quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

CAMPEONATO SUL-AMERICANO DE ORIENTAÇÃO 2011: IMPRESSÕES (V)




Mais um ano chega ao fim e eu ainda continuo sem ser “bi” [campeã sul-americana]... he he he. Posso afirmar que fiz uma boa preparação e um óptimo treino para essa competição que sempre considerei muito importante. As minhas esperanças de conquistar o titulo quase acabaram quando descobri que Lena Eliasson viria para a competição, mas ao mesmo tempo fiquei feliz por ter uma atleta de tão alto nível competindo com nós. A sua presença é uma motivação a mais para as atletas brasileiras. Contento-me com o terceiro lugar e já pensando em dedicar-me ainda mais para chegar ao lugar mais alto do pódio no ano que vem. Em relação à organização do Campeonato Sul-Americano 2011, não esteve a contento, pois houve vários problemas que já foram citados por outros atletas, mas a área escolhida para a competição foi óptima, muito exigente do ponto de vista técnico e também físico.
Mirian Ferraz Pasturiza, 3º lugar D21E


O Campeonato Sul-Americano 2011 acabou. Não como desejei, pois trabalhei duro ao longo dos últimos meses, melhorei muito minha performance fisica, graças ao meu técnico João Albano, mas faltou-me o trabalho técnico e daí o meu resultado, o 9º lugar geral no Campeonato. Contudo estou feliz. À organização, em particular à Equipa que organizou o Campeonato Sul-Americano deste ano 2011, dou os meus parabéns. Não tenho experiência quanto a organização em eventos desse porte, porém, desde o ano de 2005 quando comecei a praticar Orientação e pela qual sou apaixonado e vivo, até hoje deu para ter um pouco de noção quanto ao assunto "organização". Todos nós, os que participámos no evento, temos algo a elogiar e algo a reclamar. De facto precisamos melhorar...

No Brasil e no Mundo, todos os serviços prestados aos clientes têm sempre no seu último processo de fabrico e exposição ao utilizador final um rigoroso trabalho de Controlo de Qualidade (CQ) que permite que o produto chegue as prateleiras quase na perfeição...Talvez esse CQ esteja faltando no processo final de entrega dos mapas aos "clientes-atletas” aqui no Brasil. Posso citar dois exemplos do factor organizacional deste Campeonato, um positivo e outro negativo. Positivo, tenho que " tirar o chapéu" ao Cartógrafo e Traçador de Percursos, pois conseguiram criar um obra de arte no terreno, um lugar super difícil, pesado, e eles conseguiram deixar perfeito, fiquei encantado. Negativo, o facto de estarmos no período de Verão em quase todo o país - na região sul, onde foi o evento, não é diferente -, com os traçados dos mapas muito duros e com desníveis considerados pesados, inclusive para as categorias Elite, faltaram-nos pontos de água. Nos percursos Médio e Longo a carência número um foi a ausência de ÁGUA, no Médio não teve ponto de água e no Longo teve um, mas alguns tiveram a sorte de chegar ao local assinalado no mapa e encontrar, outros não. Nada! De facto, houve mesmo alguns atletas que desistiram devido ao factor desidratação. Gostaria de mencionar o meu respeito aos organizadores de eventos como este que ocorreu entre os dias 08 e 11 de Dezembro de 2011 e também fazer notar que as minhas palavras descritas neste texto não sugerem o encerramento das portas a estes homens corajosos e heróis, mas tão somente evidenciar que as criticas do presente servem para um aperfeiçoamento no futuro. Enfim, acredito na Orientação do meu país.
Robson Rengifo, 9º lugar H21E


Este foi o meu primeiro Sul-Americano na categoria Elite e confesso que fiquei muito nervosa, as minhas pernas tremiam a cada partida. Posso dizer que os mapas estavam muito bons, bastante técnicos. Cometi alguns erros por falta de confiança e habilidade técnica, mas valeu a experiência, pois em cada percurso feito houve uma enorme aprendizagem que não foi só adquirida por mim, mas com certeza por todos. Foi muito gratificante fazer parte deste belíssimo evento que reúne tantas culturas e onde se falam tantas línguas. Essa troca de experiências e novas amizades que se faz é um troféu que levo para a minha vida. Sinto-me muito feliz e realizada com o resultado de 5º lugar, conquista esta graças à persistência, determinação, apoio e o incentivo de amigos e de pessoas queridas que estiveram sempre do meu lado torcendo por mim e dando-me muita força. Tal como noutros Campeonatos, este não foi perfeito. Ouvi muitas críticas e reclamações que a meu ver deverão ser analisadas e estudadas para não se repetir,em concretizando com isto a evolução deste maravilhoso desporto. Espero evoluir neste Novo Ano que se aproxima e isto desejo também a todos, com o objectivo de cada um contribuir para o desenvolvimento da Orientação no Brasil.
Elaine Lenz, 5º lugar D21E


Fazendo uma análise em termos pessoais, o percurso da estafeta era muito difícil, o que de certa forma nos dava confiança tendo em vista o nível técnico do meu trio. Terminámos em terceiro lugar, mas passámos durante a prova pelo primeiro e segundo lugar. Ficámos muito felizes, pois foi a primeira vez que o trio do Natura CO subiu ao pódio este ano. A prova de Sprint foi uma prova muito boa, de alto nível dos percursos e bom traçado mas senti dificuldades na parte física e acabei em nono lugar. Por não ter passado à final, não tive problemas com pontos repetidos. A prova de Distância Média era extremamente difícil e tive sorte de não cometer erros graves, no entanto o relevo não possibilitava a corrida e a progressão e como tenho preferência por rotas pequenas, não desviei para os caminhos. Fiquei em nono novamente. A prova de Distância Longa não era tão difícil quanto a anterior, mas apresentava um desnível muito acentuado. Infelizmente, o desgaste físico não me possibilitou completar a prova. Abandonei a mesma no ponto 8 de 26 com uma hora de percurso.

Em termos organizativos, fiz parte da organização do evento de forma indirecta, pois alguns dos atletas do meu clube foram solicitados para compor a equipe. A Cartografia estava bem, no entanto é preciso ter mais cuidado com o uso do GPS para marcar os pontos dentro da floresta. O mínimo de erro do instrumento faz com que o azimute numa área de floresta densa fique prejudicado, facto que ocorreu com o ponto da Elite masculina no WRE. Os percursos, na grande maioria, estavam além das possibilidades de cada categoria, mostrando que o Traçador tem experiência em traçar percursos para Elite. Em relação ao restante da competição, o pequeno número de organizadores fez com que faltassem acções para o bem estar dos atletas (água, lista de partidas, resultados, instalações...), porém tenho a certeza que isso será levado em consideração nas competições que ocorrerão em 2012. O Campeonato Sul-Americano mudou de local repentinamente e isto teve um custo para todos os organizadores e participantes.
Sara Weis, 11º lugar D21E



[Fotos gentilmente cedidas por António Carlos Silva, extraídas do Álbum em https://picasaweb.google.com/100370412801553008243/SulamericanoDeOrientacao201102]


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: