domingo, 19 de junho de 2011

SALPA-JUKOLA 2011: HALDEN SK E DOMNARVETS GoIF VENCEM CLÁSSICA FINLANDESA




Os noruegueses do Halden SK e as suecas do Domnarvets GoIF dominaram a Salpa-Jukola 2011, prova de Estafetas que todos os anos, sensivelmente por esta altura, atrai à Finlândia a fina flor da Orientação mundial.


Era anunciada como a batalha da longa noite. Na terceira manga da Jukola 2011, a clássica Estafeta masculina que, desde 1949, tem lugar no país dos mil lagos, Thierry Gueorgiou (Kalevan Rasti) e Anders Nordberg (Vaajakosken Terä) protagonizavam o duelo mais aguardado de todos. Não sendo o percurso mais longo, este é sempre considerado como decisivo pelas implicações que encerra. E se até ali se pode dizer que “o primeiro milho é dos pardais”, é realmente nesta manga que se pode lançar uma equipa para a vitória ou deitar em definitivo por terra uma vitória particularmente saborosa.

Os ponteiros batiam a uma da madrugada (meia-noite em Lisboa) quando Thierry Gueorgiou se embrenhou na noite de Virolahti, não muito longe da fronteira com a Rússia. Responsável pelo segundo percurso, Hannu Airila entrega-lhe o testemunho com 4.22 de desvantagem para o grupo de oito equipas que lideram isoladas a prova e onde pontificam o Halden SK de Olav Lundanes, o Södertälje Nykvarn Orienter de Matthias Müller ou o Vaajakosken Terä de Anders Nordberg, precisamente. Atacando o percurso como se de uma grande final dum Campeonato do Mundo se tratasse, ao concluir os 13,6 km da sua prova, Thierry Gueorgiou não só tinha anulado a diferença para os líderes da prova, como a tinha ampliado de forma a colocar na frente a sua equipa com cerca de um minuto de vantagem para um trio perseguidor constituído pelas equipas do Kalevan Rasti 2, do Vaajakosken Terä e da poderosíssima Delta, dos irmãos Novikov. Para Thierry Gueorgiu a batalha estava ganha. Faltava agora ao Kalevan Rasti ganhar “a guerra”.


Olav Lundanes leva o Halden SK à vitória

É que não se pense que, daqui para a frente, tudo seriam “favas contadas”. Apenas 8,3 km depois, no final da quarta manga, já Lauri Sild virava a corrida a favor da Delta e logo com uma vantagem de 4.11 (!) sobre os seus mais directos adversários, as duas turmas do Kalevan Rasti. O sol começava a romper, mas as cores azuis da Delta viam um dia que se anunciava risonho dar uma verdadeira cambalhota no 5º percurso, graças aos extraordinários desempenhos dos homens do Kalevan Rasti (equipas 1 e 2) e, sobretudo, de Mats Haldin, a fazer com que o Halden SK entrasse na corrida pela vitória, agora que a liderança estava à distância de apenas 36 segundos.

O sexto percurso viu Emil Wingstedt impôr-se a Philippe Adamski pela diferença de 1.22 e o Halden SK arrancava para os derradeiros 15,6 km com uma vantagem que, não sendo de todo confortável, era ainda assim uma vantagem. Na cabeça de Olav Lundanes bailava como único pensamento a vitória e o norueguês não desperdiçou o ensejo. Num percurso sem erros, o Campeão do Mundo de Distância Longa em título foi esmagador, deixando para trás, nalguns casos por larga margem, nomes como os de Fabian Hertner (Kalevan Rasti), Valentin Novikov (Delta), Pasi Ikonen (Vaajakosken Terä), Matthias Müller (Södertälje Nykvarn Orienter) ou Daniel Hubmann (Kristiansand OK). O Halden SK terminou com um tempo de 7.37.27 e repete assim a vitória de 2010, alcançando o seu 7º triunfo em 63 edições da prova e aproximando-se decisivamente dos finlandeses do Helsingin Suunistajat que, com 8 vitórias na Jukola, lideram esta particular lista dos mais ganhadores. Uma última nota para o facto de terem concluído a prova 1204 equipas das 1416 que iniciaram a prova.


Resultados

Halden SK (Sören Bobach, Jon Pedersen, Erik Axelsson, Marius Bjugan, Mats Haldin, Emil Wingstedt, Olav Lundanes) 7.37.27
Kalevan Rasti (Jan Prochazka, Hannu Airila, Thierry Gueorgiou, Simo Martomaa, Kiril Nikolov, Philippe Adamski, Fabian Hertner) 7.41.31
Delta (Olli-Pekka Koistinen, Oskari Liukkonen, Leonid Novikov, Lauri Sild, Matti Kivelä, Olle Kärner, Valentin Novikov) 7.41.42
Vaajakosken Terä (Anttin Anttonen, Jouni Kahelin, Anders Nordberg, Juha Sorvisto, Jonne Lakanen, Jani Lakanen, Pasi Ikonen) 7.42.38
Södertälje Nykvarn Orienter (Erik Liljekvist, Pal Skogtjärn, Petter Eriksson, Jonas Leandersson, Graham Gristwood, Scott Fraser, Matthias Müller) 7.43.34
Hiisirasti (Henrik Väisänen, Johannes Pohjala, Maxim Sychev, Juha Tommila, Roman Efimov, Sergei Detkov, Andrei Hramov) 7.48.14
Kristiansand OK (Christian Wilg Böen, Mats Dahlen, Isak Bergman, Jostein Andersen, Martin Hubmann, Baptiste Rollier, Daniel Hubmann) 7.48.32
OK Linne (Josef Nordlund, Jan Troeng, Mats Troeng, Rassmus Andersson, Oskar Sjöberg, Tomas Stenström, Mattias Millinger) 7.48.34
9º Angelniemen Ankkuri (Kari Tuomas, Hyvönen Pekka, Mäkinen Vesa, Siren Mikko, Sidorov Aleksei, Mäkelä Tuomo, Bortnik Aleksei) 7.48.43
10º Kalevan Rasti 2 (Miika Hernelahti, Miko Heinonen, Simo-Pekka Fincke, Antti Nurmonen, Adam Chromy, Aaro Asikainen, Jere Pajunen) 7.50.39


Lena Eliasson decisiva

Entretanto, da tarde de ontem vêm os resultados da Estafeta feminina, onde a turma sueca do Domnarvets GoIF foi a grande vencedora, repetindo o feito de 2008. Partindo para o último dos quatro percursos lado-a-lado, Lena Eliasson (Domnarvets GoIF) e Anni-Maija Fincke (Tampereen Pyrintö) travaram intensa luta, com a finlandesa a dominar até ao 15º dos 17 pontos da derradeira e decisiva manga. E foi já a ouvir o tumulto duma Arena ali bem próxima que Anni-Maija Fincke baqueou. Um pormenor de desconcentração, uma deficiente leitura do mapa e as esperanças do Tampereen Pyrintö em repetir a vitória do ano transacto a cairem por terra em definitivo. Disso se aproveitaram as suecas do Domnarvets GoIF que completaram os 26,7 km do seu percurso na globalidade com um registo de 2.48.54. Atrás de si classificou-se, como já se disse, a turma finlandesa do Tampereen Pyrintö, a escassos 36 segundos. O pódio ficou completo com a formação sueca do IFK Lidingö SOK, que registou um tempo de 2.52.01.

Suecas, finlandesas e norueguesas ocuparam todos os lugares cimeiros da competição até ao 100º lugar, excepção feita às lituanas do IGTISA (Kristina Rybakovaite, Gabija Razaityte, Indre Valaite e Sandra Pauzaite) no 14º lugar, às dinamarquesas do OK Pan Ärhus (Zenia Hejlskov Mogensen, Stine Bagger Hagner, Inge Knudsen e Emma Klingenberg) no 54º posto e às espanholas do Team Catalonia (Ona Rafols, Annabel Valledor, Berta Meseguer e Anna Serralonga Arqués), num muito saudado 79º lugar. Sem a presença marcante da suiça Simone Niggli, as suecas do Ulricehamns OK – que, com quatro triunfos são, a par das finlandesas do Tampereen Pyrintö, as detentoras do maior número de vitórias na competição – não foram além do 37º lugar. Refira-se a terminar que participaram na 34ª edição da prova 1016 equipas, das quais 963 lograram concluir a sua prova.


Resultados

Domnarvets GoIF (Emma Johansson, Karolina Höjsgaard, Eva Jurenikova, Lena Eliasson) 2.48.54
Tampereen Pyrintö (Venla Niemi, Saila Kinni, Riina Kuuselo, Anni-Maija Fincke) 2.49.30
IFK Lidingö SOK (Ines Broadmann, Annica Gustafsson, Signe Söes e Annika Billstam) 2.52.01
NTNUI(Hanne Növik, Bodil Holmström, Line Hagman, Mari Fasting) 2.52.05
Kalevan Rasti (Mari Väänänen, Marika Mikkola, Aija Skrastina, Amélie Chataing) 2.52.06
Bäkkelagets SK (Kine Gulliksen, Tone Wigemyr, Marit Kahrs, Heidi Östlid Bagstevold) 2.52.09
Stora Tuna OK (Lena Gillgren, Anna Marsell, Tove Alexandersson, Emma Claesson) 2.52.17
Angelniemen Ankkuri (Heini Saarimäki, Maria Rantala, Sanna Nurmi, Natalia Vinogradova) 2.52.27
Delta (Sonja Liukkonen, Jenny Paulin, Laura Leijola, Julia Novikova) 2.53.23
10º OK Kolmarden (Malin Leijon-Lind, Kristin Löfgren, Anna Forsberg, Anna Segersson) 2.53.57



  





[Fotos extraídas da galeria do evento em http://www.jukola2011.kuvat.fi/]


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: