sexta-feira, 27 de maio de 2011

MISSÃO ITÁLIA ISF 2011: A DANÇA DAS MEDALHAS




Chegados ao fim os Campeonatos Mundiais de Orientação de Desporto Escolar ISF 2011, é hora de atentarmos no medalheiro do evento. Um verdadeiro Quadro de Honra onde Portugal tem lugar cativo desde 2002.


No “lavar dos cestos”, a análise dos Quadros de Medalhas do X Campeonato do Mundo de Orientação de Desporto Escolar reflecte a supremacia da Suécia sobre todos os demais competidores. Apresentando-se em Primiero apenas com equipas nos escalões Juvenis, entre os 16 e os 17 anos (Escolas e Selecções), os suecos venceram tudo o que haviam para vencer, facto que se repete pela sexta edição consecutiva. Um “pleno” absoluto que valeu aos nórdicos doze medalhas de ouro, oito a título individual e as restantes colectivas. Junte-se a isto três medalhas de prata e quatro de bronze e percebe-se, de facto, que esta é uma potência à parte no panorama dos Mundiais de Orientação de Desporto Escolar.

Com cinco medalhas de ouro – quatro individuais e uma colectiva –, três de prata e três de bronze, a Itália foi igualmente uma grande ganhadora destes Campeonatos. Os transalpinos souberam aproveitar o factor de “jogar em casa” e gravaram pela primeira vez a ouro o seu nome na história do evento. Também a Áustria esteve ao melhor nível, alcançando quatro medalhas de ouro, duas de prata e uma de bronze; todavia, o seu nome desaparece da lista de escolas medalhadas, facto que sucede pela segunda vez na sua história.



O Quadro de Medalhas integra um total de doze países, os quais dividiram entre si as 72 medalhas atribuídas, 24 correspondentes aos três primeiros classificados individuais da prova de Distância Longa e outras tantas correspondentes aos três primeiros classificados individuais da prova de Distância Média e aos três primeiros classificados colectivamente. É curioso verificar que a Inglaterra e a Letónia são dos países mais medalhados – dez medalhas a Inglaterra e oito a Letónia -, embora os ingleses apenas tenham chegado ao ouro uma vez apenas, enquanto os letões se quedaram apenas pelo bronze.

Pela terceira edição consecutiva, Finlândia e Escócia voltaram a marcar presença no quadro de medalhados, enquanto a Nova Zelândia alcança tal desiderato pela primeira vez. Portugal, com uma medalha de prata e uma de bronze, é uma presença notada neste medalheiro, mantendo uma tradição que vem desde 2002, altura em que os Campeonatos tiveram lugar precisamente no nosso País.



Estamos assim em condições de apresentar o Quadro de Medalhados ao longo das dez edições dos Mundiais ISF e onde se confirma não só a supremacia esmagadora da Suécia, mas também esse facto de Portugal, juntamente com a Letónia e a Suécia, serem os únicos países a marcarem presença sucessiva neste quadro de elite desde 2002.



Tudo para conferir em http://www.italiaor2011.com/.


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: