segunda-feira, 5 de setembro de 2011

7º ORI-BTT DO CPOC: O BALANÇO DE TIAGO FERNANDES




No “lavar dos cestos” deste 7º Ori-BTT do CPOC, aqui ficam, as declarações de Tiago Fernandes, o Diretor de Prova.


Esta foi a quarta época consecutiva que assumi a Direção de uma prova de ORI-BTT do CPOC. Em termos pessoais, a prova marca o fim de um ciclo intenso no CPOC, primeiro como membro da Direção, depois como Diretor de Prova, depois de Presidente da Direção e encerra-se com esta Direção de Prova. Pelo meio houve ainda muita dedicação a organizações de Orientação fora do CPOC, casos do WMOC em 2008 e do WOC MTBO o ano passado, pelo que é agora tempo de descansar e deixar que outros continuem o que penso ter conseguido também, deixar como exemplo, quer dentro do meu clube como em geral para a Orientação. Será tempo de voltar a apenas desfrutar e não ter mais preocupações com organizações.

Quanto ao 7º Ori-BTT do CPOC, veio demonstrar bem a crise que atravessamos, com muito baixa participação para uma prova perto de Lisboa, grandes dificuldades burocráticas com o licenciamento e autorizações, elevados custos de organização e nenhum apoio monetário recebido. Com isto ficou provado que desta forma são os clubes que, com outras receitas, estão ainda a manter a Orientação viva. Mas não poderá ser assim por muito tempo, pois sem quaisquer retornos não é possível continuar a organizar. Desejo que este tempo seja curto, para bem desta modalidade que tanto vibramos.

Em termos desportivos os resultados foram os esperados, com as vitorias esperadas. Para mim o ponto alto foi a homenagem que o CPOC, com o apoio do Ponto D'Ori e a Orifix, fez a todos os que estiveram presentes recentemente em Itália no Campeonato do Mundo, à exceção do João Ferreira - que não pode estar presente mas não foi esquecido. Todos os presentes se juntaram na congratulação dos resultados obtidos por Tiago Silva, Cristiano Silva, Paulo Palhinha, Carlos Simões, Daniel Marques e Davide Machado, que foi também homenageado pela Federação Portuguesa de Orientação.

É minha opinião pessoal que esta vertente da Orientação em Portugal merece mais apoios do que os que recebe. Merecia melhor acompanhamento e uma estratégia concertada com os clubes para mais talentos poderem ser descobertos e acompanhados. Em 2008, na nossa primeira prova em Sintra, o Davide era apenas Junior, hoje está onde está e sei que conseguirá melhor. Agora é a vez do Tiago Silva, Cristiano Silva e Mac-Mahon Moreira brilharem nos Juniores. O que poderá ser deles daqui a três anos?

Agradeço a todos os que estiveram presentes, à Câmara Municipal de Sintra, Loja das Bicicletas, Ponto D'Ori, Vitalis, Parques de Sintra Montes da Lua, Federação Portuguesa de Orientação e ao Supervisor Jorge Ramos, pelo apoio prestado e aos meus colegas de clube que permitiram levar a todos esta organização.

Até breve na Floresta.

Tiago Fernandes
CPOC – Clube Português de Orientação e Corrida
Diretor do 7º Ori-BTT do CPOC

1 comentário:

global warming disse...

Apesar de não ter conseguido estar presente, não queria deixar de agradecer a referência e enaltecer a importância destes apoios pelo nosso esforço. Todos demos o nosso melhor e reconhecerem isso é muito bom. Obrigado e boa sorte para os grandes colegas e amigos que vão à Rússia, Dani, Davide e Carlos. Abraço
João Ferreira