terça-feira, 29 de novembro de 2011

JOSÉ ANGEL NIETO POBLETE: LANÇAR A SEMENTE E COLHER OS FRUTOS




Vice-Presidente da Federação Espanhola de Orientação e Secretário-Geral da Taça dos Países Latinos, José Angel Nieto Poblete acaba de cumprir um longo périplo pelo Uruguai e Paraguai. E se no primeiro caso, o acompanhamento do bom trabalho que se está a desenvolver permite apreciar alguns suculentos frutos, já no tocante ao Paraguai este foi o “lançar da semente”. Com “um abraço para os leitores do Orientovar”, eis aqui o resultado duma sempre cativante conversa.


Orientovar - Foi o Supervisor IOF dum evento de carácter internacional levado a cabo pela primeira vez no Uruguai. Que balanço faz do 1st International Maldonado O'Meeting?

José Angel Nieto Poblete – Bom, aproveitei o Meeting Internacional para fazer uma avaliação de como se encontra o Uruguai do ponto de vista organizativo, tendo em conta os compromissos que abraçou. Deu para perceber que têm realmente capacidade organizativa e pessoas empenhadas, embora haja que melhorar em muitos aspetos e os meus esforços irão nessa direção. Estou satisfeito com o trabalho que realizaram mas, a partir de agora, todos vamos exigir mais de nós próprios. No tocante às atividades paralelas levadas a cabo, creio que não poderá haver melhor balanço do que aquele que é feito pelos participantes nas atividades desenvolvidas: O Curso Internacional de Supervisores – com alunos do Brasil, Argentina, Uruguai, Chile e Guatemala -, o Clinic de Cartografia e a introdução à Orientação de Precisão. A avaliação dos alunos foi muito boa e é isso que conta para nós.

Orientovar - O trabalho de Supervisão, neste caso concreto, teve o mesmo grau de exigência duma prova da Liga Espanhola, por exemplo, ou sentiu a necessidade de ser condescendente com eventuais limitações organizativas?

José Angel Nieto Poblete – Evidentemente que não. Deixei trabalhar, dediquei-me a ver atentamente aquilo que se ia passando, precisamente por ser esta uma estreia e consciente do muito que há por fazer. A partir de agora agirei de forma crítica e construtiva, esperando com isso que consigamos progredir depressa e bem.


Há que proceder a alguns retoques organizativos

Orientovar – Desse trabalho de acompanhamento, consegue perceber quais as grandes dificuldades com que a organização se deparou?

José Angel Nieto Poblete – A organização deve trabalhar no sentido de rentabilizar o tempo dedicado ao evento, sobretudo nos últimos dias. Por outro lado, deveremos procurar terrenos com mais qualidade e tirar daí o máximo proveito. Quanto ao resto, em traços gerais, há que proceder a alguns retoques organizativos.

Orientovar - Qual o actual momento da Orientação no Uruguai?

José Angel Nieto Poblete – Depois de ter percorrido cerca de 2/3 do País, num total aproximado de 3000 quilómetros, posso dizer que, nalguns aspetos, aquilo que sucede no Uruguai me faz recordar as situações que, há não muito tempo, vivíamos em Espanha e em Portugal. Após esta estadia, auguro um grande futuro para a Orientação no Uruguai, não apenas porque estão trabalhando ao nível duma Federação (destaco sempre o seu Vice-Presidente, Víctor Pérez), mas também do ponto de vista Institucional. Os delegados departamentais de desportos sabem em primeira mão todo o envolvimento e a evolução do projeto para a Orientação no Uruguai, depois de ter feito uma exposição no Congresso de Diretores Departamentais de Desportos, em Artigas. Fui a única pessoa estranha ao Congresso convidada para falar, o que denota um grande interesse e um grande futuro. Aliás, encarando de frente o futuro, estou certo que iremos conseguir encurtar rapidamente as distâncias no tempo, visto termos hoje à nossa disposição os mecanismos necessários para o fazer.


No Paraguai trata-se de introduzir a Orientação

Orientovar - Campeonato Sul-Americano de Orientação e Taça dos Países Latinos são os dois próximos grandes desafios organizativos do Uruguai. O que podemos esperar destes eventos?

José Angel Nieto Poblete – Até à realização dos eventos, temos muito trabalho pela frente. Mas vamos conseguir. Espero que quando se dispute a Taça dos Países Latinos, em 2013, todos se esqueçam de onde nos encontramos. Estou convencido – porque essa é a ilusão de todos – que teremos uma competição de alto nível em todos os aspetos.

Orientovar - Após um mês de estadia no Uruguai, que objectivos o levaram a rumar ao Paraguai?

José Angel Nieto Poblete – No Uruguai, estabelecemos um projeto de desenvolvimento do nosso desporto. Ao contrário, no Paraguai trata-se de introduzir a Orientação, visto não haver nada. O trabalho centrou-se na introdução em duas grandes cidades e em dois grandes grupos de pessoas que possam levar a cabo essa tarefa de desenvolver a Orientação. Uma em Asunción e outra em Ciudad del Este, por intermédio do Congresso Nacional dos Desportos.


Todos tinham uma ideia errada sobre a Orientação

Orientovar - Sei que teve um longo tempo de antena para falar de Orientação no Congresso Nacional do Desporto do Paraguai. Quer fazer-me um balanço da sua intervenção e se conseguiu perceber algum interesse no lançamento em bases sólidas do nosso desporto nesse País?

José Angel Nieto Poblete – Numa apresentação que se estendeu ao longo de seis horas, o interesse demonstrado pelos participantes no Congresso foi extraordinário. No início da minha intervenção, fiz questão de dizer à plateia que aquilo que lhes iria apresentar não tinha rigorosamente nada a ver com aquilo que eles pensavam que iam ouvir e aprender. E de facto assim foi. Todos tinham uma ideia errada sobre a Orientação. E, felizmente para todos, as ideias ministradas no decurso da Conferência superaram em muito as expectativas. Também providenciei um mapa das proximidades do local onde decorreu o Congresso, um campo com instalações desportivas. Tracei-lhes um percurso simples, mas perfeitamente fiel às normas de qualquer competição. Ficaram entusiasmados e com uma ideia clara do que é a Orientação. Estou convencido de que voltarei no próximo ano para dar mais um avanço neste projeto. De facto, antes de seguir de novo para o Uruguai – de onde estou a regressar a Espanha – reuni-me com as autoridades máximas do Paraguai em matéria desportiva (Secretaria de Estado dos Desportos), fiz-lhes ver todas as potencialidades da nossa modalidade e aquilo que tem para oferecer. Veremos o que o futuro nos reserva.




[Fotos gentilmente cedidas por José Angel Nieto Poblete]


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

1 comentário:

LUCIA IRMA BENITEZ MARTINEZ disse...

Enhorabuena por el gran esfuerzo hecho por todos de llevar un nuevo deporte de competitividad a Paraguay, esperando asi de poder organizar una competicion a nivel regional y arrancar con fuerzas para el nivel internacional del cual todos somos capaces de llegar,pero con la ilusion de llegar a una integracion deportiva y a la vez cultural tanto asi como de amistad.ENHORABUENA Y ADELANTE!!!