sábado, 7 de janeiro de 2012

LETICIA SALTORI: "SOU CAMPEÃ TODOS OS MEUS DIAS"




Do quase anonimato, Leticia Saltori saltou de súbito para a ribalta da Orientação brasileira ao sagrar-se vice-campeã sul-americana de Orientação 2011, apenas batida pela sueca Lena Eliasson. O "Espaço Brasil" não poderia abrir da melhor forma o ano de 2012, dando a conhecer a atleta e a pessoa.


Orientovar – A primeira questão é sempre a mais fácil, ou talvez não: Quem é Letícia Saltori?

Leticia Saltori – Chamo-me Leticia da Silva Saltori, nasci no dia 28 de Dezembro de 1987 em Campina Grande do Sul, na região metropolitana de Curitiba e sou Atleta e Estudante. Sou a filha do meio e tenho mais dois irmãos. Quando era pequena vivíamos no meio rural e sempre gostei de ir à escola. Muitas vezes ia sozinha e ficava apavorada, pois tinha de atravessar uma grande área de vegetação densa. Aos 17 anos saí de casa e resolvi trabalhar na cidade de Curitiba. Acreditava que lá poderia mudar a minha vida, mas a verdade é que não era fácil arranjar um emprego visto que toda a minha vida se resumia a estudar, capinar e cortar lenha. Mesmo assim engoli o choro e fui à luta. Até que neste percurso conheci o meu noivo e permanecemos juntos até hoje.

Orientovar - Em 2006 fazia provas de estrada “por brincadeira”, em 2009 conquistava o “Troféu Brasil de Atletismo” e no final de 2010 participava no Desafio Nike 600k, a maior corrida de Estafetas das Américas. Já se nasce atleta ou há muito trabalho aqui pelo meio?

Leticia Saltori – O meu primeiro e breve contacto com uma prova de corrida ocorreu no ensino fundamental, onde um professor de Educação Física acabou por me escolher para participar numa corrida de 4 km a nível regional. Hoje acredito que esta escolha aconteceu porque eu era muito ativa, participava em tudo e corria muito quando jogava Futebol. A verdade é que passou-se um longo período sem ouvir falar de novo na corrida até que, em 2006, as coisas passaram a ter outro sentido. Nessa altura conheci o meu noivo que, além de ser professor de Educação Física, adorava correr desde muito pequeno. Nesse ano corri todos os fins-de-semana, mesmo sem treino, só para o acompanhar. Até que, em 2007, resolvemos levar a corrida mais a serio, comecei a treinar diariamente visando melhorar a minha performance e a evolução nos meus resultados não se fez esperar. Em 2009 alcancei a melhor marca do Troféu Brasil de Atletismo - RJ e Tribuna em Santos, com um registo de 37:21 aos 10 km. Nesse ano fui convidada para treinar em São Paulo, num clube de atletas profissionais, “Pinheiros”, onde permaneci durante oito meses. Regressei a Curitiba em 2010 e em Outubro, durante um Curso de Orientação, tive o primeiro contacto com este desporto.


O resultado do Sul-Americano foi uma total surpresa

Orientovar - Ao passarmos os olhos pelo seu blogue - http://leticiasaltori.blogspot.com/ - percebemos que teve entretanto contacto com as provas de Montanha e até já correu (pelo menos) uma Maratona. Não se consegue é perceber como é que surge a Orientação no meio disto tudo?

Leticia Saltori – Bom, eu fui criada no meio rural. De facto adoro provas em trilhos, terreno montanhoso e, sem dúvida, adoro as longas distâncias. A Orientação surgiu de forma natural, visto que sempre procurei ir além dos meus limites. Na verdade, sentia-me frustrada e queria mais. Sabia que, correndo 37 minutos, não seria suficiente para ser uma futura Campeã Mundial. Comecei então a alimentar a ideia de ingressar no Exército e fazer Pentatlo Militar. Treinei alguns dias com um amigo que praticava esta modalidade, na expectativa de que iria surgir alguma prova de seleção que me possibilitasse ingressar. Até que conheci o Major Jader, pessoa muito envolvida na parte técnica da equipe do Brasil de Orientação, e foi então que ele percebeu em mim as características ideais para ser orientista. Mas a parte engraçada é que eu não tinha a menor noção do que isto poderia significar. Aceitei a proposta de ser treinada por ele, iniciámos um curso, fiz vários tipos de treino e ao todo posso dizer que treinámos cinco meses, aproximadamente. Eu mantinha a esperança de entrar no Exército, treinar e tentar integrar a equipe do Brasil de Orientação, mas infelizmente não houve essa possibilidade. Mas continuo em busca deste sonho.

Orientovar - Se há uns dias atrás alguém me perguntasse se conhecia Letícia Saltori, confesso que responderia com um “não” convicto. A verdade é que hoje a Letícia é Vice-Campeã Sul-Americana de Orientação, apenas batida na competição pela nº 6 do ranking mundial, a sueca Lena Eliasson. Este lugar estava nas suas expectativas ou foi uma total surpresa?

Leticia Saltori – Devo confessar que o resultado do Sul-Americano foi uma total surpresa, sem sombra de dúvida. Nos últimos sete meses, aproximadamente, não tinha tido qualquer contacto com a Orientação, isto porque o Major Jader estava cheio de trabalho no Quartel. Além do mais, poucas semanas antes desta competição fiquei a saber que saiu um novo edital de convocação para Sargento temporário para 2012, mas não havia vagas para atletas da Orientação. Realmente desanimei e cheguei mesmo a pensar em desistir de viajar até Santana do Livramento. Mas algo cá dentro me dizia que valeria a pena não desistir e então decidi ir. Foi muito emocionante subir ao pódio neste contexto e face às circunstâncias.


A Orientação complementa a corrida e vice-versa

Orientovar - Que espaço ocupa a Orientação nos seus interesses?

Leticia Saltori - Hoje posso dizer que sou apaixonada pela Orientação e ela ocupa o lugar mais alto dentre as minhas futuras realizações. Realmente ainda não descobri o porquê de tantos atletas de corrida tentaram fazer Orientação e não conseguirem um forte destaque. Poderia dizer que é algo que já está na própria pessoa, mas acho que esta seria uma ideia sem grande fundamento. Creio que um bom atleta de qualquer modalidade só alcança os seus objetivos quando vai em busca de melhores resultados com treino, com muita persistência. Jamais se deve desistir dum sonho e com toda certeza não podemos deixar-nos acomodar e achar que está tudo bem.

Orientovar - Em Portugal – como em todo o lado, presumo - seria natural pensar que a Orientação e o Atletismo são duas modalidades intimamente ligadas e que teríamos muita gente da área do Atletismo a praticar Orientação e a ser bem sucedida. Mas isso não acontece. É muito mais frequente ver pessoas da área da Orientação a conseguir excelentes resultados no Atletismo, nomeadamente nas provas de cross, trail running ou montanha, do que o contrário, como acontece consigo, por exemplo. Porquê? O que diria a alguém que, sendo da área do Atletismo, vem experimentar a Orientação pela primeira vez?

Leticia Saltori - O que diria a alguém que faz Atletismo e nunca ouviu falar de Orientação? Diria que experimentasse e se filiasse em algum clube para conhecer mais de perto a modalidade, pois acho que a Orientação complementa a corrida e vice-versa. Além de que não gera frustração para aqueles que têm um ritmo não tão forte de corrida, como eu por exemplo, até porque este meio visa a amizade, o bem-estar e o contacto direto com a natureza. E para os que buscam os bons resultados também aconselho a Orientação, até porque precisamos de difundir este desporto e o nível brasileiro.


Quero estar entre os melhores

Orientovar - Vamos continuar a vê-la mais virada para o Atletismo ou os seus interesses estão agora centrados na Orientação? Quais os objectivos para a próxima temporada?

Leticia Saltori - Considero-me uma pessoa em constante transformação, sou campeã todos os meus dias. Agarro-me a todas as dificuldades por que passei e acho que é por isso que gosto de provas com dificuldade. É como aquela velha frase: A vida pode escolher o momento de te derrubar, mas somos nós que decidimos quando nos levantamos. Então vamos à luta!!! Quanto aos objetivos para a próxima temporada, passam por melhorar a minha performance na Orientação, aprofundando os treinos futuros, pois tenho a certeza de que tenho muito a aprender. Quero estar entre os melhores, visando a melhoria do nível feminino. Mas vou continuar treinando corrida, pois além de ser um grande vício, ela faz parte do treino de um atleta de alto nível de Orientação.

Orientovar – Sente-se nas suas palavras um grande amor à vida e percebe-se que a Orientação tem muito a ver com isso. É ou não verdade?

Leticia Saltori – Sim, é verdade. Hoje posso dizer que me superei como pessoa, saí da “caverna”, conheci o mundo através da corrida e conquistei um grande sonho que era o de cursar uma Faculdade. Graças a Deus ganhei uma bolsa de estudos. Acho que a família é a coisa mais importante que uma pessoa pode ter e o bom é que eu descobri isto a tempo: Voltei uma tarde para casa, olhei nos olhos do meu pai e o abracei com tanto amor e saudade... Já na Orientação pude relembrar os meus tempos de criança, quando correr na mata era por medo, sobrevivência, defesa e instinto. Vejo que superei as minhas barreiras ao reencontrar-me como uma Vice-Campeã Sul- Americana. Então vi que já estava tudo ali dentro de mim, simplesmente eu não sabia.


É um imenso prazer fazer parte deste maravilhoso mundo da Orientação

Orientovar - Agora que um novo ano acaba de chegar, pedia-lhe um voto para todos os desportistas em geral.

Leticia Saltori - É difícil falar qualquer coisa a respeito do ser humano, mas ao longo da minha vida pude entender o quanto complicamos a vida e brigamos por coisas banais. Perdemos tanto tempo com coisas desnecessárias e fico pasmada ao ver quanto egoísmo, inveja e ódio vai por aí. Digo aos que muitas vezes passam por estes sentimentos: Livrem-se disso e libertem-se, pois eles podem habitar para sempre o nosso lado interior. Por isso vivam, compartilhem, amem e principalmente sonhem com a vida, pois só os sonhos podem fomentar uma grande realização. Quero em especial agradecer a todos os que torcem e torceram de coração por mim (são sem duvida poucas pessoas). Quero agradecer também aos que, de maneira estranha, preferem afastar-se, e dizer-lhes que podem vir conversar, estarei de braços abertos e sem sombra de dúvida quero trocar experiências. E aos que não me conheciam quero dizer que é um imenso prazer fazer parte deste maravilhoso mundo da Orientação. Desejo a todos os desportistas um excelente 2012, cheio de planeamentos e realizações.




[Fotos gentilmente cedidas por Leticia Saltori]


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: