quinta-feira, 26 de maio de 2011

MISSÃO ITÁLIA ISF 2011: FEIRA DAS NAÇÕES, (MAIS UM) MOMENTO ALTO DOS MUNDIAIS




Continuam a chegar amiúde à redacção do Orientovar os ecos da participação portuguesa nos Campeonatos do Mundo de Orientação de Desporto Escolar ISF 2011. Pela pena de Ricardo Chumbinho, aqui fica uma descrição daquilo que foi a Feira das Nações, um "must" dos Mundiais.


Teve lugar um dos mais emblemáticos eventos do ISF, a Feira das Nações. Trata-se de um período em que todas as delegações dispõem de um espaço cedido pela Organização, neste caso um stand com 3x3 metros, o qual os países utilizam para expor e colocar à disposição dos companheiros tudo o que entenderem por bem para divulgar e dar a conhecer-se enquanto País.

Trata-se de uma verdadeira feira em que todos os participantes circulam pelo espaço, interagindo e convivendo entre si, ao mesmo tempo que trocam adereços, mapas, folhetos turísticos, pins e outros, bem como degustam toda a espécie de iguarias que cada país apresenta.

A Feira, na edição deste ano, decorreu na Praça Central, frente à Câmara Municipal e sumos, bebidas espirituosas (para os adultos), água, doces variadíssimos, queijos, enchidos, presunto, tapas diversas, etc, etc, fizeram as delícias de todos. No nosso caso tínhamos um extenso e variado leque de informação turística, folhetos, pins e galhardetes, acompanhados de deliciosas queijadas de Sintra.

Ao mesmo tempo que decorria a Feira, num palco adjacente, tinham lugar apresentações de carácter local protagonizadas por cada uma das delegações. Por ordem alfabética foram desfilando danças, cantares e jogos, nalguns casos acompanhados por projecções no écran gigante. Destaque para uma exibição de Hurling (jogo tradicional) do Eire, danças tradicionais de Israel, Polónia e Escócia, esta acompanhada por gaitas-de-foles ao vivo, o 'haka' neozelandês, cantares da China, danças Sevilhanas da Espanha, entre outros. A delegação portuguesa dançou o Tacão e Bico de forma exemplar, naquele que foi um dos momentos mais animados da tarde.

Entretanto, a organização publicou a constituição das equipas para o Friedship Team Event, última grande manifestação do evento e que, basicamente, é constituída por uma “prova” por equipas em percurso de escolha livre, sendo as equipas formadas por três elementos sorteados entre todos os participantes. É publicada a constituição das equipas e depois pode imaginar-se a verdadeira azáfama que se segue, com toda a gente à procura, entre as centenas de participantes, de alguém que apenas identifica pelo país e pelo nome. E se há nomes mais fáceis de pronunciar, tentar dizer o nome de um atleta chinês, finlandês, estónio ou letão, a título de exemplo, pode nem sempre ser fácil, já para não considerar a barreira linguística que, em alguns casos, torna esta situação verdadeiramente hilariante.

Enfim, uma verdadeira festa…

Ricardo Chumbinho









[Fotos retiradas da página do evento no Facebook]


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: