quarta-feira, 13 de julho de 2011

TIAGO AIRES E O JWOC 2011: "NÃO CONSEGUIMOS ALCANÇAR OS RESULTADOS QUE O VALOR DOS NOSSOS ATLETAS JÁ TÊM NESTE MOMENTO"




O Orientovar coloca um ponto final em mais uma maratona jornalística, auscultando as impressões do responsável técnico pelas Selecções jovens. Tiago Aires esteve na Polónia onde acompanhou os nossos atletas presentes no Campeonato do Mundo de Juniores de Orientação Pedestre e são dele as últimas palavras, em jeito de balanço.


Orientovar - À partida para a Polónia, qual o estado de espírito e as expectativas da comitiva e, em particular, as suas?

Tiago Aires - Tínhamos já desde há cerca de um mês bem definidos os objectivos para este JWOC, bem como para o EYOC que terminou na semana antes. Para este JWOC tínhamos como objectivos melhorar o histórico Português de resultados em cerca de 70% dos eventos, principalmente no sector feminino e no sector masculino, para já, nas provas de Distância Longa e Média. O espírito da comitiva era de grande confiança, pois temos a perfeita noção do valor dos atletas em causa (não esquecer que nenhum atleta é de ultimo ano no JWOC e alguns ainda têm a possibilidade de participar em mais três ou quatro edições da competição).

Orientovar - Estas eram as selecções possíveis ou são mesmo, do seu ponto de vista, os elementos mais fortes que temos de momento em Portugal, nos escalões respectivos?

Tiago Aires -
 Obviamente que esta era a melhor selecção possível, ainda mais porque no sector feminino tivemos um ano com muitos afastamentos e muitas lesões dos principais nomes. Felizmente, mesmo limitadas fisicamente, as nossas atletas fizeram uma excelente prova de Estafetas em D20.


Resultados como o 31º lugar na Longa Masculina são bem demonstrativos do valor da nossa comitiva

Orientovar - Do leque de prestações, ressaltam alguns resultados com valor e que ficam para a história das nossas participações em Campeonatos do Mundo de Juniores. Qual aquele ou aqueles que, do seu ponto de vista, encerram um significado maior?

Tiago Aires - Não conseguimos alcançar os resultados que o valor dos nossos atletas já têm neste momento, mesmo tendo em conta que não foi feita uma preparação adequada (lembro que apenas houve selecções a partir de Maio, após nove meses de paragem). Mas resultados como o 31º lugar na Longa Masculina são bem demonstrativos do valor da nossa comitiva.

As classificações para a final A têm de ser vistas como um momento de rotina, sendo importante é ter uma boa perfomance na final. Neste ponto poderíamos, em situação normal, ter quatro atletas na final A e aí atletas no top-35 já neste momento.



Os resultados alcançados pelos "nuestros hermanos" são um incentivo para todos os jovens portugueses

Orientovar - Globalmente, como viu e sentiu estes Mundiais?


Tiago Aires - O nível existente é simplesmente altíssimo, com comitivas altamente profissionalizadas. Poder acompanhar de perto, nestes moldes, a incrível prestação da comitiva espanhola é de uma enorme satisfação. Sem duvida que os resultados alcançados pelos "nuestros hermanos" são um incentivo para todos os jovens portugueses, pois prova que é possível estarmos ao nível dos melhores.

Orientovar - O que poderemos esperar destes jovens em termos de futuro?

Tiago Aires - Tudo vai depender do trabalho que será efectuado pelas selecções. É muito importante ter uma preparação adequada a cada evento internacional, não só com estágios e acompanhamento regular em solo Português mas também com um campo de treinos antes do evento no local em causa. Se este acompanhamento conseguir ser efectuado com as limitações financeiras que temos, tenho a certeza que nos próximos anos poderemos ter vários resultados no top-15 nas provas individuais e top-6 nas Estafetas.


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: