sexta-feira, 24 de junho de 2011

EYOC JINDŘICHŮV HRADEC 2011: TUDO A POSTOS PARA A GRANDE COMPETIÇÃO




Têm hoje início em Jindřichův Hradec os X Campeonatos da Europa de Jovens EYOC 2011. Na República Checa, ao longo de três dias, mais de trezentos atletas irão desafiar as suas qualidades e capacidades em luta por uma medalha, naquele que é, para muitos deles, o ponto alto da temporada. Um acontecimento aqui lançado pelo Orientovar e que irá ser acompanhado a par e passo.


A festa dos Campeonatos da Europa de Jovens de Orientação Pedestre está de regresso à República Checa. Depois de Šumperk ter sido palco, em 2005, da 4ª edição do EYOC, Jindřichův Hradec, muito próximo da fronteira com a Áustria, recebe de hoje e até domingo a 10ª edição da competição, numa organização conjunta da Federação de Orientação da República Checa, Magnus Orienteering, S.O.S. Jindřichův Hradec e Associação Regional Sul ČSOS.

Os Model Events de Distância Longa e de Estafetas, bem como um Model técnico de Sprint, mantiveram os atletas ocupados ao longo do dia de ontem e o programa competitivo arranca hoje, ao início da tarde, com a prova de Sprint, Amanhã de manhã terá lugar a prova de Distância Longa e tudo termina no domingo com a festa das Estafetas. Do programa social fazem parte as Cerimónias de Abertura e de Encerramento, as Cerimónias de Entrega de Prémios relativas a cada uma das provas e ainda uma muito aguardada “EYOC Party” que reunirá, na noite de sábado, todos os participantes na competição, para uma festa-convívio que promete ser “de arromba”.


Comitiva portuguesa com dez atletas

Nesta 10ª edição do Campeonato da Europa de Jovens de Orientação Pedestre estão inscritos um total de 336 atletas, em representação de 30 países, assim distribuídos: 84 atletas no escalão M16 (rapazes nascidos no ano de 1995 e seguintes), 90 atletas no escalão M18 (rapazes nascidos nos anos de 1993 e 1994, e seguintes), 84 atletas no escalão W16 (raparigas nascidas no ano de 1995 e seguintes) e 78 atletas no escalão W18 (raparigas nascidas nos anos de 1993 e 1994, e seguintes). O número máximo de atletas permitidos por escalão é de quatro, com a Áustria, a Hungria, a Letónia, a Lituânia, a Rússia, a Espanha, a Suiça, a Ucrânia e, naturalmente, a República Checa, a apresentarem-se em Jindřichův Hradec na máxima força. Grandes potências da Orientação mundial, a Finlândia, a Noruega e a Suécia fazem-se representar com quatro elementos em dois dos quatro escalões de competição - M18 e W18. Situação semelhante ocorre com a Dinamarca, que ao invés apresentará os seus atletas apenas nos escalões M16 e W16. Croácia e Bielorússia, com um atleta cada, são os países menos representados neste EYOC 2011.

Falando de Portugal, a comitiva presente no EYOC 2011 é chefiada por António Aires, Director Técnico Nacional, coadjuvado pelo Responsável pelas Selecções Jovens de Orientação Pedestre, Tiago Aires. Quanto aos atletas portugueses presentes na República Checa e que têm a responsabilidade de prestigiar as nossas cores são em número de dez, três no sector feminino e os restantes no sector masculino, a saber: W16 – Beatriz Moreira (CPOC) e Carolina Delgado (GD4C); M16 – Filipe Augusto (ADFA), Miguel Ferreira (ADFA), Tiago Baltazar (GDU Azóia) e João Cascalho (GafanhOri); W18 – Vera Alvarez (CPOC); M18 – Luís Silva (ADFA), Pedro Silva (GafanhOri) e Rafael Miguel (Ori-Estarreja). Beatriz Moreira, Carolina Delgado e Filipe Augusto fazem aqui a sua estreia na competição, ao passo que para Vera Alvarez e Rafael Miguel este é já o quarto EYOC da sua carreira. A título de curiosidade refira-se que Portugal fez-se representar até hoje na competição por 38 atletas, com essa particularidade de Mariana Moreira, Joana Costa e Isabel Sá se terem despedido do EYOC no ano transacto, depois de seis participações consecutivas na competição.


Repetir o brilharete de Eger?

Cruzando a lista de atletas presentes nesta edição do EYOC 2011 com os resultados alcançados nas anteriores edições da competição, há desde logo dois nomes que se destacam e será sobre eles que repousarão os olhos mais atentos. Por um lado, teremos o polaco Piotr Parfianowicz, um diamante da Orientação mundial, detentor dos títulos mundiais de Sprint e de Distância Longa em Soria (Espanha), no ano transacto, e Vice-Campeão da Europa de Distância Longa em 2009, em Kopaonik (Sérvia), no escalão M16. Embora este ano o atleta vá competir em M18, será sempre um nome a ter em conta. Outro grande nome dos Campeonatos que transita dos anos anteriores, embora sem mudar de escalão como acontece com Parfianowicz, é o da suiça Sandrine Müller, ela que conta já quatro títulos maiores no seu medalheiro pessoal do EYOC, dois de Sprint e dois nas Estafetas (2009 e 2010). Mas há mais, a começar pelos italianos Mattia Debertolis, Elisa Lucian e Riccardo Scalet e a acabar nos suecos Anton Johansson, Frida Sandberg, Olivia Kollberg, passando pela austríaca Anika Gassner, todos eles apostados em provar que os títulos Mundiais de Desporto Escolar alcançados em Itália, há pouco mais de um mês, não foram por acaso. No meio de tantos nomes sonantes, não podemos esquecer o seleccionado checo que lidera de forma destacada o medalheiro dos Campeonatos, tendo chegado ao ouro em todas as edições do EYOC e conta, no seu medalheiro particular, com a extraordinária soma de 85 medalhas, sendo 38 de ouro, 24 de prata e 23 de bronze.

No tocante aos portugueses, é mandatório recordar que em Eger (Hungria), no dia 22 de Junho de 2007, Diogo Miguel alcançou o título europeu de Sprint no escalão M18, à frente, nomeadamente, do suiço Mattias Kyburz (Suiça), um atleta que ainda na passada quinta-feira venceu a primeira etapa da Taça do Mundo 2011. Mas se esta foi a única medalha portuguesa em nove edições do EYOC, outros resultados há que merecem uma referência muito especial, sobretudo aqueles alcançados na última edição em Soria e que, no seu conjunto, elevaram Portugal ao 6º lugar do 'ranking' geral, num conjunto de 29 equipas. O nosso seleccionado trouxe na bagagem sete diplomas (atletas nos 6 primeiros lugares), quando até aí apenas tinhamos alcançado dois diplomas, ambos por Diogo Miguel, um que lhe valeu o título de Campeão Europeu de Sprint em 2007, como referido anteriormente, e outro graças ao quarto lugar obtido em Skofja Loka (Eslovénia), no EYOC 2006.


Filipe Augusto será o primeiro a partir

Em Jindřichův Hradec, por estes dias, respira-se Orientação. Já ontem, na Conferência de Imprensa, foi possível perceber nas palavras de David Aleš, o Director-Geral do EYOC 2011, a importância deste evento não apenas para a Orientação na República Checa mas para a modalidade dum modo geral. Jiří Šubrt, Secretário-Geral da Federação Checa de Orientação, fazia questão de referir que os Jogos da República Checa, englobados na 5ª Olimpíada de Verão, que decorrerá em Olomouc, contarão com a presença de duas modalidades não olímpicas, uma das quais será, precisamente, a Orientação. Também Petr Kubičko, o Presidente do clube local de Orientação S.O.S. Jindřichův Hradec, destacava a importância do evento para a região da Boémia do Sul. Finalmente, o jovem atleta Marek Minář, medalha de bronze na prova de Distância Longa da última edição do EYOC, em Soria, referia estar ansioso pelo início dos Campeonatos, falava da sua enorme motivação mas mostrava-se cauteloso quanto à possibilidade de uma medalha. “Procurarei chegar a um dos seis primeiros lugares nas provas individuais. Se conseguir uma medalha, então ficarei muito feliz”, disse.

Entretanto, no que aos portugueses diz respeito, todos sabemos que a fasquia está colocada a um nível muito alto. Há uma enorme expectativa em saber do que são capazes os nossos atletas, nomeadamente no tocante a Luís Silva, Vice-campeão do Mundo de Distância Longa nos recentes Mundiais ISF disputados em Primiero (Itália) e 6º classificado na prova de Distância Longa no EYOC 2010. As hostilidades abrem daqui a sensivelmente três horas, quando forem 14h00 em Jindřichův Hradec (menos uma hora em Portugal Continental), com uma muito esperada prova de Sprint. Uma análise à lista de partidas permite perceber que, quando os ponteiros do relógio assinalarem as 14h10m30s, Filipe Augusto será o primeiro atleta português a embrenhar-se no emaranhado de ruas e ruelas de Třeboň, nas margens do Lago Svět, 30 km a sudoeste de Jindřichův Hradec. Vera Alvarez irá partir às 14h51m00s, enquanto só 18 minutos mais tarde entrará em cena Luís Silva, uma vez mais o último atleta português a partir.


Orientação e... Futebol

A terminar esta crónica, o Orientovar faz uma concessão ao Futebol e deixa-vos com esta curiosidade: foi em Třeboň que nasceu Karel Poborský, figura de eleição do futebol mundial que chegou a vestir as cores do SL Benfica na época de 2000/2001 e que ficará na memória dos amantes do desporto-rei como o homem que eliminou Portugal nos quartos-de-final do Campeonato da Europa de 1996, em Inglaterra, com um monumental “chapéu” a Vítor Baía [pode ver essa obra de arte AQUI].

Saiba tudo sobre o EYOC 2011 em http://eyoc2011.cz/.


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: