sexta-feira, 30 de setembro de 2011

PELO BURACO DA FECHADURA: II ORI-BTT DE IDANHA-A-NOVA




Quando os ponteiros assinalarem o meio-dia de amanhã, será dada a partida para a segunda edição do Ori-BTT de Idanha-a-Nova. Venha orientar-se neste importante evento promovido pela ADFA – Associação de Deficientes das Forças Armadas e pela Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, aqui espreitado pelo buraco da fechadura.


“O óptimo relacionamento da ADFA com o Município de Idanha-a-Nova, o impacto que estes eventos têm vindo a causar nos locais, o excelente retorno dos atletas neste I Ori-BTT de Idanha-a-Nova, associados às magnificas condições existentes para a prática da modalidade, levam-nos já a equacionar o II Ori-BTT para a próxima época.” Era com estas palavras que Alexandre Reis fazia o rescaldo da primeira edição do Ori-BTT de Idanha-a-Nova, levado a cabo em 24 e 25 de Outubro de 2009 [ver Orientovar de 26.10.2009, AQUI]. Pois bem, das palavras aos actos houve todo um longo caminho a percorrer, mas a verdade é que a ADFA soube encontrar os meios necessários para colocar de pé esta que será a penúltima prova de Taça de Portugal de Orientação em BTT 2011, para o gáudio e prazer dos amantes da velocipedia orientada.

Distribuído por duas etapas – Distância Longa no primeiro dia e Distância Média no derradeiro -, o II Ori-BTT da Idanha-a-Nova terá em Crispim Júnior o Director da prova, devidamente coadjuvado por uma vasta e abnegada equipa onde se destaca uma vez mais o nome de Alexandre Reis, na qualidade de Director Técnico da Prova e de Traçador dos Percursos. A Supervisão da prova encontra-se a cargo de Fernando Feijão.


Praticantes precisam-se!

A Taça de Portugal de Orientação em BTT 2011 caminha rapidamente para o final – depois de disputada esta prova, ficará a faltar apenas o III Ori-BTT do Ginásio – e os rankings encontram-se praticamente definidos no que aos respectivos vencedores diz respeito. Este é um dos motivos pelos quais o número de inscritos volta a ser confrangedoramente baixo, já que o número de participantes nos 17 escalões de competição não irá além dos 142 (na primeira edição, o número de participantes ultrapassou francamente as duas centenas), aos quais se juntam 12 atletas nos escalões de Promoção. Outro dos motivos será a distância que separa Idanha-a-Nova dos grandes centros, mas só pelo arejo da vista e pelo ar que se respira já valerá a pena a deslocação. Mas voltando "à vaca fria", estes são realmente índices de participação efectivamente muito baixos, ainda que em linha com o que vem acontecendo ao longo da época, onde a quebra de participação em relação à temporada anterior ronda os 26%. A aposta na Orientação em BTT com a realização de OriJovens, o aparecimento de valores de nível mundial como é o caso de Davide Machado e esse grande investimento na promoção da modalidade que foi o Campeonato do Mundo de Montalegre, no Verão de 2010, são aspectos que, pelo menos aparentemente, não estão a surtir o efeito desejado. Instalada que está uma séria crise de praticantes, as organizações não encontram a necessária compensação para um esforço cada vez maior e a modalidade vai enfrentar grandes dificuldades se não se encontrarem as necessárias medidas para inverter o rumo dos acontecimentos. Vale a pena reflectir nisto!

Quanto aos rankings de Elite, Davide Machado (.COM) e Susana Pontes (CPOC) garantiram já a vitória, pelo que a sua presença em Idanha-a-Nova é um factor de valorização do espectáculo e a afirmação do seu amor à modalidade. Em H20, Mac-Mahon Moreira (BTT Loulé/EAFIT/BPI) é igualmente o virtual vencedor do escalão mas não marcará presença nesta prova, deixando a vitória aberta a Cristiano Silva (GD4C), outra das grandes revelações da temporada. Paul Roothans (CN Alvito) é já o vencedor do escalão H17, disputando com o seu colega de equipa Hugo Palhais a vitória em Idanha. Nuno Pedro (CAOS), Roberto Ribeiro (COA) e Luísa Mateus (COC) vão querer mostrar o porquê de liderarem os respectivos rankings de H21A, H35 e D45 e são naturais candidatos à vitória neste Troféu. Mário Duarte (ADFA), em funções organizativas, Rita Gomes (BTT Loulé / EAFIT / BPI) e Armando Santos (Clube EDP) são os virtuais vencedores dos rankings nos escalões D35, H45 e H55 e ausências notadas nesta prova. Quanto a Luís Sousa (Clube TAP), virtual vencedor do escalão H50, fará uma perninha em H35 para mostrar o muito que ainda vale. Finalmente, a indecisão quanto ao vencedor promete arrastar-se até ao derradeiro segundo no disputadíssimo H40. Mário Marinheiro (CP Abrunheira) e Rui Botão (CPOC) travam um duelo cerrado pelo triunfo, com o primeiro a apresentar uma vantagem de 15 pontos exactos sobre o segundo. A diferença parece difícil de transpor, mas tudo pode acontecer.

Saiba tudo sobre o II Ori-BTT de Idanha-a-Nova em http://www.adfa-evora.com/bttidanha/home.html


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: