terça-feira, 24 de maio de 2011

MISSÃO ITÁLIA ISF 2011: DIA 2




As dificuldades sentidas por Paulo Fernandes e Ricardo Chumbinho em conseguirem acesso à rede e “despachar” material informativo para Portugal, resulta num atraso relativo a uma série de conteúdos. Apesar duma certa inversão na ordem dos acontecimentos, não podíamos deixar em claro aquele que foi o primeiro contacto com Primiero, marcado pelo Model Event e pela Cerimónia de Abertura destes Mundiais Itália ISF 2011. Para memória futura!


A manhã do grupo começou com o pequeno-almoço, já tarde, para procurar compensar o desgaste da véspera. A manhã do grupo… porque a manhã de alguns elementos individualmente considerados começou com um verdadeiro choque ao abrir os cortinados do quarto e deparar-se com uma paisagem absolutamente esmagadora que o escuro da noite da chegada nos havia escondido! A toda a volta e a parecerem sair das próprias varandas tal a proximidade, picos característicos desta zona Alpina do Sud-Tirol mundialmente conhecida por Dolomites, com cumes acima dos 2.000 metros, muitos dos quais cobertos de neve e todos eles revestidos por manchas verde escuro de pinheiros alpinos. E sol; muito sol e céu azul! Lembram-se os mais velhos dos desenhos animados da Heidi??? Pois é…

Para muitos, a questão que se colocava era então a seguinte: como serão os terrenos do Model Event? Não demorámos muito a saber pois após uma viagem de cerca de 15 minutos em autocarro, fomos levados à, desde já desvendo, idílica zona de treinos. Um enorme prado absolutamente verde com um lago azul num dos lados, no qual desagua um regato de água cristalina (e provavelmente fria), emoldurado por íngremes encostas de floresta limpa, salpicada por algumas zonas abertas e com pedras aqui e acolá, eram o apetecível palco do nosso treino. Distribuição de mapas, aquecimento, alongamentos… afinação de estratégias para o treino em função das características individuais, associadas às do terreno e ao facto de no dia seguinte ser o primeiro grande embate com o mapa e terreno, e aí está toda uma delegação a praticar a melhor modalidade do mundo num cenário de filme.

Muito útil o treino, especialmente para alguns mais receosos do declive e que puderam constatar que, em função do traçado dos percursos, é possível tomar opções que evitam desgaste físico adicional.

Findo o treino seguiram-se importantes reuniões técnicas da Organização com as comitivas, durante as quais foram passadas importantes informações sobre a prova do dia seguinte, bem como materiais como dorsais, ordens de partida, etc.

Seguiu-se o primeiro momento alto em termos de evento – a Cerimónia de Abertura. Concentração numa das praças da vila, com muito colorido dado pelos equipamentos nacionais das diversas comitivas, as dezenas de bandeirinhas dos países participantes distribuídas pela Organização e todo o “folclore” que os próprios atletas se encarregam, nestas ocasiões, de proporcionar. À hora marcada (bem…. não exactamente à hora marcada…) começou um muito animado desfile das comitivas pelas ruas principais da povoação. Foi o momento escolhido pelos aprumados escoceses, desfilando atrás da nossa comitiva, para exibirem o inconfundível som das suas gaitas de foles. Quem não esteve pelos ajustes foi a autêntica bateria de vuvuzelas da nossa comitiva, cujo som rapidamente se sobrepôs ao dos escoceses (e a qualquer outro…) e manteve constante e notada presença até final do desfile. Extraordinário o facto de muita população se ter colocado de ambos os lados das artérias pelas quais evoluiu o desfile, aplaudindo incessantemente os atletas, que foram igualmente generosos na forma como retribuíram com manifestações próprias dos respectivos países e magníficas manifestações de fair-play das comitivas relativamente umas às outras. É a festa da Orientação e do Desporto Escolar.

Depois do jantar, que no caso dos responsáveis pelas delegações foi um jantar medieval ao ar livre nos jardim do Palazzo delle Miniere, com panorâmica magnífica sobre as montanhas, começou o ISF a sério em termos desportivos para os nossos jovens. Reunião dos técnicos com todos os atletas, de preparação e escalpelização do dia seguinte, mas também de afinação de alguns procedimentos desportivos e não só. Muita concentração, muita entrega e igualmente muita participação, deixam perceber que todos e cada um destes atletas estão prontos para dar todo o seu melhor na prova de Distância Longa e, quando assim acontece, só haverá motivos para satisfação. Se por consequência algum resultado desportivo for importante, a nossa alegria e satisfação serão então muito maiores.
Ah… apareceu a mala do Miguel Ferreira!

Professor Ricardo Chumbinho

Acompanhe os Mundiais em http://www.italiaor2011.com/ ou aqui, no seu Orientovar.

[Foto extraída da página do evento no Facebook]


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

1 comentário:

Cláudio Tereso disse...

vuvuzelas? A sério? Porquê?

vuvuzelas à parte, estou certo que vai ser uma semana fabulosa e que todos vão vir com recordações para o resto da vida ;)