domingo, 14 de agosto de 2011

CAMPEONATOS DO MUNDO DE ORIENTAÇÃO PEDESTRE WOC 2011: TUDO EM ABERTO PARA A GRANDE FINAL DE DISTÂNCIA MÉDIA




Podem não atribuir títulos, mas decidem muito. São as séries qualificatórias que funcionam assim como uma espécie de etapas preliminares, antes da grande decisão das finais, e que marcam até ao momento os dois primeiros dias dos Campeonatos do Mundo de Orientação Pedestre WOC 2011. Hoje correram-se as qualificatórias de Distância Média e, ao contrario do verificado ontem, não foi possível ver no topo das listas de resultados, no que ao sector masculino diz respeito, qualquer atleta gaulês. Nem mesmo Thierry Gueorgiou, “Tero” para os mais íntimos, ele que é, ainda e sempre, o “Rei da Distância Média”!


É a grande festa da Orientação mundial. Só aqui, como em nenhuma outra competição, é possível vermos as grandes estrelas da Orientação mundial pisando palcos de sonho lado a lado com nomes como os do macedónio Nikola Mitkoski, do uruguaio Rodrigo Javier Manzo Martinez, do grego Konstantinos Stamoulis, do cipriota Lambros Arnaoutis ou do georgiano Akaki Khvredelidze, entre muitos outros ilustres desconhecidos, elevados também eles à categoria de campeões, unidos pela força e pela beleza deste desporto único. No dia de hoje foram 131 os atletas em prova, distribuídos por três séries qualificatórias, em busca de um dos quarenta e cinco “bilhetinhos” de acesso à final do próximo dia 19 de Agosto.

Ao vencer a primeira série qualificatória (3,6 km, 11 pontos de controlo, 195 m desnível), o russo Valentin Novikov é um dos tais felizes contemplados. Após já ontem ter sido 4º classificado na qualificatória de Distância Longa, o Campeão Europeu de Distância Média em título e que ocupa actualmente a 13ª posição do ranking mundial não esteve hoje com meias-medidas e bateu o Campeão do Mundo de Sprint em título, o suiço Matthias Mueller, gastando 25:02 contra os 26:59 do seu opositor. O dinamarquês Tue Lassen repetiu o 3º lugar de ontem, agora a 1:59 do vencedor. Numa série muito apertada, o norueguês Olav Lundanes foi o 5º classificado, enquanto o francês François Gonon, vencedor no dia de ontem, não foi hoje além do 8º lugar. O neo-zelandês Chris Forne, com o tempo de 31:11, repetiu o 15º lugar de ontem e fechou o leque de atletas apurados nesta série. Atrás de si ficaram o belga Fabian Pasquasy e o britânico Oli Johnson, a 0:10 e 0:12 respectivamente. Vice-Campeão do Mundo Junior de Sprint, o espanhol Andreu Blanes fez uma extraordinária prova, terminando na 20ª posição a 1:29 do apuramento. Manifestamente longe do seu melhor momento de forma – como se pode comprovar pelos registos nos 5º Jogos Mundiais Miltares do CISM do passado mês de Julho, no Rio de Janeiro – o polaco Wojciech Dwojak não foi além do 26º lugar, com o tempo de 34:49. Um pouco mais para baixo na tabela classificativa podemos encontrar o português Tiago Leal, no 37º lugar, com o tempo de 45:41. A lista de atletas classificados fecha com o brasileiro Ronaldo André Castello dos Santos de Almeida no 39º lugar, a 24:03 do vencedor.


Öberg melhor que Gueorgiou

Seguramente a mais disputada, a segunda série qualificatória (3,7 km, 11 pontos de controlo, 205 m desnível) teve no Vice-Campeão do Mundo de Distância Longa (Trondheim 2010), o norueguês Anders Nordberg, o grande vencedor. Depois do quarto lugar da véspera, Nordberg foi hoje o mais forte, impondo-se aos seus rivais com o tempo de 26:31. O ucraniano Oleksandr Kratov quis mostrar que devem contar com ele e foi segundo classificado, a 0:26 do vencedor (ontem não tinha ido além da 12ª posição), enquanto o francês Philippe Adamski, vencedor duma das séries qualificatórias no dia de ontem, foi hoje o terceiro classificado com mais 0:42 que Nordberg. Campeão do Mundo de Distância Média em título, o norueguês Carl Waaler Kaas foi o 7º classificado e garantiu um lugar na final, tal como o nosso bem conhecido e estimado Ionut Zinca (Roménia), 12º classificado no dia de hoje. O último atleta a assegurar a sua passagem à final foi o dinamarquês Søren Schwartz Sørensen, concluindo a sua prova no tempo de 32:19. Com mais dois segundos, mas fora da final, classificou-se o finlandês Pasi Ikonen, naquela que constitui a maior surpresa desta ronda qualificatória. Igualmente por escassa margem – 0:06, 0:30 e 0:48, respectivamente – ficaram de fora o eslovaco Michal Krajcik, o holandês Jonn Are Myhren e o russo Alexey Bortnik. O espanhol Javier Ruiz de la Herrán foi o 23º classificado com o tempo de 36:17, enquanto Paulo Franco – que grande prova fez ontem o atleta português! – se quedou hoje pela 36ª posição com um tempo de 53:30. O brasileiro Fabio Inácio da Cruz Weis classificou-se no 35º lugar, deixando Paulo Franco a mais de nove minutos (!).

Finalmente, a terceira série qualificatória (3,6 km, 11 pontos de controlo, 190 m desnível) contou com um final emocionante, porquanto Thierry Gueorgiou conseguia bater o excelente tempo do ucraniano Pavlo Ushkvarok e que era de 27:25, baixando-o para uns folgados 25:26. E quando os 'speakers' de serviço davam já como certa a vitória do gaulês, eis que surge o sueco Peter Öberg a dizer que, na Orientação, as contas só se fazem no fim. Öberg foi, pois, o grande vencedor, “roubando” 0:56 ao tempo de Thierry Gueorgiou e mostrando que o Vice-Campeão do Mundo de Distância Média em título é ele e só ele! Com maior ou menor dificuldade, o suiço Baptiste Rollier, o lituano Jonas Vytautas Gvildys, o britânico Graham Gristwood e o norueguês Audun Weltzien garantiram o passaporte para a final, mas o destaque vai mesmo para dois jovens que se mostraram hoje ao mais alto nível e irão disputar, igualmente, a grande final da próxima sexta-feira. São eles o austríaco Robert Merl, Campeão do Mundo Júnior de Distância Média em título, e o espanhol Biel Rafóls, que assim irá correr, por mérito próprio, a sua primeira grande final individual num Campeonato do Mundo de Elite. Cumprindo a sua prova em 30:50, o italiano Klaus Schgaguler foi o último atleta nesta série a garantir o apuramento, deixando atrás de si o letão Andris Kivlenieks, o neo-zelandês Ross Morrison, o australiano Rob Preston e o húngaro Máté Baumholczer, todos eles com uma diferença inferior a um minuto do apuramento. O polaco Wojciech Kowalski teve hoje um dia para esquecer, concluindo o seu percurso no 25º lugar com o tempo de 33:52. O representante português nesta série, Diogo Miguel, melhorou uma posição relativamente ao dia de ontem e terminou a sua prova no 30º lugar, a 6:50 do apuramento e a 13:10 do vencedor.


Rei há só um...

Resumindo, no cômputo dos quarenta e cinco atletas apurados para a final de Distância Média , contam-se representantes de vinte e um países. A Noruega beneficia da prerrogativa de apresentar nas suas fileiras o Campeão do Mundo em título e, assim, faz um “pleno” de quatro atletas. Com três atletas, marcarão presença na final a Suiça, a Suécia, a França e a Ucrânia – países que também fazem o “pleno” na grande final feminina -, e ainda a Lituânia, a Estónia e a Itália. Em termos individuais, todos sabemos como a Orientação é uma modalidade recheada de imponderáveis, uma autêntica caixinha de surpresas e esta será uma final com desfecho altamente imprevisível. Uma coisa é certa: Rei há só um e esse chama-se Thierry Gueorgiou. Ah, já me ia esquecendo: E joga em casa!

Tudo para acompanhar em http://www.woc2011.fr/ ou aqui, no seu Orientovar.


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: