quinta-feira, 19 de maio de 2011

DUAS OU TRÊS COISAS QUE EU SEI DELA...




1. Acaba de ser publicada mais uma edição da Revista “O Praticante”. Reforçando a sua ligação às modalidades amadoras, o número de Maio dedica um amplo espaço à Orientação, com uma exaustiva cobertura daquilo que foi o Portugal O' Meeting 2011. São dez páginas extraordinariamente apelativas, com uma esmerada composição gráfica e onde os conteúdos nos permitem revisitar aquele que foi, até à data, o maior acontecimento da nossa Orientação no ano que corre. Tudo para conferir AQUI, com particular ênfase para os conteúdos das páginas 76 em diante.

2. Numa semana relativamente “morna”, o portal “Ultimate Orienteering” resolveu inovar. Começou por fazê-lo em termos da sua própria imagem, optando por um visual quiçá mais sóbrio ou, se preferirmos, minimalista, com chamadas para os artigos em destaque. Para além disto, decidiu-se pelo lançamento duma nova rubrica, com periodicidade mensal e à qual chamou “The Essencials of...”. Devo confessar que é com particular orgulho que vejo o meu nome associado a este primeiro episódio, numa Entrevista conduzida por mim ao líder do 'ranking' mundial de Orientação Pedestre, Thierry Gueorgiou [leia AQUI]. O número de visitas à página disparou e o artigo foi difundido pelo mundo inteiro, tendo recebido a extraordinária soma de 67 votos na página do World of O (onde, nos últimos sete dias, foi o mais lido). Posso já adiantar que o segundo artigo da rubrica terá igualmente a minha assinatura e desta feita irei ajudar a revelar “o essencial” duma convidada muito especial: o fenómeno sueco que dá pelo nome de Tove Alexandersson.

3. Em 26 de Fevereiro, o Orientovar publicava um artigo intitulado “Regulamento Específico de Corridas de Aventura: Prós e Contras” [AQUI] e no qual se espelhavam dois diferentes pontos de vista face às alterações introduzidas no Regulamento Específico das Corridas de Aventura. Os sucessivos adiamentos / cancelamentos das Provas da Taça de Portugal 2011 vieram concorrer para o agravamento duma situação de mal-estar instalada entre os amantes daquela disciplina e a recente publicação do “ranking”, reportando-se à única prova disputada até à data – Somozas Extreme –, parece ter sido para alguns a “gota de água” que fez entornar em definitivo o copo. O 'ranking' foi entretanto corrigido mas as feridas permanecem, agora que estamos a pouco mais de um mês do Campeonato Nacional de Corridas de Aventura // Raid Ilha Azul, que este ano decorrerá no Faial (Açores) e terá a assinatura organizativa do GDU Azoia. Regressando ao artigo e debruçando-nos sobre o espaço de Comentário, talvez comece a estar na altura de atentarmos na dúvida de Rui Marques, “se as CA é uma aposta ou se é para ignorar”. Ou como diria Augusto Almeida, no mesmo espaço: “Sem dramas nem fantasmas, vale a pena, cinco anos após a integração, pensar nisto!!!”

4. Está aí o VII Campeonato Ibérico de Orientação em BTT, que decorrerá em Oliveira de Azeméis já no próximo fim-de-semana. Da celebração do recente protocolo entre a Federação Portuguesa de Orientação e a sua congénere espanhola, resulta um modelo substancialmente diferente daquele que vigorou nas anteriores edições. As Selecções no formato habitual desaparecem, sendo os títulos individuais disputados, em cada escalão de competição, no sistema de “todos contra todos”. Por outro lado, embora se mantenham os escalões pontuáveis para o Campeonato Ibérico e o esquema de pontuação atribuído aos primeiros classificados de cada país seja o mesmo, o Campeão Ibérico será decidido pelo somatório de pontos em duas mãos, a realizar em Espanha e Portugal. Transitoriamente, este ano a decisão pende apenas sobre o evento dos próximos dias 21 e 22 de Maio, havendo desde já esse dado a reter: A competição conta com um número de inscritos inferior às duas centenas, dos quais apenas 26 espanhóis. Os escalões D18 e D20 não têm atletas inscritos e “nuestros hermanos” alinham à partida nos escalões H18, H20 e D50 com apenas um atleta, enquanto em D40 nem isso. Assim sendo, apenas a disputa dos títulos individuais se mantém em aberto, com o tão almejado título Ibérico a estar virtualmente entregue a Portugal. Este é um aspecto que parece ser particularmente penalizador, quer para a Organização, quer para a Orientação em BTT e para a própria imagem do Campeonato Ibérico. Resta-nos uma certeza: o Clube Ori-Estarreja vai dar o seu melhor e aqueles que se deslocarem a Oliveira de Azeméis no próximo fim-de-semana não darão o seu tempo por mal empregue.

5. É mais uma porta a querer abrir-se à Orientação de Precisão. Dois anos após o lançamento da Secção de Desporto Adaptado do Sporting Clube de Braga, os Professores Luís Marta e André Soares procuram alargar o leque de modalidades, que neste momento se resume ao Boccia. Os mapas de Parque e de Cidade que o Clube de Orientação do Minho detém, a par do seu dinamismo, “know-how” técnico e recursos humanos, fazem dele o parceiro ideal para pôr em marcha o projecto. Junte-se a isto o interesse e apoio da Federação Portuguesa de Orientação ao relançamento da Orientação de Precisão e parecem estar criadas as condições ideais para que possamos assistir a mais um passo importante na estruturação dum projecto que procura garantir a sua consolidação. Na origem deste momento tão especial encontra-se alguém que teve a ideia de trazer a Orientação de Precisão a Braga. Esse alguém chama-se Eliana Ferreira, é aluna do 12º Ano Tecnológico/Desporto da Escola Secundária Carlos Amarante e foi esta a fórmula encontrada para levar por diante a sua Prova de Aptidão Tecnológica. Não pretendendo imiscuir-me no desempenho de avaliada e avaliador, não posso deixar de enaltecer a iniciativa da aluna e todo o trabalho desenvolvido. Com o sentido da mais sincera admiração e gratidão, para a Eliana Ferreira vai, muito justamente, o Louvor da Semana!


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

3 comentários:

Presidente disse...

Vivam,
Sobre o Ibérico... e as provas em geral... no contexto sócio-económico vigente, onde as sondagens indicam uma retracção de 42% na participação dos cidadãos em actividades desportivas, vale a pena tentar antever o futuro próximo (que não será melhor).
Abraço

Dinis Costa disse...

VII CIOBTT,
Não é muito significativa a diferença, mas os inscritos são mais do que as duas centenas. É certo que são menos do que era espectável para um Ibérico. Mas, a conjuntura está expressa no "1 comentario".
É minha convicção que vai ser uma excelente prova e vai ser.
Fica aqui, um incentivo à Organização do Ori-Estarreja.

Ana disse...

Muito bem atribuído este Louvor à Eliana Ferreira, a quem mando os meus parabéns! De parabéns está também o Joaquim Margarido, mais uma vez, pelo reconhecimento do seu trabalho, sempre tão importante, em prol da nossa modalidade!
Em relação aos outros assuntos parece-me que tão preocupante é o que se passa com as CA's, como a constatação do decréscimo de participações nas provas, que se tem notado desde há algum tempo!