sábado, 24 de setembro de 2011

O MEU MAPA: PAULO FERNANDES, ENTRE PALMELA E PEDROCHE




Ter de escolher "um mapa" não é tarefa fácil. Assim, escolhi dois... : )

O primeiro era inevitável. Foi no mapa da Vila de Palmela, em 3 de Setembro de 2005, data do I Troféu de Orientação das Vindimas, ainda sob a organização do meu clube "Associação de Atletismo Lebres do Sado", nomeadamente o núcleo de Palmela da Secção de Orientação, onde me iniciei nestas aventuras de bússola numa mão e de mapa na outra.

Foi após um passeio de BTT pelo concelho do Barreiro, organizado pelo CAB (Clube de Aventura do Barreiro), que ouvi o Prof. António Neves a falar de mapas e de Orientação. Tive assim conhecimento da realização da prova no sábado seguinte, onde o "Lebre" António foi o traçador dos percursos sobre o mapa cartografado pelo Luis Sérgio (com a escala de 1:3000 e equidistância de 5 m, o Mapa de Palmela representa um terreno urbano com algum desnível, integrando o Castelo, o Parque Venâncio Ribeiro da Costa e o centro histórico de Palmela).

Foi desta forma, um pouco por acaso - e após passar alguns anos pelo Técnico mas em que não tive conhecimento das actividades de Orientação e Aventura aí praticadas pela Secção de Desporto da Associação de Estudantes - que experimentei a modalidade num percurso Fácil Longo, desenhado num intrincado conjunto de ruelas, becos e escadinhas e onde ainda recentemente tive o prazer de descobrir alguns recantos e pormenores interessantes. Terminei em 4º lugar e fiquei bastante satisfeito com esta primeira experiência.

Mas só quatro meses depois regressei aos mapas... no III Troféu das Lebres do Sado, organização conjunta das Lebres do Sado e do CAB a contar para a Taça FPO Sul, no dia 21 de Janeiro de 2006 na minha terra - o Barreiro, onde participei no escalão Difícil Longo. A prova foi composta por duas etapas. A primeira etapa foi realizada no bonito Mapa da "Mata da Machada" (dos cartógrafos Francisco Pereira / José Batista, à escala 1:10 000, de Janeiro de 2005); e a 2ª etapa aconteceu no recentemente inaugurado "Parque da Cidade" (do cartógrafo Camilo Mendonça, à escala 1:2 500 de 2001 e actualizado em Maio de 2004) um verdadeiro Oásis Verde localizado no centro da minha cidade.

Neste dia especial realizei ainda a minha inscrição como associado do Clube e formalizei a minha entrada junto da FPO como atleta federado, sendo-me atribuído o Nº 3727.

Mas, regressando a Palmela, nestes sete anos participei em todos os Troféus - sempre integrados no programa das Festas das Vindimas. Logo a partir do III Troféu iniciei a minha presença regular no pódio com um 2º lugar no percurso de "Estafetas Adultos", na companhia do meu amigo Élder Guerreiro.

Nas últimas quatro edições os resultados também têm aparecido a nível individual, coroando o momento especial que é, ano após ano, o regresso ao "Meu Mapa". Após três terceiros lugares no escalão "Veteranos Masculinos", em 3 de Setembro de 2011 terminei na segunda posição, honrosamente acompanhado no pódio pelo DTN António Aires (1º lugar) e pelo "atleta Galês mais Português" Norman Jones (3º lugar). Mais uma vez este ano a presença da Rainha das Vindimas, da Miss Simpatia e das duas Damas de Honor, ajudaram a dar ainda um maior colorido à cerimónia final de entrega de prémios.


A minha escolha para o "meu" outro mapa é também incontornável, e recai sobre o Mapa de "El Bramadero", utilizado no "X Trofeo Internacional Diputación de Córdoba", organizado pelo Club Califas de Orientación. A prova foi disputada junto da localidade de Pedroche - Córdoba (Espanha), em 16 e 17 de Outubro de 2010 e encerrou a longa época da Taça de Portugal de Orientação Pedestre da época 2009/2010 (nota: o mapa apresentado corresponde à mesma cartografia base, mas sobre a distância longa do percurso HE).

Foi neste mapa que julgo ter realizado a prova "mais limpa" que fiz até hoje, no percurso de Distância Longa disputado no sábado. Nesta primeira etapa (distância 6,0 km, desnível 120 m e 18 pontos de controlo) realizei o melhor tempo do escalão H35B, equivalente ao escalão português Veteranos Masculino B, com 52m48s e 4m58s de vantagem (!!!) sobre o segundo classificado.

Já na segunda etapa, num percurso de Distância Média sobre o mesmo mapa (distância 3,5 km, desnível 100 m e 16 pontos de controlo), soube gerir da melhor forma a vantagem amealhada de véspera e concluí em 8º lugar com o tempo de 34m40s.

O resultado final não podia ser melhor, pois correspondeu à minha primeira vitória numa prova da Taça de Portugal (vencendo os 5 Portugueses presentes e ainda 23 Espanhóis!!!, terminando com uma boa vantagem de 1m58s). No entanto não tive a felicidade de subir ao pódio e saborear o momento, pois eu e os meus bons amigos de viagem (Nuno, Élder, Amorim e Cramez do Ori-Estarreja; Daniel e Nuno do Coala) tinhamos ainda uma longa viagem de regresso às nossas casas em Portugal e não pudemos assistir à cerimónia de entrega de prémios.

Foi também com esta prova de encerramento da época que confirmei e conquistei o 3º lugar do ranking do meu escalão Veteranos Masculinos B na Taça de Portugal de Orientação Pedestre. Não posso deixar de dar um abraço de amizade ao atleta Miguel Barradas do CPOC (vencedor da etapa de domingo) com quem discuti até à última etapa da última prova, ao último metro e ao último segundo o último lugar do pódio no ranking da época, o que ajudou sobremaneira a valorizar a minha conquista (a diferença traduziu-se em somente 2 décimas na média total de pontos, 91.6 pontos vs 91.4 pontos!!!), secundando os valentes atletas Carlos Lobo do Clube EDP (Campeão) e Sérgio Mónica do Cimo (Vice-Campeão).

Para a actual época, já no ainda mais competitivo escalão H21B, a fasquia não podia estar mais elevada. Encontro-me actualmente no 1º lugar do ranking da época (muito ajudado pela perda de 15 kg no meu peso corporal!!!, resultado directo do meu investimento em treinos - 2 a 3 vezes por semana; e em provas - nomeadamente 2 Ultramaratonas de 100 km, várias provas de Trail em montanha, várias Meias-Maratonas e a Maratona do Porto), passando o meu único objectivo pela conquista do escalão no final da época.

Para terminar deixo um agradecimento especial a todos os Orientistas - enquanto atletas mas sobretudo como pessoas, pela sua amizade e pela forma saudável de praticar desporto no seio da Natureza; à minha "família" das Lebres do Sado por todo o apoio e amizade que me tem proporcionado ao longo destes sete anos; e ao meu amigo Joaquim Margarido por mais esta oportunidade que me proporcionou de partilhar com toda a comunidade Orientista as minhas melhores recordações deste desporto fantástico.



Abraço,

Paulo Fernandes
(Barreiro, XXIV-IX-MMXI; FPO 3727, Lebres do Sado)

2 comentários:

PFernandes disse...

Boas,

Bem, espero que o único comentário possa não ser só o meu... : )

Vamos lá, digam qualquer coisa sobre os mapas que eu escolhi, as vossas experiências pessoais nestes locais e, porque não, algum comentário ao texto ou a mim próprio (espero que positivo)!

Deixo uma palavra especial a todos os meus amigos, aos meus companheiros de treino que me "obrigam" sempre a melhorar, a todos os meus adversários nestes 7 anos de Orientação e em especial para todos os que comigo têm partilhado esta forma fantástica de viver a vida praticando desporto!


Saudações Orientadas,
Paulo Fernandes

xx disse...

Esse mapa de Palmela, embora já o faça à 7 anos continua-me a pregar rasteiras, somando às que eu faço a mim mesmo, dá sempre como resultado os meu grandes tempos. Mas melhor ainda é o convívio que tenho com a tua pessoa, com a natureza e com todas as pessoas praticantes deste desporto que é a orientação.
Que eu vos veja, por muitos mais anos.