segunda-feira, 4 de julho de 2011

JWOC 2011: LUCAS BASSET E IDA BOBACH VENCEM FINAL DE SPRINT




De mil e uma maneiras se escreve e reescreve a História. Numa competição como os Campeonatos do Mundo de Juniores de Orientação Pedestre, uma das formas de o fazer é recorrendo aos resultados. E se na prova de Sprint, Lucas Basset, ofereceu à França a sua primeira medalha de ouro na competição, a dinamarquesa Ida Bobach não fez por menos, sagrou-se Campeã do Mundo Júnior de Sprint pela segunda vez consecutiva e igualou Olav Lundanes e Minna Kauppi como os atletas mais medalhados da história do JWOC.


A final de Sprint abriu, no dia de ontem, a vertente competitiva da 22ª edição do Campeonato do Mundo de Juniores de Orientação Pedestre JWOC 2011. A prova teve lugar no mapa de Lebork, com desenho de Piotr Sierzputowski e à escala de 1:4 000, num terreno basicamente urbano, com um interessante número de edifícios antigos e alguns canais. Um terço do traçado dos percursos abrangia ainda uma zona de floresta, apresentando algum declive mas com excelente visibilidade e facilidade de progressão. O histórico da competição nos últimos anos fazia – e faz! - antever um enorme equilíbrio na luta pelos lugares cimeiros, mas a verdade é que as atenções deste primeiro dia se centravam no sector feminino, onde a dinamarquesa Ida Bobach e a sueca Tove Alexandersson prometiam um verdadeiro espectáculo dentro do próprio espectáculo. É que, se Tove Alexandersson dominara a Distância Média nas duas últimas edições do JWOC e conta já este ano com um invejável número de feitos maiores a nível internacional, a verdade é que Ida Bobach fora a grande dominadora da anterior edição dos Campeonatos e, acima de tudo, estava aqui a defender a medalha de ouro alcançada em 2010, em solo pátrio.

As expectativas acabaram por sair algo defraudadas no tocante à luta entre as duas grandes atletas. Ida Bobach superiorizou-se a todas as suas adversárias, concluindo a prova na distância de 2.470 metros em 14:29,5. Na segunda posição classificou-se a sua compatriota Emma Klingenberg, com mais 2,3 segundos, ela que é, ainda hoje, a mais jovem Campeã do Mundo Júnior quando, em 2008 (Gotemburgo, Suécia), com apenas 16 anos de idade, chegou de forma surpreendente ao título mundial de Sprint. O terceiro lugar, com o tempo de 14:41,5, coube à checa Tereza Novotná, repetindo assim o lugar alcançado nesta mesma vertente em 2009. Tove Alexandersson teve de se contentar com a 4ª posição, gastando mais 29,8 segundos que a vencedora. Angela Simpson (Nova Zelândia) foi uma agradável surpresa ao alcançar o sexto lugar enquanto as atletas da Polónia foram uma decepção, elas que no ano transacto, com Hanna Wisniewska e Monika Gajda, tinham conseguido as medalhas de prata e de bronze na prova de Sprint e que este ano viram a sua melhor atleta, Paulina Faron, terminar apenas no 25º lugar.



Franceses e espanhóis fazem história

No sector masculino, Lucas Basset foi o grande vencedor, fazendo a bandeira francesa subir pela primeira vez no mastro mais alto dos Campeonatos do Mundo de Juniores de Orientação Pedestre. Lucas Basset fez uma prova irrepreensível, concluindo os 2.910 metros do seu percurso com o tempo de 15:07,7. Mas há mais um feito histórico a salientar na final de Sprint do dia de ontem. Com efeito, ao alcançar a segunda posição com mais 9,7 segundos que o vencedor, Andreu Blanes conquistou para a Espanha a primeira medalha de sempre nas 22 edições que levamos de JWOC. O terceiro lugar coube ao suiço Florian Howald, com o tempo de 15:19,1, após particular despique com o austríaco Robert Merl, a quem bateu por escassos 1,3 segundos. Michal Olejnik, na quinta posição, ofereceu à Polónia um lugar de honra. Apontado como um dos favoritos a um lugar no pódio, o polaco Piotr Parfianowicz, Campeão da Europa de Jovens de Sprint em título, no escalão M18, foi desclassificado.

No tocante à prestação dos atletas portugueses presentes nestes Campeonatos, João Mega Figueiredo concluiu num excelente 44º lugar com o tempo de 16:42,7, nesta que é a sua segunda participação no JWOC. Recorde-se que na sua primeira presença nestas andanças, na final de Sprint do JWOC 2009, o pequeno-grande Mega não tinha ido além do 89º lugar, numa prova de boa memória para os portugueses e onde Tiago Romão e Diogo Miguel alcançaram os melhores resultados de sempre de atletas portugueses na competição (11º e 14º lugares, respectivamente). Numa prova disputada por 158 atletas, dos quais 150 lograram classificar-se, Luís Silva – Vice-Campeão da Europa de Desporto Escolar de Distância Longa em título – foi o 84º classificado com o tempo de 17:33,1, Pedro Silva ocupou o 110º lugar com o tempo de 18:27,4, Hélder Marcolino concluiu na 122ª posição com um registo de 19:03,7 e Miguel Ferreira terminou a sua prova na 126ª posição com o tempo de 19:09,3. Quanto às nossas atletas, entre 130 participantes, Vera Alvarez concluiu no 59º lugar com um registo de 17:22,5, a oito posições apenas do feito de Ana Coradinho em 2009 e que é ainda o nosso melhor resultado na distância, no que ao sector feminino diz respeito. As restante atletas portuguesas, Carolina Delgado e Mariana Moreira, foram as 75ª e 78ª classificadas, com os tempos de 17:49,6 e 17:56,4, respectivamente.


Tudo para acompanhar em http://www.jwoc2011.pl/ ou aqui, no seu Orientovar.

[Fotos de Pabich Tomek, extraída do seu excelente e completíssimo Álbum – fotos e vídeos – em https://picasaweb.google.com/pabicht/2011_07_03_JWOC2011]


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: