quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

RIINA KUUSELO: "A ORIENTAÇÃO PORTUGUESA É MUITO BOA"




A nossa convidada de hoje é Riina Kuuselo, orientista finlandesa de Elite. A viver actualmente em Solihull, Inglaterra, Riina parece estar agora centrada integralmente na Orientação e, aos 31 anos de idade, tem objectivos particularmente bem definidos. E quer transformar os sonhos em realidade!


Orientovar – A primeira questão é sempre a mais simples: Quem é Riina Kuuselo?

Riina Kuuselo – Sou uma orientista de Elite finlandesa que compete a nível internacional desde 2004. No meu currículo conto com uma vitória numa Estafeta da Taça do Mundo, duas vitórias na Jukola e um grande número de medalhas nos Campeonatos Nacionais do meu país. Em termos profissionais, tenho também o Doutoramento em Genética Oncológica. Por outras palavras, faço investigação a tempo inteiro e, nos intervalos, faço Orientação.

Orientovar – Por coincidência, o meu primeiro contacto com a Orientação ocorreu em 2007, na primeira edição do Norte Alentejano O' Meeting, um evento vencido por si. Pessoalmente, nunca irei esquecer aqueles dias e a viva impressão causada pela descoberta deste magnífico desporto. E a Riina? Que memórias guarda dessa estadia em Nisa e da sua vitória?

Riina Kuuselo – Lembro-me muito bem do Norte Alentejano O' Meeting 2007. Foi um evento belíssimo e proporcionou-me excelentes momentos! Foram provas muito bonitas, muito técnicas e extraordinariamente bem organizadas. Também me lembro daquele churrasco [Porco no Espeto, no Mercado de Nisa], à noite, após o Sprint e foi fantástico. Guardo óptimas recordações de Nisa.


De volta à floresta e capaz de treinar de novo

Orientovar – Foi possível vê-la de novo em Portugal, no passado mês de Março, no Portugal O' Meeting. É interessante perceber que, entre o NAOM 2007 e o POM 2011, temos – pelo menos – um aspecto em comum: a organização, a cargo do Grupo Desportivo dos Quatro Caminhos. São comparáveis os dois eventos? Consegue perceber-se alguma evolução entre ambos?

Riina Kuuselo – Penso que ambos os eventos tiveram uma organização de grande nível e as corridas foram excelentes em qualquer um dos casos. Os terrenos eram semelhantes e, por conseguinte, desta vez eu já sabia o que poderia esperar (ainda que não tão bem orientada). Gostei muito dos dois eventos. Comparando com 2007, a grande evolução no tocante ao evento deste ano teve a ver, talvez, com a lista de inscritos. Talvez o Portugal O' Meeting seja mais conhecido que o NAOM ou talvez tenha sido apenas uma coincidência ter havido tantas selecções nacionais presentes na edição deste ano. Mas penso que a Orientação portuguesa é muito boa. Gostei muito de ambos os eventos e dos treinos que levei a cabo em Portugal, não me posso queixar de nada. Boas organizações, bons mapas e excelentes provas.

Orientovar – Fale-nos um pouco da sua temporada. Qual a sua maior alegria? E qual a pior experiência?

Riina Kuuselo – Foi uma temporada realmente muito má para mim e, portanto, não haverá muito a dizer. Os melhores momentos foram as grandes provas de clubes nórdicas, as estafetas Tiomila, na Suécia, e Jukola, na Finlândia, onde fizemos um excelente trabalho de equipa. Alcançámos a nossa primeira vitória na Tiomila e fomos segundas na Jukola. Corri muito bem em ambas as Estafetas, mas em termos individuais não consegui nunca chegar ao meu habitual nível por excesso de treino. O meu melhor resultado foi um terceiro lugar no JK [Jan Kjellström International Festival of Orienteering], o maior evento de Orientação do Reino Unido (onde vivo neste momento). Estávamos no início da Primavera mas, depois disso, nunca consegui recuperar convenientemente das provas ou correr bem. A pior experiência ocorreu nas provas de selecção, uma Distância Longa em altitude, em França, na qual me senti tão cansada que quase não consegui concluir a prova. Só muitos meses mais tarde (a partir do meio de Outubro), comecei a sentir-me melhor, depois dum longo período de recuperação da sobre-exaustão. Agora estou de volta à floresta e capaz de treinar de novo :)


É no período de Inverno que vale realmente a pena investir algum do nosso tempo e da nossa energia naquilo que queremos aprimorar

Orientovar – O defeso é sempre um momento de reflexão. Numa das últimas mensagens no seu blogue, refere que “o treino físico é fácil e o treino técnico é divertido, mas a parte mais difícil está no treino mental”. Este é o momento certo para fazer treino mental?

Riina Kuuselo – Julgo que é sempre importante reflectir sobre a temporada passada e avaliá-la na íntegra antes de começar a treinar a pensar já na próxima. Perceber o que correu bem e onde podemos melhorar. Há a um enorme lapso de tempo entre as provas mais importantes e que abrange todo o período de Inverno e julgo que este é um excelente momento para a preparação da próxima temporada a todos os níveis, incluindo a preparação mental. Se começarmos a trabalhar nas coisas agora, temos tempo para fazer com que elas funcionem quando abrir a nova temporada. Penso que é no período de Inverno que vale realmente a pena investir algum do nosso tempo e da nossa energia naquilo que queremos aprimorar no futuro.

Orientovar – Quando e onde planeia preparar a próxima temporada? Vamos vê-la de novo em Portugal no próximo ano?

Riina Kuuselo – Os meus grandes objectivos para 2012 centram-se nos Campeonatos do Mundo, em Lausanne. Todo o meu trabalho está construído em torno desse objectivo e é aí que espero dar o meu melhor. Vivo e treino no Reino Unido mas irei agora para o México, por um período de duas semanas, e depois sigo para a Finlândia, para fazer algum “cross-country” em Esqui. Não sei ainda se irei a Portugal no próximo ano, mas é quase certo que estarei nalguns campos de treino na Suécia e na Suiça, no início da Primavera. Também terei de deslocar-me à Finlândia para tomar parte nas provas de selecção.


Capaz de treinar para os objectivos que tracei

Orientovar – Até quando vamos vê-la a fazer Orientação ao mais alto nível? E depois disso?

Riina Kuuselo – Vou treinar, pelo menos, para o WOC 2013 em Voukatti, na Finlândia e depois, muito provavelmente, regressarei ao trabalho e terei filhos. O WOC 2015 interessa-me um pouco, visto disputar-se na Escócia, mas não posso dizer ainda nada acerca disso.

Orientovar – Estamos em Dezembro e, a terminar esta nossa conversa, pedia-lhe um voto para o próximo ano.

Riina Kuuselo – Espero continuar bem e ser capaz de treinar para os objectivos que tracei.


[Saiba mais sobre Riina Kuuselo no seu blogue, em http://riinakuuselo.blogspot.com/]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: