sábado, 25 de junho de 2011

EYOC JINDŘICHŮV HRADEC 2011: TÍTULOS DE DISTÂNCIA LONGA PARA TODOS OS GOSTOS




As florestas de Sedlo, pequena localidade a sul de Jindřichův Hradec, foram palco esta manhã da prova de Distância Longa dos Campeonatos da Europa de Jovens de Orientação Pedestre EYOC 2011. A jogar em casa, os checos chegaram pela primeira vez ao ouro, num dia em que as prestações dos atletas portugueses se cotou pela mediania.


Tudo começou bem cedinho. Os ponteiros do relógio batiam as nove horas (hora local) e já os primeiros atletas se embrenhavam na lindíssima floresta de Sedlo, pequena localidade situada 15 km a sul de Jindřichův Hradec, o quartel-general desta 10ª edição dos Campeonatos da Europa de Jovens de Orientação Pedestre EYOC 2011. Num mapa desenhado por Tomáš Leštínsky, à escala de 1:15 000 e com distâncias a variar entre os 5.600 metros (130 metros de desnível) e os 9.500 metros (265 metros de desnível), foram em número de 234 os atletas que, representando 30 países, se entregaram aos imensos desafios impostos, com um único intuito: o de se superarem em busca do melhor resultado possível.

Concluídas as provas, os novos Campeões da Europa de Jovens de Distância Longa dão pelo nome de Mikkel Aaen (Dinamarca), Rudolfs Zernis (Letónia), Karolína Bořánková (República Checa) e Frida Sandberg (Suécia). Quatro nomes diferentes daqueles que alcançaram ontem os títulos europeus de Sprint, quatro países que chegam ao ouro pela primeira vez nestes Campeonatos. E a primeira lição a tirar destes resultados é a de que a hegemonia deste ou daquele país parece ter desaparecido dos Campeonatos, verificando-se um equilíbrio muito grande na luta pelos lugares cimeiros, o que acaba por se revelar extraordinariamente positivo para a própria modalidade.


República Checa chega ao ouro

Começando pelo escalão W16, a República Checa chegou pela primeira vez ao ouro nestes Campeonatos, graças a uma grande prestação de Karolína Bořánková, uma atleta que tinha feito a sua estreia no EYOC em Soria, no ano transacto, alcançando o 12º lugar na prova de Distância Longa e chegando mesmo à medalha de prata na Estafeta, ao lado de Lenka Svobodova e Katerina Chroma. Desta feita, Bořánková superiorizou-se a todas as suas adversárias, concluindo o seu percurso em 43:19 e deixando a dinamarquesa Amanda Flack Weber, segunda classificada, a 1:10 de diferença. O terceiro lugar coube a outra atleta checa, Anna Štičková, com um registo de 45:22. Vencedora da prova de ontem, a suiça Sandrine Müller não foi hoje além da quinta posição, com um tempo de 46:08, enquanto Carolina Delgado e Beatriz Moreira, as nossas representantes, se quedaram pelas 43ª e 78ª posições, respectivamente, num conjunto de 81 atletas que lograram completar a prova.

Depois de ter ganho tudo o que havia para ganhar nos recentes Mundiais ISF Itália 2011, a sueca Frida Sandberg foi hoje a mais rápida no escalão W18, vencendo com o tempo de 48:41, à frente da ucraniana Mariya Polishchuk, que repete aqui a medalha de prata alcançada no ano passado em Soria, embora nessa altura na distância de Sprint, e da austríaca Anja Arbter, ela que também já tinha pisado um pódio dos Europeus quando, em Kopaonik, ao lado de Anna Nilsson-Simkovics e Lisa Pacher, foi medalha de bronze na prova de Estafeta. Recorde-se que Frida Sandberg já ontem tinha ameçado o pódio, quedando-se pela quarta posição a escassos 0:08,2 do terceiro posto, que coube à bielorussa Anastasia Denisova. Vera Alvarez, a única presença portuguesa neste escalão, não foi além do 69º lugar entre as 77 atletas que lograram concluir o seu percurso, naquele que é o seu pior resultado de sempre na distância, em quatro participações consecutivas no EYOC.


Mikkel Aaen e Rudolfs Zernis, as grandes figuras do EYOC 2011

Passando ao sector masculino e começando pelo escalão M16, não foi propriamente uma surpresa ver o dinamarquês Mikkel Aaen chegar à vitória com um registo de 46:42, ele que já ontem se tinha sagrado vice-campeão da Europa na disciplina de Sprint . Mikkel Aaen contou com a forte oposição do lituano Algirdas Bartkevičius, um atleta que ontem alcançou uma honrosa 6ª posição na prova de Sprint e chega hoje à medalha, a segunda a título individual na história da Lituânia na competição, quebrando um longo jejum depois de Simonas Krepsta ter sido Campeão Europeu de Distância Longa na primeira edição do evento, em 2002 (Gdynia, Polónia). O suiço Quentin Mertenat completou o pódio enquanto a grande figura da prova de Sprint na tarde de ontem, o búlgaro Apostol Atanasov, fez uma prova francamente para esquecer, concluindo no 63º lugar a 21:40 do vencedor. O conjunto português neste escalão teve em João Cascalho o seu melhor elemento, ao concluir no 32º lugar, naquele que é o melhor resultado de sempre do atleta português nesta distância, em três participações no EYOC.

Finalmente, no escalão M18, o polaco Piotr Parfianowicz constituiu a grande decepção da jornada de hoje ao quedar-se pelo 31º lugar, numa prova que teve no lituano Rudolfs Zernis o grande vencedor com o tempo de 54:59. Recorde-se que, à semelhança de Mikkel Aaen, também Rudolfs Zernis se tinha sagrado ontem Vice-Campeão da Europa de Jovens na vertente de Sprint e os dois, em conjunto, são até ao momento as grandes figuras destes Europeus. Atrás de Zernis classificou-se o sueco Erik Malmberg, a 1:02 de diferença, enquanto o polaco Robert Niewierdziala fechou o pódio, a 3:04 do vencedor. Marcando presença pela terceira vez consecutiva no EYOC, Pedro Silva alcançou um brilharete ao concluir na 21ª posição, pulverizando o seu anterior melhor resultado e que era um 52º lugar alcançado no ano transacto. Já Luís Silva, Vice-Campeão Europeu de Desporto Escolar 2011 e 6º classificado nesta distância no último EYOC, em Soria (Espanha) esteve hoje particularmente infeliz, concluindo no 45º lugar.


Resultados

M16
(7.800 metros, 16 pontos de controlo, 83 atletas)
1º Mikkel Aaen (Dinamarca) 0:46:42
2º Algirdas Bartkevičius (Lituânia) 0:46:55
3º Quentin Mertenat (Suiça) 0:47:49
4º Jan Pavlovec (República Checa) 0:49:06
5º Martin Šmelík (Eslováquia) 0:49:11
6º Sven Hellmüller (Suiça) 0:49:23
(…)
32º João Cascalho (Portugal) 0:55:40
42º Tiago Baltazar (Portugal) 0:57:52
54º Miguel Ferreira (Portugal) 1:02:48
74º Filipe Augusto (Portugal) 1:12:31

M18
(9.500 metros, 20 pontos de controlo, 89 atletas)
1º Rudolfs Zernis (Letónia) 0:54:59
2º Erik Malmberg (Suécia) 0:56:01
3º Robert Niewiedziala (Polónia) 0:58:03
4º Franko Dávid (Eslováquia) 0:58:32
5º Tommi Oksanen (Finlândia) 0:58:36
6º Marek Minář (República Checa) 0:58:57
(…)
21º Pedro Silva (Portugal) 1:03:01
45º Luís Silva (Portugal) 1:09:29
53º Rafael Miguel (Poretugal) 1:11:34

W16
(5.600 metros, 14 pontos de controlo, 84 atletas)
1º Karolína Bořánková (República Checa) 0:43:19
2º Amanda Falck Weber (Dinamarca) 0:44:29
3º Anna Štičková (República Checa) 0:45:22
4º Martina Dzhulieva (Bulgária) 0:45:29
5º Sandrine Müller (Suiça) 0:46:08
6º Miri Thrane Odum (Dinamarca) 0:46:42
(…)
43º Carolina Delgado (Portugal) 0:59:27
78º Beatriz Moreira (Portugal) 1:25:10

W18
(6.800 metros, 16 pontos de controlo, 78 atletas)
1º Frida Sandberg (Suécia) 0:48:41
2º Mariya Polishchuk (Ucrânia) 0:49:21
3º Anja Arbter (Áustria) 0:51:50
4º Florence Haines (Grã-Bretanha) 0:52:21
5º Kaisa Raudkepp (Estónia) 0:52:30
6º Anna Ulvensoen (Noruega) 0:52:58
(…)
69º Vera Alvarez (Portugal) 1:13:18


República Checa lidera Campeonatos

No final deste segundo dia de provas, Portugal ocupa a 20ª posição entre 30 equipas, com um total de 343 pontos. A tabela é comandada pela República Checa, com 1267 pontos, mais 136 pontos que a Suiça e 318 pontos que a Rússia, segunda e terceira classificadas, respectivamente. Num pequeno “campeonato regional”, entre países de valor semelhante ao nosso, poderemos adiantar que nos encontramos à frente da Itália (342 pontos), Espanha (292 pontos) e Roménia (217 pontos).

Em termos de medalheiro dos Campeonatos, as 24 medalhas já distribuídas até ao momento estão na posse de atletas de 14 países. A Dinamarca, com uma medalha de ouro e três de prata, segue na frente desta particular tabela, seguida da Letónia, com uma medalha de ouro, uma de prata e uma de bronze, e da Suécia, com uma medalha de ouro e uma de prata. A Polónia, com uma medalha de ouro e duas de bronze e a República Checa, com uma medalha de ouro e uma de bronze, seguem nas posições imediatas. Amanhã, último dia dos Campeonatos, terá lugar a partir das 08h00, hora de Portugal, a prova de Estafetas. Nas florestas de Hradište, 15 km a sudeste de Jindřichův Hradec, os atletas presentes nesta 10ª edição dos Campeonatos da Euroipa de Jovens de Orientação Pedestre têm uma última oportunidade de mostrarem aquilo que valem. Continue a acompanhar tudo em http://eyoc2011.cz/ ou aqui, no seu Orientovar.

[Foto de Rafael Miguel na prova de hoje, extraída da Galeria da página oficial da prova em https://picasaweb.google.com/eyoc2011cz/Long1]


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: