quarta-feira, 21 de setembro de 2011

EOC MTBO 2011: IMPRESSÕES (III)




Os 5º Campeonatos da Europa de Orientação em BTT caminham para o final e os nossos atletas mostram-se desiludidos com um conjunto de resultados absolutamente medianos. Hoje foi dia de Estafeta e aqui fica o balanço feito na primeira pessoa por Daniel Marques, Davide Machado e Carlos Simões.


As Estafetas foram hoje e estamos desiludidos com a nossa prestação. Sentimos que a sorte não está do nosso lado (poderíamos ter entrado no Top10 com alguma facilidade). Os mapas mais técnicos com pouca exigência física não são os mais favoráveis ao nossos atletas, nomeadamente ao Davide Machado que está a atravessar um momento de forma fantástico mas que ainda não conseguiu acertar com a Orientação em terrenos russos. Por outro lado, podemos afirmar que as nossas bicicletas não estão devidamente preparadas para este tipo de terrenos, a mistura de água com areia e lama é uma desgraça. Não há assistência mecânica nem lojas de bicicletas. Quanto ao meu percurso de hoje, cortei o pneu da frente em pedaços de vidro logo do ponto 3 para o ponto 4, tinha selante mas devido à natureza do corte fiquei sem pressão para andar correctamente de bicicleta. Fiz o que estava ao meu alcance para não perder muito tempo, tecnicamente fiz uma prova perto da perfeição, mas andei com uma velocidade muito reduzida e praticamente sem direcção na bicicleta. Infelizmente temos tido algum azar. Vamos esperar que a Distância Longa seja menos dramática.
Daniel Marques


Cometi alguns pequenos erros e hesitações, mas foi na parte mecânica da bicicleta que comprometi a prova. Tive problemas com o travão traseiro e com a corrente. No ponto de espectadores, a passar pela água, a mecânica da bicicleta encravou de tal forma que perdi quase dois minutos porque tive que tirar a roda traseira para resolver o problema. O público ficou animado a presenciar a minha avaria. Enfim, melhores dias virão.
Carlos Simões


Foi uma prova tipo Sprint (na zona mais técnica do mapa Distância Média), o mapa era 1:7500 e havia uma grande rede de caminhos. Depois do ponto de espectadores, perdi dois minutos porque falhei a entrada do single-track correcto. Estamos a ganhar experiência e não estamos habituados a estes terrenos. Espero que a Distância Longa esteja mais ao meu jeito.
Davide Machado



Apesar dos resultados abaixo das expectativas, Portugal desperta curiosidades e chama sempre a atenção nos grandes centros de decisão da Orientação mundial. Tanto assim é, que o “press release” publicado hoje pela organização dos Europeus 2011 dá um enorme destaque a Portugal, num artigo redigido pelo nosso querido Alexander Shirinian. O seu trabalho de cinco anos em Portugal foi fundamental para o lançamento das bases duma Orientação moderna e consentânea com os novos tempos e é ele que assume as despesas desta análise ao perfil da Orientação em BTT portuguesa. Curiosa é a questão que ele próprio coloca: “Porque é que não vemos os orientistas em BTT portugueses nos pódios europeus e mundiais?” A resposta não se faz esperar: Pouca experiência internacional, isolamento geográfico e, claro, a falta de condições financeiras. Está tudo em http://www.o-worldcup.spb.ru/files/2011-09-21-21-34-Press-release-3.pdf.


Mais informações, resultados completos e fotos em http://www.o-worldcup.spb.ru/en/.

[Foto e mapa gentilmente cedidos por Daniel Marques]


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

1 comentário:

Tiago Silva disse...

Infelizmente só hoje consegui ter tempo para vir ler como vos estava a correr o Campeonato da Europa,Espero que hoje vos tenha corrido melhor e que não desanimem!!

Forte abraço para todos ;)