quarta-feira, 18 de maio de 2011

I OPEN DE ORIENTAÇÃO DE PRECISÃO DO HOSPITAL DA PRELADA APRESENTADO EM CONFERÊNCIA DE IMPRENSA




Está aí o I Open de Orientação de Precisão do Hospital da Prelada. O evento foi apresentado esta manhã em Conferência de Imprensa que decorreu nas instalações daquele Estabelecimento de Saúde da cidade do Porto.


No próximo dia 04 de Junho, pelas 10h00, terá lugar no Hospital da Prelada a prova de encerramento do I Circuito de Orientação de Precisão “Todos Diferentes, Todos Iguais”. Organizado pelo Hospital da Prelada, o I Open de Orientação de Precisão conta com os apoios institucionais do Grupo Desportivo dos Quatro Caminhos e da Federação Portuguesa de Orientação e ainda, entre outros, da Fundação Montepio, Ambulâncias São Cristóvão, Arod-Mapas, Vitalis, Itau, Mobilitec e Teprel.

Com o início marcado para as 10h00, o evento contemplará um percurso de dez pontos de decisão, um dos quais cronometrado, e disputar-se-á em duas categorias: Competição e Formação. Na primeira podem participar, se assim o desejarem, todos os atletas que tiveram já algum contacto com a modalidade. Neste caso, o percurso será feito sem qualquer tipo de apoio ou ajuda, a menos que solicitada e apenas para auxílio na deslocação dos meios de locomoção. Na actividade de Formação, a prova poderá ser feita individualmente ou em grupo e acompanhada por um monitor que dará explicações em cada ponto sobre orientação do mapa, leitura de sinalética e opções a tomar.


Todos Diferentes, Todos Iguais

Para Rúben Almeida, Director do Serviço de Medicina Física e de Reabilitação do Hospital da Prelada, a realização do I Open de Orientação de Precisão representa “um passo mais no sentido da oficialização do Núcleo de Desporto Adaptado do Serviço de Medicina Física e de Reabilitação do Hospital da Prelada”. Rúben Almeida enfatizou a importância de “sermos um Serviço de portas abertas à comunidade, formulando convites aos alunos dos vários Estabelecimentos de Ensino ou a utentes de outros Estabelecimentos de Saúde, nomeadamente aqueles dos vários Serviços de Medicina Física e de Reabilitação, para que nos visitem”. “Queremos que venham conhecer-nos e vivenciar connosco a nossa forma de ser e de estar”, disse.

Joaquim Margarido, Director da Prova, começou por lembrar aqueles que ajudaram a relançar a Orientação de Precisão em Portugal, a quem dirigiu uma palavra de reconhecimento e gratidão. Referindo-se de seguida ao I Open de Orientação de Precisão, enfatizou a importância dum mapa “único”, com cartografia de Armando Rodrigues, “que ofereceu o seu trabalho ao Hospital da Prelada”. Para aquele responsável, trata-se de “uma ferramenta que vai permitir desenvolver actividades diversas no futuro e, desde já, proporcionar a retribuição da atenção que nos tem sido votada ao longo de vinte participações no exterior, orgulhando-nos agora de podermos abrir as portas da nossa casa e, com a maior emoção e franqueza, receber todos aqueles que nos queiram dar o prazer da sua visita.” A terminar, ainda um desafio: “Todos nós conhecemos alguém com défice de mobilidade. Vamos dar o nosso contributo no sentido de cada um nós trazer uma pessoa nessas condições, proporcionando-lhe uma manhã especial. No dia 4 de Junho vamos encher os jardins do nosso Hospital e vamos aceitar o desafio dum mapa e dum percurso de Orientação de Precisão. Isto num mesmo espaço, num mesmo tempo e ao encontro dum mesmo ideal: Todos Diferentes, Todos Iguais.”


Exposição de Fotografia inaugurada

No uso da palavra, Fernando Costa lembrou o percurso do Grupo Desportivo dos Quatro Caminhos na Orientação de Precisão, até ter encontrado no Núcleo de Desporto Adaptado do Serviço de Medicina Física e de Reabilitação do Hospital da Prelada “o parceiro ideal” para o relançamento da modalidade em Portugal. Na sua intervenção, Fernando Costa fez questão de afirmar que “os olhos estão postos em nós e neste I Circuito de Orientação de Orientação de Precisão Todos Diferentes Todos Iguais, que servirá de modelo ao lançamento da primeira edição da Taça de Portugal de Orientação de Precisão, muito provavelmente já em 2012”. Também Bento Amaral, paraplégico, um desportista nato, ex-recordista mundial de velocidade na neve e Campeão do Mundo de Vela Adaptada (2005), fez questão de louvar a abertura do Serviço de Medicina Física e de Reabilitação ao Desporto Adaptado, considerando-o como “um elemento fundamental para a integração e recuperação física e emocional da pessoa portadora de deficiência, seja ela adquirida ou de nascença”. E concluiu afirmando que, “em muitas situações, o Desporto Adaptado proporciona um são convívio com outras pessoas, servindo também como factor de integração na sociedade do cidadão com incapacidade. É o que sucede com a Orientação de Precisão”.

Dada por concluída a Conferência de Imprensa, teve lugar a inauguração da Exposição Colectiva de Fotografia, um conjunto de dezasseis instantâneos da autoria de Joaquim Margarido, Luís Lopes, Luzir e Pedro Cunha e subordinada ao título “Olhares”. Sob um mesmo tema , a Exposição dá a ver quatro formas diferentes de olhar a Orientação de Precisão e os seus grandes protagonistas. São imagens onde, mais do que aquilo que se vê, importa o que se pressente nos rostos, nos olhares e na alegria dos atletas e dos seus acompanhantes. Afinal, ao encontro do lema “Todos Diferentes, Todos Iguais”.


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

1 comentário:

Dinis Costa disse...

Todos iguais na diferença:

O título honorifico(dignatária eclesiastica - Prelada)e as acções de tal instituição são manifestação de um catolicismo praticante, pelo que se vê não se resume à palavra, "dai o meu praticante" e,as boas obras, os bons exemplos devem ser enaltecidos-sempre que vislunbrados.
A Orientação de Precisão é uma precisão, necessidade, precisa-se.