quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

BIEL RÀFOLS: "CADA BALIZA QUE ENCONTRAMOS É ÚNICA"




Biel Ràfols vem duma família de orientistas e as suas performances fazem dele uma das grandes esperanças da Orientação espanhola. O 43º lugar alcançado na Final de Distância Média do Campeonato do Mundo de Orientação Pedestre WOC 2011 eleva-o a um patamar de alto nível, confirmado pelo 112º lugar que ocupa no “ranking” mundial. Biel Ràfols é também um apaixonado por Portugal, país onde regressa vezes sem conta e onde se sente “como em casa”. É com ele que o Orientovar conversa hoje na Grande Entrevista.


Orientovar - Biel, Pol e Ona. Três nomes bem conhecidos e que têm no apelido Ràfols Perramon o traço comum. Começava por te perguntar como é que conheceste a Orientação e o que representa para ti esta ligação familiar tão forte à modalidade.

Biel Ràfols - Vimos duma família que adora a montanha. Desde sempre praticámos desporto e quando o meu tio-avô nos deu a conhecer a Orientação, experimentámos e ficámos encantados. Lembro-me que, desde pequenos, que as nossas férias de Verão eram planeadas em função das provas de Orientação que existiam um pouco por todo o lado e essa era também uma boa maneira de passear e de visitarmos outros países. Ia toda a família de furgoneta pela Europa (5 Dias de França, 5 Dias da Boémia, Eslovénia, Suécia…) e foi desta forma que nos apaixonámos pela Orientação.

Orientovar - O que vês na Orientação e que faz com que estejas agarrado a ela de maneira tão intensa?

Biel Ràfols - Para mim, muito simplesmente, a Orientação é a forma de entender a vida. É desfrutar da floresta e do desporto duma forma muito natural, onde todos têm o seu lugar próprio e se integram. Cada baliza que encontramos é única, no sentido em que voltar a encontrá-la já não tem os mesmos aliciantes. Há que tirar o máximo de todos estes momentos e saber valorizar o trabalho daqueles que estão por detrás disso: cartógrafos, traçadores de percursos, responsáveis pela montagem dos pontos…


Sinto-me muito grato ao clube por esta oportunidade que me dá

Orientovar - A página principal do clube IFK Lidingö SOK, com uma foto tua, fez-me lembrar as grandes manchetes dos jornais desportivos que destacam os reforços da época de Inverno dos clubes de Futebol. Como é que surgiu esta oportunidade e que perspectivas se abrem com o teu ingresso no clube sueco?

Biel Ràfols – Durante o Outono estive a treinar na Suíça, a pensar já aos Campeonatos do Mundo do próximo mês de Julho, em Lausanne. Coincidiu que, nessa altura, estivesse lá a treinar também a equipa do IFK Lidingö SOK. Em princípio correrei a Tiomila, Jukola y Smålandskavlen com a equipa, mas aquilo que é mais interessante para mim é continuar a aprender e a conviver com eles. Sinto-me muito grato ao clube por esta oportunidade que me dá.

Orientovar - Usando ainda o Futebol como termo de comparação, o IFK Lidingö SOK é assim uma espécie de Barcelona FC da Orientação? O que é que conheces deste clube?

Biel Ràfols - O Barça actual, aparte o seu nível desportivo extraordinário, representa uns valores muito humanos, nomeadamente o respeito, o trabalho, a solidariedade, a humildade, o companheirismo, a superação… valores estes que podemos encontrar, sem dúvida, no IFK Lidingö SOK.


Os orientistas espanhóis são verdadeiramente apaixonados pela Orientação

Orientovar - A temporada de 2011 na Liga Espanhola não correu da melhor forma. Falhaste, inclusivamente, as últimas seis provas e não foste além do 11º lugar no ranking. Em contrapartida, a participação na Final A de Distância Média do WOC constitui um marco na tua carreira. Queres fazer um retrato daquilo que foi o teu ano?

Biel Ràfols – A minha temporada estrutura-se em função dos Campeonatos do Mundo e dos Campeonatos de Espanha. Nesse sentido, as competições que se realizam após os Mundiais têm uma importância relativa. Sempre que surge a oportunidade, procuro ir correr em terrenos mais interessantes. Por exemplo, ficam mais próximos para mim os mapas de Le Caylar que os de Guardamar. Mas devo dizer que fiquei muito satisfeito com os meus resultados visto serem a demonstração que, trabalhando bem, posso estar entre os melhores.

Orientovar - Como avalias o actual nível da Orientação em Espanha? Acreditas que um dia o nível competitivo da Orientação espanhola poderá equiparar-se ao dos países mais evoluídos?

Biel Ràfols – Com os meios de que dispomos em Espanha, parece impossível termos conseguido aquilo que conseguimos. Esta é a prova provada que os orientistas espanhóis são verdadeiramente apaixonados pela Orientação. Com esforço e humildade, temos corredores que, no futuro, poderão chegar ao pódio dum WOC.


Ver-nos-emos no POM, seguramente

Orientovar - As alterações ao figurino dos Campeonatos do Mundo de Orientação Pedestre que a IOF pretende implementar a partir de 2014 são positivas ou negativas?

Biel Ràfols - Penso como a maioria dos orientistas. Há alterações que trazem consigo algumas melhorias mas creio que, dum modo geral, se perde um pouco daquilo que é a essência da Orientação. Sinto-me contente por ter podido correr nos Mundiais, tais como são hoje em dia.

Orientovar - Tens sido presença assídua nas provas portuguesas. Vamos voltar a ver-te em Portugal esta época?

Biel Ràfols - Apesar de estar a 1000 km de distância, em Portugal sinto-me como em casa. E não sou apenas eu a afirmá-lo, como todos os orientistas, duma maneira geral, manifestam a sua satisfação pela Orientação em Portugal. Ver-nos-emos no POM, seguramente, e talvez nalgumas outras ocasiões.


Desfrutar deste magnífico desporto

Orientovar - Qual o teu grande objetivo para 2012?

Biel Ràfols – Continuar a desfrutar deste magnífico desporto, procurando ser uma mais-valia para o IFK Lidingö SOK e lutando no WOC.

Orientovar - Neste início de ano, queres deixar um voto a todos os orientistas e à Orientação em geral?

Biel Ràfols - Feliz Ano Novo, saúde e quilómetros!



Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: