domingo, 25 de setembro de 2011

EOC MTBO 2011: IMPRESSÕES FINAIS




Ponto final nos Campeonatos da Europa de Orientação em BTT 2011. Num derradeiro apontamento, aqui fica o comentário de Daniel Marques, atleta e chefe da delegação portuguesa presente na Rússia, à prestação dos nossos atletas e à forma como a competição decorreu.


A Federação de Orientação Russa organizou o Campeonato de Europa de Orientação em BTT de forma muito pragmática, optimizando todos os meios para os aspectos mais essenciais.

Dum ponto de vista geral a nota é positiva, havendo no entanto algumas falhas a registar:
  • Não houve o cuidado com a logística relacionada com o transporte dos atletas e das bicicletas para as zonas de competição;
  • Durante toda a competição não houve apoio mecânico para as bicicletas nem acesso a lojas e material de BTT;
  • A prova de Sprint ficou manchada pela falha do sistema SFR e pelo facto de o trânsito não estar cortado (conforme prometido pela organização);
  • O mapa da prova de Distância Média não foi impermeável o que deu origem, devido à chuva, a problemas relacionados com a degradação do papel. Na prática, houve atletas que se viram obrigados a perseguir os adversários porque ficaram sem acesso ao seu percurso;
  • Nas reuniões de 'team leaders' notou-se alguma descoordenação entre o Supervisor e o Director de Prova.
  • Em relação à comunicação e media, foi evidente que este capítulo não mereceu muita atenção por parte da organização, não houve público nem visibilidade da competição para a comunidade local.
  • As arenas foram bem estruturadas, excepto na Distância Longa onde não houve nem condições logísticas (WC, abrigos apropriados para a chuva...), nem interesse em termos de espectáculo pois a zona envolvente era muito fechada.
As qualidades mais em evidência deste evento foram a alimentação e o alojamento (o Hotel Raivola forneceu as condições ideais neste capítulo). A Festa do Banquete Final foi maravilhosa, com uma grande animação (bebidas, palco e disco à descrição), permitindo uma socialização muito activa entre todos os países.

Os mapas/terrenos foram uma mais-valia devido à sua enorme dificuldade técnica.

A comitiva portuguesa tem que dar uma palavra de agradecimento ao Alexander Shirinian, pelo imenso apoio prestado na resolução de todos os nossos problemas burocráticos e ainda pela amabilidade de nos guiar numa visita cultural por São Petersburgo.

No que respeita aos resultados houve alguma desilusão, principalmente porque não se correspondeu às expectativas. Penso que foi uma experiência muito positiva e enriquecedora para o Davide Machado e para o Carlos Simões, mas principalmente para o Davide Machado que falhou na vertente técnica. Mas deve ter-se a devida consciência que estes terrenos e a respectiva cartografia são muito diferentes daquilo a que estamos habituados e, em contra-pé, os nossos adversários estavam devidamente adaptados a este tipo de floresta. Não estivemos bem na orientação mas, a partir da análise dos nossos erros, aprendemos muito sobre a forma como fazer Orientação nestas terras.

Por último, uma palavra de agradecimento ao Orientovar, à Federação Portuguesa de Orientação e a todos os amigos e família, pela forma e entusiasmo como nos apoiaram nesta aventura na Russia.

Daniel Marques


Toda a informação, resultados completos e fotos em http://www.o-worldcup.spb.ru/en/.

[Imagens extraídas da galeria do evento em http://fotki.yandex.ru/users/o-sport-ru/]


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: