sexta-feira, 16 de setembro de 2011

EOC MTBO 2011: OS EUROPEUS DE ORIENTAÇÃO EM BTT EM ANTEVISÃO



A partir de amanhã e até ao próximo dia 25 de Setembro, a região de Leninegrado, junto ao Báltico, será palco da 5ª edição dos Campeonatos da Europa de Orientação em BTT. Um evento que o Orientovar irá acompanhar de perto e do qual faz hoje a necessária antevisão.


A região de Leninegrado, no noroeste da Rússia, recebe ao longo da próxima semana os Campeonatos da Europa de Orientação em BTT e a Final da Taça do Mundo de Orientação em BTT 2011. Numa região extraordinariamente bem preservada e com uma oferta paisagística e cultural única, aí está o derradeiro momento alto da temporada a colocar os maiores desafios a todos os grandes especialistas mundiais desta empolgante modalidade.

Organizado pela Federação Russa de Orientação e pela Federação Internacional de Orientação, o evento terá como epicentro a cidade de Roschino, situada a 120 quilómetros a norte da capital histórica da Rússia, São Petersburgo. Os dois primeiros dias serão dedicados aos Model Event de Sprint e Distância Média, com a competição propriamente dita a arrancar na segunda-feira, dia em que terá lugar a final de Sprint, nas imediações do castelo medieval de Vyborg. Terça e quarta-feira serão dias dedicados às finais de Distância Média e de Estafetas, respectivamente, enquanto na quinta-feira decorrerá a prova aberta de Estafeta Mista. A competição encerra na sexta-feira, dia 23 de Setembro, com a final de Distância Longa no sistema “Estafeta de 1 Atleta”.


Subsídios para a história dos Campeonatos

Os Campeonatos da Europa de Orientação em BTT conheceram a sua primeira edição em 2006, em Varsóvia. Numa edição que teve como Supervisor Internacional o russo Alexey Kuzmin – ele que é, precisamente, o Supervisor Nacional desta edição 2011 dos Europeus -, a Finlândia foi a grande dominadora ao alcançar duas vitórias individuais (Matti Keskinarkaus e Mika Tervala, respectivamente nas distâncias Média e Longa) e ainda a vitória nas Estafetas masculina e feminina. Christine Schaffner (Suiça) e Michaela Gigon (Áustria) arrecadavam os primeiros títulos europeus da sua carreira, respectivamente nas distância Média e Longa. Extra-competição, teve lugar uma prova de Sprint cujas vitórias sorriram a dois atletas helvéticos, Beat Schaffner e Christine Schaffner. O evento contou com a participação de 122 atletas em representação de 23 países e Portugal fez a sua estreia nos Europeus com uma representação muito jovem, composta pelos atletas Daniel Marques, Guilherme Marques, Cristiano Nuno e Ana Filipa Silva. O 27º lugar de Daniel Marques e o 31º lugar de Ana Filipa Silva são marcos desta participação, ainda que alcançados na “não-oficial” prova de Sprint. A sério, a sério, fica para a história o 53º de Daniel Marques na prova de Distância Média como o melhor registo português nesta edição dos Europeus.

No ano seguinte foi a vez da bela região italiana da Toscânia receber a segunda edição dos Campeonatos da Europa de Orientação em BTT. Uma vez mais a competição resumiu-se às finais de Distância Média, Distância Longa e Estafetas, com a prova de Sprint a disputar-se de novo a título “não-oficial”. Os finlandeses Mika Tervala e Päivi Tommola foram as grandes figuras destes Europeus, ao arrecadarem o ouro das provas individuais, ao qual Päivi Tommola juntou ainda a medalha de prata da Estafeta feminina (a Estafeta masculina finlandesa não foi além da 7ª posição). Suiça e França, respectivamente no sector masculino e feminino, levaram de vencida a final de Estafeta. Na competição extra de Sprint, a russa Ksenia Chernykh quedava-se com a vitória, enquanto no sector masculino despontava um nome hoje bem conhecido da senda internacional, o dinamarquês Lasse Brun Pedersen. Participaram nesta edição dos Europeus um total de 143 atletas, em representação de 22 países. A Croácia e a Espanha fizeram aqui a sua estreia na competição e Portugal marcou presença pela segunda vez, com uma equipa composta pelos atletas Miguel Tolda, Eduardo Sebastião, Susana Pontes e Ana Filipa Silva. Eduardo Sebastião, no 55º lugar, foi o nosso melhor atleta na Distância Longa enquanto na Distância Média a superioridade foi de Miguel Tolda, que concluiu no 58º lugar. Susana Pontes alcançou a 40ª posição em ambas as distâncias, sendo que esta classificação na prova de Distância Média é ainda (e sê-lo-á, pelo menos até 2013), o melhor resultado duma atleta portuguesa na distância em Campeonatos da Europa de Orientação em BTT.


O surgimento da Dinamarca

Em 2008, a terceira edição dos Europeus disputou-se em Nida, na Lituânia, onde marcaram presença um total de 128 atletas em representação de 19 países. A Ucrânia fez aqui a sua estreia, enquanto Itália e Israel constituiram ausências notadas pela primeira vez na história do evento. Lasse Brun Pedersen (Dinamarca) e Ingrid Stengard (Finlândia) foram as grande figuras desta edição dos Campeonatos da Europa, o primeiro arrebatando os títulos de Distância Média e Distância Longa, a segunda somando ao título de Distância Média o de Sprint, distância integrada oficialmente pela primeira vez no programa de competição. Mas porque “não há duas sem três”, refira-se ainda que ambos os atletas conquistaram a medalha de ouro das provas de Estafeta respectivas. Os restantes títulos europeus couberam ao austríaco Tobias Breitschädel (Sprint) e à lituana Ramune Arlauskiene (Distância Longa). Dinamarca, Lituânia e Estónia inscreveram pela primeira vez o seu nome num quadro de medalhas que até aí era preenchido pelas bandeiras de seis países apenas: Finlândia, Suíça, Áustria, Rússia, França e República Checa. Quanto à delegação portuguesa, teve em Daniel Marques o solitário representante. Um 51º lugar na prova de Sprint, um 50º lugar na prova de Distância Longa e um 40º lugar na prova de Distância Média foi um saldo, ainda que sofrível em termos absolutos, histórico a todos os títulos, já que representava na altura aquilo que de melhor um atleta português havia feito em três anos de presença consecutiva nos Campeonatos.

E chegou o ano de 2009, o último dum ciclo em que os Europeus se disputaram anualmente (de então em diante a periodicidade passou para anos alternados). Hillerød, na Dinamarca, foi o palco dos IV Campeonatos da Europa de Orientação em BTT, uma edição que contou com a participação de 144 atletas de 24 países, o que faz dela a mais participada de sempre. A jogar em casa, a Dinamarca foi a grande dominadora, garantindo à sua conta metade dos títulos em jogo. Rikke Kornvig venceu a prova de Distância Média feminina, enquanto no sector masculino, às vitórias de Erik Skovgaard Knudsen (Distância Média) e Lasse Brun Pedersen (Distância Longa), juntou a Dinamarca o triunfo na Estafeta. A Finlândia voltou a triunfar na Estafeta feminina (terceira vitória em quatro edições dos Campeonatos), ao passo que a austríaca Michaela Gigon (Sprint), e os russos Ruslan Gritsan (Sprint) e Nadiya Mikryukova (Distância Longa) foram os vencedores das restantes finais individuais. Portugal levou aos Europeus da Dinamarca a maior representação de sempre, com Paulo Alípio, Joel Morgado, Daniel Marques, Susana Pontes, Maria Amador e Ana Filipa Silva a darem excelente conta de si. O destaque vai para Daniel Marques, que suplantou tudo quanto havia sido feito anteriormente, alcançando o 17º lugar no Sprint, o 24º lugar na Distância Média e o 29º lugar na Distância Longa. Por sua vez, o 39º lugar de Susana Pontes na Distância Longa e o 42º lugar de Maria Amador na prova de Sprint, são também máximos absolutos nos Europeus. Finalmente, registe-se o 10º lugar na Estafeta masculina e o 13º lugar na Estafeta feminina (a primeira vez que Portugal classificou uma equipa nesta categoria) e temos uma edição histórica para as nossas cores em termos de resultados.


Portugal, Portugal, Portugal!

Finalmente Leninegrado e a quinta edição dos Campeonatos da Europa de Orientação em BTT. Desde já fica este dado referente ao número de inscritos e que é de 75 no sector masculino e de 34 no sector feminino, em representação de 20 países, o que fará dela a edição menos participada de sempre. Favoritos à vitória há-os para todos os gostos, como ficou demonstrado na recente edição dos Campeonatos do Mundo que tiveram lugar em Itália na segunda metade de Agosto. Parece claro que Samuli Saarela (Finlândia) e Rikke Kornvig (Dinamarca) vão querer demonstrar o porquê de serem os líderes do ranking mundial, da mesma forma que Erik Skovgaard Knudsen (Dinamarca) e Marika Hara (Finlândia) não vão querer deixar fugir a hipótese de vencerem a Taça do Mundo 2011. Mas o factor casa poderá pesar substancialmente e, no sector masculino, Ruslan Gritsan, Anton Foliforov e Valeriy Gluhov terão certamente uma palavra a dizer. Quanto ao sector feminino, há que contar com as sempiternas Michaela Gigon (Áustria) e Christine Schaffner (Suiça), sem perder de vista a finlandesa Ingrid Stengard ou a russa Ksenia Chernykh.

Propositadamente, deixamos para o final a delegação portuguesa. Tal como afirmáramos na antevisão dos Mundiais, também em relação aos Europeus temos grandes e fundadas expectativas num leque de resultados que prestigiem a nossa Orientação em BTT e elevem bem alto, uma vez mais, o nome de Portugal. Davide Machado é um verdadeiro ariete, num conjunto onde pontificam ainda a experiência de Daniel Marques e a garra de Carlos Simões. O quinto lugar obtido por Davide Machado na final de Distância Longa dos Campeonatos do Mundo, à qual se junta o sexto lugar na final de Sprint, não aconteceram por acaso. Actual 26º classificado do ranking mundial, Davide Machado combina os seus atributos físicos e técnicos de inegável valor com um sentido de presença e de saber estar nos momentos decisivos e que fazem dele um ganhador por excelência. É com estas armas que o nosso jovem atleta vai lutar, na certeza de que – aconteça o que acontecer – sairá sempre vencedor. Ainda que algo distante dos grandes momentos, Daniel Marques está mais forte do que há três semanas atrás nos Mundiais de Itália e terá igualmente uma palavra a dizer, sobretudo na prova de Sprint. Finalmente temos Carlos Simões, um atleta que vem crescendo dia após dia, vem ganhando experiência e está motivado para mostrar em Leninegrado aquilo que não conseguiu mostrar em Vicenza. A todos, reiteradamente, deseja o Orientovar as maiores felicidades.

Acompanhe a quinta edição dos Campeonatos da Europa de Orientação em BTT em http://www.o-worldcup.spb.ru/en/ ou aqui, no seu Orientovar.


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: