domingo, 14 de agosto de 2011

CAMPEONATOS DO MUNDO DE ORIENTAÇÃO PEDESTRE WOC 2011: FRANCESES DOMINAM QUALIFICATÓRIAS DE DISTÂNCIA LONGA




Não fizeram por menos. François Gonon, Thierry Gueorgiou e Philippe Adamski levaram de vencida as respectivas séries qualificatórias de Distância Longa do Campeonato do Mundo de Orientação Pedestre WOC 2011 e foram figuras de proa neste início dos Mundiais de França. Um “marcar de posições” que parece revelar a determinação dos gauleses em aproveitar o factor casa para fazerem história.


Vinte e quatro anos volvidos sobre os Mundiais de Gérardmer, a maior competição internacional de Orientação Pedestre está de regresso a França. De ontem e até ao próximo dia 20 de Agosto, a região de Savoie Grand Revard, no Centro Leste do país, recebe a 28ª edição dos Campeonatos do Mundo de Orientação Pedestre e a 8ª edição dos Campeonatos do Mundo de Orientação de Precisão, nos quais participam 49 e 21 nações, respectivamente. Um belo número, record de participações em ambos os casos e a melhor forma de assinalar as Bodas de Ouro da Federação Internacional de Orientação.

A abrir as hostilidades decorreram no mapa de Les Creusates, em Saint François de Sales, as séries qualificatórias de Distância Longa e que contaram com a participação de 119 atletas no sector masculino. A nota de destaque vai para a vitória dos três atletas franceses nas três séries disputadas, justificando a aposta num conjunto de resultados de enorme valor e expressão e marcando uma posição que, em eventos desta envergadura, acaba por se revelar determinante. Refira-se, a propósito, que nas últimas seis edições da competição, apenas em 2009 Daniel Hubmann não acumulou com o título mundial a vitória na sua série qualificatória.


Gonon vence série mais disputada

Com um registo de 1:07:43, François Gonon foi o vencedor da primeira série de qualificação (9,2 km, 21 pontos de controlo, 415 m desnível), repetindo o resultado de Trondheim (Noruega, 2010). O francês deixou atrás de si o Campeão do Mundo de Distância Longa em título, o norueguês Olav Lundanes e ainda o “veterano” finlandês Pasi Ikonen, Campeão do Mundo de Distância Média nos idos de 1991, a 0:55 e 2:55 de diferença, respectivamente. Naquela que acabou por se revelar a série mais disputada, o checo Daniel Hajek acabou por ser o décimo quinto classificado, garantindo o apuramento para a grande final da próxima quarta-feira, à frente dum sexteto de quem ficou separado por margem inferior a dois minutos. Entre outros, estão neste lote Ionut Zinca (Roménia) e Alessio Tenani (Itália), que falham a final por 1:53 e 1:55 respectivamente. Ao terminar a sua prova na 23ª posição, o espanhol Biel Rafols ficou igualmente fora da final, como fora da final ficou o português Tiago Leal, 28º classificado com o tempo de 1:45:25 naquela que foi a sua estreia absoluta nestas andanças da mais alta roda da Orientação mundial.

A segunda série de qualificação (9,0 km, 18 pontos de controlo, 415 m desnível) teve em Thierry Gueorgiou o grande vencedor, com o tempo de 1:03:14. Alexey Bortnik (Rússia) e Tue Lassen (Dinamarca) secundaram o medalha de bronze nos últimos Campeonatos e actual líder do ranking mundial, ambos a mais de seis minutos de diferença. O neo-zelandês Chris Forne concluiu na 15ª posição e foi o último atleta nesta série a apurar-se para a final, tendo “o primeiro dos últimos” sido o romeno Ovidiu Mutiu, com mais 3:21 que Forne. De fora ficaram ainda nomes como os do britânico Hector Haines, do italiano Klaus Schgaguler e do espanhol Javier Ruiz de la Herrán. Diogo Miguel correu nesta série e concluiu a sua prova no 31º lugar com o tempo de 1:39:51. O atleta português sentiu enormes dificuldades na progressão para o ponto seis, numa altura em que seguia no 19º lugar. Os cerca de doze minutos perdidos acabaram por condicionar o restante percurso, dando ao resultado final uma expressão que, manifestamente, não condiz com as enormes qualidades e potencialidades do nosso atleta. O único representante brasileiro no sector masculino, Fabio Inácio da Cruz Weis, correu igualmente nesta série, fechando a tabela de atletas classificados na 36ª posição com um registo de 2:26:03.


Paulo Franco muito próximo do apuramento

Quanto à terceira série de qualificação (9,0 km, 20 pontos de controlo, 435 m desnível), Philippe Adamski não quis ficar atrás dos seus compatriotas e bateu a concorrência, deixando atrás de si, nas posições imediatas, o sueco Anders Holmberg e o finlandês Tero Föhr, a 3:12 e 3:55 de diferença, respectivamente. O nosso bem conhecido Wojciech Kowalski (Polónia) fechou o leque de atletas apurados, ao concluir no 15º lugar com um registo de 1:21:34. Imediatamente atrás dele, mas já fora da grande final, ficaram o germânico Sören Lösch, com mais 1:57 e o português Paulo Franco, com mais 4:56. O atleta português fez uma excelente prova, plena de regularidade, batendo nomes como os do checo Stepan Kodeda, do búlgaro Ivan Sirakov, do dinamarquês Rasmus Thrane Hansen, do eslovaco Lukas Bartak ou do bielorusso Yury Tambasau. Paulo Franco acabou por se ver traído nos seus intentos pelos segundos perdidos num ou noutro ponto e que, todos somados, determinaram um resultado que é, em si mesmo, fantástico (melhor só mesmo Marco Póvoa e o seu 31º lugar na final de Aichi, em 2005).

Em resumo, na grande final da próxima quarta-feira estarão em prova quarenta e cinco atletas, em representação de vinte e dois países. França, Finlândia, Rússia, Suécia, Suiça, Ucrânia, Letónia e Noruega fazem o pleno de atletas (três cada), com a particularidade da Noruega levar quatro atletas à final, mercê dessa prerrogativa de ser norueguês o actual Campeão do Mundo de Distância Longa, o que facultou aos nórdicos a possibilidade de inscrever um elemento extra na prova. Portugal fica uma vez mais de fora das finais de Distância Longa, como de fora ficam a Espanha, a Roménia, o Canadá, os Estados Unidos ou Israel, equipas “do nosso campeonato”. Lundanes, Hubmann e Gueorgiou, os três primeiros classificados do ranking mundial, são os grandes candidatos ao pódio, mas nomes como os de François Gonon ou de Philippe Adamski podem vir a baralhar estes dados. A ver vamos!

Tudo para acompanhar em http://www.woc2011.fr/ ou aqui, no seu Orientovar.


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: