ao Tiago Aires tudo o que fez por nós nos últimos anos. Sem ele não teríamos obtido os resultados que conseguimos, e acima de tudo não teríamos aprendido tanto nem nos teríamos tornado no grupo de orientistas que somos hoje. Desejo desde já boa sorte ao Norman Jones e ao Hélder Ferreira, que certamente também farão um bom trabalho no futuro.

Orientovar - Ainda recentemente foste uma “estrela” na série de iniciativas designadas por “LunaRun” e promovidas pela Nike na Baixa de Lisboa. Consideras que esta foi uma boa forma de promover a Orientação ou, muito pelo contrário, nada teve a ver com a modalidade e perdemos uma excelente oportunidade de nos associarmos à iniciativa e de nos mostrarmos?

Mariana Moreira - Não foi de facto a melhor forma de promover a Orientação, já que a maioria dos participantes não associa estas corridas, onde alguns se guiam pelo mapa (que ali é pouco mais que um "croqui"), ao nosso desporto, a verdadeira Orientação. O facto de em todas as noites ter havido, pelo menos, um vencedor orientista não passou despercebido aos mais atentos e é certo que todas as pessoas que ao longo daquelas noites se orientaram pelas ruas de Lisboa, adoraram a experiência, o que poderia fazer com que estas tentassem saber mais e até aparecessem nos nossos eventos. Mas não estando a Federação ligada a esta iniciativa, os participantes não se dão ao trabalho de procurar e ficam apenas à espera do próximo evento criado pela marca que apenas se pretende promover. Seria muito bom a FPO poder associar-se a estes eventos, por exemplo através de uma simples melhoria do mapa, tendo como benefício a possibilidade de divulgar o site da Federação nos folhetos, cartazes e páginas ligadas ao evento.


Estar ao nível das melhores do mundo

Orientovar - Para onde caminha a Orientação portuguesa, em geral, e a Orientação Pedestre feminina em particular?

Mariana Moreira - A nível de participações nos eventos portugueses, a crise está de facto a fazer-se sentir. Apesar de grande parte dos clubes pagar as inscrições nas provas, todos os custos envolvidos nas deslocações dos participantes são bastante grandes, já que as provas se desenrolam por todo o país, e penso ser esse o principal motivo responsável pela diminuição de participantes, pois não acredito que seja por diminuir o gosto pela prática da Orientação. A nível competitivo, felizmente há cada vez mais jovens motivados e a treinar bem, estando a competitividade a aumentar nos principais escalões. E se no sector masculino sempre existiram vários atletas a disputar a vitória nestes mesmos escalões, até há pouco tempo era bastante fácil chegar ao pódio nos escalões femininos, pois eram poucas as atletas que treinavam e queriam apostar na Orientação. A geração que agora chega à idade de Juvenis, Juniores e primeiros anos de Seniores traz outra mentalidade, principalmente devido ao trabalho desenvolvido nas selecções jovens pelo Tiago Aires. Estas atletas, nas quais me incluo, ambicionam atingir patamares internacionais, sonham competir e estar ao nível das melhores do mundo e trabalham e treinam para um dia poderem lá chegar. Temos atletas com capacidade para tal, mas temos de começar por chegar a um patamar já alcançado pelos nossos orientistas, o de chegar a uma final A num Campeonato do Mundo, um passo essencial.

Orientovar - Quais os teus grandes objectivos para a época que agora se inicia?

Mariana Moreira - Já que estou no meu último ano de júnior, o meu principal objectivo é obter uma boa classificação nas várias provas do JWOC. Nas competições em Portugal, pretendo fazer um bom POM, ir ao pódio nos vários Campeonatos Nacionais e nos vários Circuitos (Urbano e de Estafetas) que agora surgem e melhorar o meus melhores resultados no Campeonato Nacional Absoluto, o qual obtive há quatro épocas atrás, e no ranking Nacional. É com estes objectivos que vou treinar este ano, e espero acima de tudo que nenhuma lesão me impeça de o fazer.


O ideal seria no futuro poder trabalhar directamente com a Orientação

Orientovar - Vamos continuar a ver a Mariana Moreira por muito mais tempo a fazer Orientação?

Mariana Moreira - Se tudo correr como desejo, sim. Eu estou na Faculdade de Motricidade Humana, no curso de Ciências do Desporto, e o ideal seria no futuro poder trabalhar directamente com a Orientação. Ainda não sei o que pretendo mesmo fazer, provavelmente as opções também não serão muitas, mas de uma coisa tenho a certeza, a de que pretendo estar ligada a esta modalidade por muitos mais anos, seja como atleta "de topo", ao nível profissional, ou meramente como alguém que adora desfrutar de um bom mapa e de um bom percurso, nas melhores florestas, em Portugal ou noutro qualquer país.

Orientovar - Queres deixar um voto para 2012?

Mariana Moreira - Que em 2012 a Orientação nacional cresça e que todos os objectivos possam ser alcançados.


Saiba mais sobre Mariana Moreira e torne-se seguidor do seu blogue em http://o-marianamoreira.blogspot.com/p/orienteering.html



Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: