terça-feira, 19 de julho de 2011

5º JOGOS MUNDIAIS MILITARES DO CISM: PROGRAMA COMPETITIVO DE ORIENTAÇÃO ARRANCA HOJE




O maior evento desportivo militar realizado até à data no Brasil. São assim os 5º Jogos Mundiais Militares do CISM, que decorrem na cidade do Rio de Janeiro até ao próximo domingo. O programa de competições integra a modalidade de Orientação e esse é o pretexto para espreitarmos os Jogos pelo buraco da fechadura.


O Programa competitivo de Orientação dos 5º Jogos Mundiais Militares CISM 2011 tem hoje início com a disputa da prova de Distância Média no Campo de Instrução de Avelar, na cidade de Paty do Alferes, 119 km a Norte do Rio de Janeiro. Com base nas informações disponíveis na página do evento - http://www.rio2011.mil.br/ -, a competição de Orientação dos Jogos da Paz Rio 2011 terá a participação de 156 homens e 53 mulheres de 28 países: Alemanha, Argentina, Áustria, Bélgica, Brasil, Chile, Coreia do Norte, Coreia do Sul, Colômbia, Dinamarca, Equador, Emiratos Árabes, Eslovenia, Estónia, Finlândia, França, Indonésia, Irão, Irlanda, Jamaica, Letónia, Lituânia, Noruega, Polónia, Sérvia, Suécia, Suíça e Uruguai.

Quanto aos atletas presentes, o destaque vai para aqueles que pontificam na lista dos 100 melhores do Mundo. O finlandês Tero Föhr, 16º classificado do 'ranking' mundial, é a grande figura dos Jogos, a par da letã Aija Skrastina (nº 39 do Mundo), ela que dominou os últimos Jogos Mundiais Militares que se disputaram em Kongsberg, na Noruega. Saliente-se ainda, no sector masculino, os nomes dos suiços Matthias Kyburz, Andreas Kyburz e Andreas Rüedlinger (respectivamente nº 26, 38 e 64 do Mundo), do polaco Wojciech Kowalski (nº 34), do estoniano Olle Kärner (nº 40), do finlandês Olli-Markus Taivanen (nº 57), do austríaco Gernot Kerchbaumer (nº 61) ou do lituano Simonas Krepsta (68º). Quanto às senhoras, para além de Skrastina, realce para a lituana Sandra Pauzaite (nº 41), a polaca Hanna Wisniewska (nº 50) e a estoniana Merike Vanjuk (nº 60). Muita atenção, porém, para aquilo que o Brasil poderá fazer nestes Jogos Mundiais Militares. O factor casa pesa sempre, mas os brasileiros prepararam muito bem a sua participação nestes Jogos – quem não se lembra da simpática comitiva que na primeira quinzena de Março disputou o Portugal O' Meeting e o II Meeting Internacional de Arraiolos – e Leandro Pereira Pasturiza, Cleber Baratto Vidal, Ironir Alberto Ev, Juscelino Alencar Karnikowski, Tania Carvalho, Miriam Ferraz Pasturiza e todos os outros elementos da equipa são bem capazes duma “gracinha”.


A grande festa já está em marcha

A escolha do Brasil para acolher os 5º Jogos Mundiais Militares teve lugar em Maio de 2007, no Burkina Faso, durante a reunião do CISM – Conselho Internacional do Desporto Militar (da sigla em francês para Conseil International du Sport Militaire). O Brasil disputou com a Turquia o direito de sediar os jogos. No julgamento final, as infraestruturas desportivas já estabelecidas no Rio de Janeiro para os Jogos Pan-Americanos, a experiência na realização de grandes eventos e o apoio demonstrado pelas autoridades locais ao projecto acabaram por ser factores decisivos para a vitória do Brasil.

Os 5º Jogos Mundiais Militares, também designados por Jogos da Paz 2011, tiveram o seu início no passado dia 16 de Julho e contam com uma participação superior a cinco milhares e meio de atletas de 111 países, competindo em 20 modalidades desportivas. O Pentatlo Aeronáutico e o Voleibol de Praia fazem a sua estreia nos Jogos, este último como modalidade de exibição, e o Brasil está presente em todas as modalidades, com um total de 273 atletas. Portugal é um dos 111 países presentes nos Jogos, com apenas três atletas e todos eles na modalidade de Tiro (Cap. José Marracho, Ten-Cor. António Santos e Sarg. João Costa). A Cerimónia de Abertura teve lugar no Estádio Olímpico João Havelange, conhecido popularmente por Engenhão, e nela marcaram presença a Presidente da República do Brasil, Dilma Rousseff e ainda o Rei do Futebol, Pelé. Grande dominadora das últimas quatro edições dos Jogos, a Rússia foi (e é) ausência notada. O programa competitivo abriu – como não podia deixar de ser – com um desafio de Futebol que opôs o Brasil à Argélia e que os anfitriões venceram por uma bola a zero.


Subsídios para a História dos Jogos

A primeira edição dos Jogos teve lugar em Roma, de 4 a 16 de Setembro de 1995. Num ano em que, simbolicamente, se comemoraram os 50 anos sobre o final da II Guerra Mundial e sobre a assinatura da Carta das Nações Unidas, 4017 atletas de 93 países disputaram os Jogos, distribuídos por 17 disciplinas. O nadador russo Denis Pankratov foi considerado a grande figura do evento, ele que no ano seguinte, em Atlanta (Estados Unidos), viria a conquistar o Ouro Olímpico nos 100 e 200 metros Mariposa. O queniano Paul Tergat (Atletismo) e o italiano Del Piero (Futebol) foram outras duas figuras de vulto nestes Jogos. Ao conquistar 62 medalhas de ouro, 28 de prata e 37 de bronze, a Rússia fez valer a sua tradição desportiva no meio militar e terminou a competição como a grande vencedora. Portugal foi um dos países presentes, tendo conquistado uma medalha de bronze.

Quatro anos volvidos, foi a vez de Zagreb, na Croácia, receber os Jogos Mundiais Militares para a realização da sua segunda edição. O número de participantes foi de 6734, em representação de 82 países. O Andebol, o Taekwondo e a Orientação fizeram a sua estreia nos Jogos, ao lado de quinze outras disciplinas de competição incluídas no programa. A estas devem acrescentar-se o Remo e a Canoagem, a título de demonstração. Momento alto dos Jogos, a final de Basquetebol onde a Croácia, baseando o seu jogo nos desempenhos inesquecíveis de Damir Mulaomerovic e Emilio Kovacic e apoiados por uma falange de apoio verdadeiramente fanática, bateu os Estados Unidos por uma diferença de 25 pontos. Com 46 medalhas de ouro, 35 de prata e 31 de bronze, a Rússia repetiu o êxito da primeira edição dos Jogos e renovou a condição de grande dominadora.


Catânia substitui Madrid e organiza Jogos em tempo record

Escolhida para organizar os 3º Jogos Mundiais Militares, a cidade espanhola de Madrid anunciou a sua desistência a poucos meses da competição. A notícia forçou o Conselho Internacional do Desporto Militar a adiar o evento para Dezembro e a levá-lo novamente para Itália, país-sede da competição inaugural. Mesmo com poucos meses de preparação, a bela cidade siciliana de Catânia promoveu um torneio de alta qualidade, com a participação de 87 países. A competição, disputada entre os dias 4 e 11 de Dezembro, reuniu 2.800 atletas. O calendário desportivo foi restrito a 11 modalidades e limitou-se o número de competições ao ar livre. A terceira edição do evento marcou ainda a estreia das provas de Vela nos Jogos Mundiais Militares – modalidade essa que, desde então, integra a programação oficial dos Jogos.

Tal como nas duas edições anteriores, a Rússia liderou a competição, conquistando 33 medalhas de ouro, 39 de prata e 36 de bronze. Entre as grandes personalidades dos Jogos Mundiais Militares destaque para a esgrimista italiana Valentina Vezzalli, tetra-campeã olímpica na categoria Florete e que conquistou o bi-campeonato da competição militar, para júbilo dos adeptos italianos. Outro destaque da competição vai para o Futebol masculino com a Coreia do Norte a levar de vencida o Egipto na grande final, depois de nas meias-finais ter batido a favorita Itália.


Jogos deixam Velho Continente

Realizada em 2007, a quarta edição dos Jogos Mundiais Militares ampliou definitivamente as fronteiras da competição. Pela primeira vez, o evento foi disputado fora do continente europeu, com a escolha a recair sobre Hyderabad, na região central da Índia, cidade conhecida pela riqueza histórica, arquitectónica e cultural. Disputado entre os dias 14 e 21 de Outubro, o evento atraiu mais de 101 países participantes – um recorde na história dos Jogos Mundiais Militares. O número de desportistas militares também aumentou em relação à competição anterior e chegou a quase 5 mil atletas, que deram o máximo para conquistar medalhas em 14 modalidades esportivas. Os 4º Jogos Mundiais Militares foram marcados pela conquista de 27 novos recordes militares, sendo 17 por atletas mulheres. Mais uma vez, a Rússia foi a grande vencedora da competição, com 42 medalhas de ouro, 29 de prata e 29 de bronze. A grande surpresa veio do Quénia, sexto classificado no quadro geral de medalhas e líder no Atletismo, modalidade onde conquistou todas as suas medalhas: 5 de ouro, 5 de prata e 2 de bronze.

Entretanto, de 20 a 25 de Março de 2010, atletas militares de 43 países invadiram o Vale de Aosta, na Itália. Mais de 800 atletas competiram na 1ª edição dos Jogos Mundiais Militares de Inverno. O evento contou com o apoio do Comité Olímpico Internacional e o governo local disponibilizou acomodação gratuita para todos os participantes, reforçando os laços de amizade entre os povos, lema da competição.

Tudo para acompanhar em http://www.rio2011.mil.br/.


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: