sábado, 17 de setembro de 2011

A MINHA ESCOLA: ESCOLA BÁSICA DOS 2º E 3º CICLOS / SECUNDÁRIO DE BAIÃO



Mais um ano lectivo tem início um pouco por todo o País e a rubrica “A Minha Escola” regressa ao espaço do Orientovar. Hoje viajamos para o interior do Distrito do Porto, ao encontro da simpática vila de Baião e da sua Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos, com Secundário. As portas abrem-se pelas mãos do Professor Luís Geada, dando-nos a ver um pouco da realidade do seu Grupo-Equipa de Orientação.


A Escola Secundária de Baião foi fundada em 1984 e iniciou a sua actividade, como Escola-Sede do Agrupamento de Escolas do Vale de Ovil, em 1999. Neste Agrupamento encontram-se integrados o Jardim de Pranhô, a Escola Básica do 2º, 3º Ciclos e Secundária de Baião e, desde o ano lectivo 2008/2009, o Centro Escolar, um espaço de qualidade com todas as condições para que os alunos melhor aprendam e cresçam. Em Março de 2011, a escola Sede, E.B. 2,3/S de Baião, foi deslocalizada para a "Casa de Chavães", em virtude de a Parque Escolar estar a realizar uma intervenção de fundo naquela que era a “casa-mãe” desde 1985.

É aqui que vamos encontrar o Professor Luís Geada e o Grupo-Equipa de Orientação da EB 2,3 / S de Baião. Luís Guilherme Mendes Alves Geada nasceu em Mafamude (Vila Nova de Gaia), em 27 de Outubro de 1970. Licenciado em Desporto e Educação Física pela Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade do Porto, lecciona na Escola EB 2,3 / S de Baião desde o ano lectivo de 1996/1997. Foi o Professor Responsável pelo Grupo-Equipa de Basquetebol ao longo de doze temporadas (1996/1997 a 2007/2008) e é desde 2008/2009 o Professor Responsável pelo Grupo-Equipa de Orientação.


Todos os alunos da Escola tomaram contacto com a Orientação de Precisão

Orientovar - Quantos elementos compõem o Grupo-Equipa de Orientação da Escola Secundária de Baião?

Professor Luís Geada - O Grupo-Equipa de Orientação é constituído por 22 alunos, mas o número daqueles que têm possibilidade de treinar assiduamente anda na casa dos quinze. Entre estes inclui-se uma atleta muito especial, a Diana Coelho, que faz Orientação de Precisão. Esta é uma disciplina que merece da parte da Escola Secundária de Baião um carinho especial, muito por intermédio do Serviço de Medicina Física e de Reabilitação do Hospital da Prelada. Acarinhamos a Diana porque, para além das qualidades humanas que ela possui, pensamos que em termos desportivos poderá ser uma atleta que poderá chegar longe na modalidade, caso venha a ser implementado o Quadro Competitivo de Orientação de Precisão a nível nacional.

Orientovar – E hoje já todos os alunos da Escola sabem o que é a Orientação de Precisão?

Professor Luís Geada – Sim. Há dois anos consecutivos que assinalamos na Escola o Dia Internacional da Pessoa Portadora de Deficiência, com o apoio do Grupo Desportivo dos Quatro Caminhos, do Serviço de Medicina Física e de Reabilitação do Hospital da Prelada, da Câmara Municipal de Baião e da Associação de Pais da própria Escola. Por essa via, todos os alunos da Escola tomaram contacto com a Orientação de Precisão, havendo mesmo a participação directa do Grupo-Equipa de Orientação e das turmas que, nesse momento, estavam a ter aulas de Educação Física. Todos tomaram conhecimento duma forma diferente de fazer Orientação, onde o que interessa não é saber correr mas fazer a análise e a interpretação correcta de cada ponto e depois a escolha da resposta acertada.


Temos o dever de ser inclusivos

Orientovar – Do ponto de vista social, que importância tem esta forma de integração das duas disciplinas no contexto do Grupo-Equipa da própria Escola?

Professor Luís Geada – Na nossa Sociedade, hoje em dia vivemos praticamente de costas voltadas uns para os outros. As Escolas têm de ser o despoletar duma nova perspectiva, duma nova forma de ver as coisas. Temos o dever de ser inclusivos, não apenas voltando-nos para os que são mais necessitados mas para nós próprios, já que muitas vezes o principal obstáculo somos nós, com os nossos preconceitos. Promovendo estas iniciativas, a Escola contribui para uma tomada de consciência colectiva de que todos somos diferentes, mas merecemos todos as mesmas oportunidades. Quando são dadas oportunidades em pé de igualdade – e é isso que está subjacente à Orientação de Precisão – os até aí menos capazes, afinal, até são tão capazes como os demais. E isto é o ponto de partida para dizermos às gerações vindouras que temos de olhar para todos da mesma maneira.

Orientovar – Que ambições tem para o Grupo-Equipa de Orientação da Escola Secundária de Baião?

Professor Luís Geada – Este ano gostava de levar pelo menos uma atleta feminina à fase competitiva nacional. Não é fácil porque competimos com atletas federados e já com muita experiência mas temos pelo menos duas atletas que já deram mostras de poder chegar longe. Se as coisas correram bem – e depende muito do caminho que o Desporto Escolar pode vir a tomar em tempo de crise -, esperamos conseguir federar alguns dos nossos alunos e, com o apoio dum clube, talvez consigamos ir um bocadinho mais além. Mas enquanto vamos participando nas provas, vamo-nos relacionando e aumentando a coesão entre o grupo e é isso que é o mais importante no Desporto Escolar.


Nos próximos anos o Desporto Escolar é uma incerteza

Orientovar – Por quanto tempo mais vamos vê-lo à frente do Grupo-Equipa de Orientação da Escola Secundária de Baião?

Professor Luís Geada – Enquanto tiver forças e enquanto houver essa possibilidade. Nos próximos anos o Desporto Escolar é uma incerteza. Há os apoios do Ministério da Educação , há a questão dos transportes envolvida, há questões relacionadas com equipamentos vários e o futuro é muito incerto. Enquanto for podendo contar com isso, cá estarei. A modalidade é aliciante, o espaço da Escola também nos convida e depois há interesses vários de fora da Escola que nos estimulam a que não deixemos cair a Orientação em Baião.



Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: