segunda-feira, 18 de julho de 2011

A ORIENTAÇÃO NOS CAMPOS DE FÉRIAS




No passado dia 11 de Julho, os campos de férias da Junta de Freguesia do Restelo tiveram uma tarde diferente. Dirigiram-se ao Parque da Quinta das Conchas, em Lisboa, para participarem numa actividade de Orientação.

Foi o CPOC que teve o gosto de montar alguns percursos para os cerca de 50 jovens que ansiavam por uma actividade “nova” (mais à frente explico o porquê das aspas). Apareceram formados em cinco equipas, todas elas com cerca de dez elementos cada, e acompanhados pelos monitores.

“ - Para que servem esses agrafadores vermelhos?”
“ - O Norte?.. fica pr’ali” (…) “ - Não é nada! Fica naquela direcção! Não percebes nada, tu…”
“ - Ah, eu quando entrei já vi ali ao fundo uns dois ou três coisos laranjas desses!”
“ - Eu no ano passado fiz um jogo parecido, mas tinha pistas ao longo do percurso…”

Eu e o Diogo Barradas recebemo-los com simpatia e foi com algumas destas perguntas que constatámos que poucos sabiam o que significava praticar Orientação, nem tão pouco sabiam o que iam para ali fazer!

Demos um pequeno 'briefing', algumas instruções, recomendações e dicas... colocámos um mapa do Parque nas suas mãos… e após um esclarecimento de dúvidas, a malta jovem (entre os 11 e os 14 anos) lá ficou mais à vontade e cheios de pica de começarem a fazer os percursos (traçados pelo Luís Santos): de Codificação, Formal e de Memorização. O crescendo de dificuldade nas tarefas foi bem recebido por todos, pois o “sucesso” das equipas estava sempre ao alcance de todos.

No final da actividade, pareceu-nos que estavam contentes com a aprendizagem de uma “nova” actividade… nova para eles, porque “isto” já existia antes de eles nascerem. Agradeceram bastante e alguns perguntaram onde se faziam mais provas… e o que tinham de fazer para se inscrever… Ficou o “bichinho”?

Acho essencial que se proporcionem mais actividades destas, aos jovens que NADA sabem da nossa modalidade… É bom sentir aqueles sorrisos de quem está a experimentar uma “pastilha nova, cheia de sabor”. É bom, porque ao lhes darmos novos desafios e muito sucesso eles ficam com vontade de fazer mais!

Quem sabe, alguns destes miúdos venham a fazer Orientação de verdade e se cruzem connosco numa das nossas florestas?... Quem sabe, alguns destes miúdos venham a preencher os pódios do amanhã?... Tarefa difícil? Talvez… Mas se fosse fácil não tinha piada nenhuma.

João Dias - CPOC




Sem comentários: