sexta-feira, 1 de julho de 2011

WMOC 2011: MUNDIAL DE VETERANOS ARRANCA AMANHÃ EM PÉCS




De hoje e até ao próximo dia 9 de Julho, a cidade de Pécs, no sudoeste da Hungria, acolhe a 16ª edição do Campeonato do Mundo de Veteranos de Orientação Pedestre, WMOC 2011. Com o palco montado para perto de três mil e quinhentos veteranos do mundo inteiro, aqui fica uma mão cheia de apontamentos, em jeito de lançamento deste importante evento internacional.


Situada a cerca de 200 quilómetros ao sul de Budapeste, junto à fronteira com a Croácia, Pécs foi fundada pelos romanos, há mais de dois mil anos, quando tinha o nome de Sophianae. A cidade tem uma história de conquistas e banimentos de povos e, entre as jóias do seu património cultural e artísitico, conta-se um dos cemitérios mais antigos da Europa, do século IV a.C., com um mausoléu que faz parte da lista de imóveis classificados pela Unesco como Património da Humanidade. As igrejas, mesquitas e sinagogas foram uma prioridade de todos os povos que viveram em Pécs ao longo de dois mil anos. No século IX, Pécs era chamada de Quinque Basicalae, o que mostrava a importância que os romanos davam ao lugar, que tinha cinco igrejas, mais do que outras cidades localizadas na mesma região.

Cidade cosmopolita, onde a maioria húngara coabita pacificamente com as minorias alemã, búlgara, grega, arménia, eslovena, ucraniana, eslovaca, sérvia e croata, Pécs tem cerca de 160 mil habitantes e foi Capital Europeia da Cultura em 2010. Nela se respira, um pouco à semelhança da capital, Budapeste, uma certa atmosfera do Império Austro-Húngaro, pontuada por uma sumptuosa arquitectura. A região ensolarada do Rio Danúbio é também um centro da produção de vinho e tem hoje o principal instituto de enopesquisa da Hungria.


3343 atletas inscritos

Será precisamente em Pécs que, de hoje e até ao próximo sábado, irão decorrer os XVI Campeonatos do Mundo de Veteranos de Orientação Pedestre WMOC 2011. Numa altura em que a IOF – Federação Internacional de Orientação comemora 50 anos de existência, não deixa de ser relevante que um dos seus dez países fundadores, precisamente a Hungria, receba uma competição desta natureza. É que o WMOC é – todos o sabemos! - uma festa da Orientação, onde “menos novos e mais que menos novos” partilham um espaço e um tempo de comunhão em torno de ideais da maior nobreza, revisitando gloriosos momentos dum tempo passado, afirmando-os no presente e projectando-os no futuro.

Para a Hungria, esta representa igualmente a oportunidade de receber, pela segunda vez na sua história, um evento maior de Orientação destinado aos escalões de Veteranos, depois de em 1990 se ter organizado em Körmend, a Taça do Mundo de Veteranos, competição que precedeu o Campeonato do Mundo de Veteranos de Orientação Pedestre. Orientistas do mundo inteiro voltam assim a responder à chamada e os dados estatísticos estão aí para o comprovar. Ao todo, o número de inscritos é de 3343 atletas, em representação de 42 países dos cinco continentes. Uma vez mais, a Finlândia é o país que apresenta a maior comitiva – num total de 639 atletas – seguida da Suécia (488), Noruega (412), Rússia (308) e Hungria (209). No lado oposto, encontramos a Croácia com dois participantes apenas e a África do Sul e a Nova Caledónia com um solitário representante. Os atletas serão distribuídos por 25 escalões de competição, dos M/W35 ao M95, sendo o finlandês Erkki Luntamo o menos jovem dos competidores, demonstrando aos 97 anos de idade uma pujança e um querer inabaláveis.


Joaquim Sousa é “cabeça de cartaz” da comitiva portuguesa

Portugal – que com tanto sucesso organizou em 2008 a 13ª edição da competição, estreando no programa dos Mundiais a prova de Sprint – volta a marcar presença neste WMOC, através de 20 intrépidos atletas, dezasseis no sector masculino e quatro no feminino. Numa equipa que revela uma firme vontade de dar o seu melhor, importante será destacar a presença de Joaquim Sousa no escalão M40, 5º classificado na final de Sprint e 6º classificado na final A de Distância Longa nos Mundiais de 2009, na Austrália, e novamente 5º classificado na final de Sprint dos Mundiais de 2010, em Neuchâtel, na Suiça. Ao seu lado, estarão Ricardo Oliveira (M35), Carlos Garcia e Rui Almeida (M45), José Fernandes, José Pires, Carlos Coelho e Albano João (M50), Escada da Costa, Acácio Porta Nova, Manuel Dias, Vítor Rodrigues e António Reyes (M55), Roy Dawson e José Raposo (M60), José Grada (M70), Palmira João (W50), Margarida Rocha e Caty Dawson (M55) e Ana Carreira (M60).

O Centro do Evento já se encontra aberto em Pécs desde a passada terça-feira, tendo sido possível realizar ao longo do dia de hoje o Model Event de Sprint. Amanhã, o Programa dos Mundiais apresentará dois momentos altos. Em Pécs Belváros, bem no miolo do seu centro histórico, entre as 13h00 e as 17h00 (hora local), terão lugar as 56 séries qualificatórias da prova de Sprint, nas quais estão inscritos um total de 3133 atletas. Prometida está uma prova com uma atmosfera muito especial, com os atletas a misturarem-se com os habitantes no meio de parques, esplanadas, cafés e mercados de rua. De seguida, a Praça Széchenyi será o palco da Cerimónia de Abertura, com todos os atletas convidados a desfilar sob as bandeiras dos respectivos países, a viverem o ambiente de festa e os votos de boas-vindas e, para aqueles que ainda tiverem pernas após uma vigorosa prova de Sprint, a juntarem-se num pezinho de dança ao som dos Mecsek Folk Dance Ensemble (se ficou curioso e quiser antecipar um bocadinho aquilo que pode ser este especial momento, espreite AQUI).

Para informações pormenorizadas sobre o evento, consulte a página oficial em http://wmoc2011.hu/ e descarregue o mais recente Boletim em http://docs.wmoc2011.hu//5a63c6bcbb78918da729e8829c132f21.


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

2 comentários:

Presidente disse...

Sejam felizes!!!
Desfrutem do WMOC e mostrem a vossa raça.
Abraço

Rafael da Silva Miguel disse...

Boa sorte para todos!!!