segunda-feira, 9 de maio de 2011

DIA NACIONAL DA ORIENTAÇÃO: TRINTA PARTICIPANTE EM ALENQUER PELAS MÃOS DA AFAP




Sendo uma prova de Orientação Pedestre do tipo Local, o II MOri AFAP contou apenas com três percursos: Fácil, Médio e Difícil. Houve ainda um percurso para Infantis montado dentro da Escola Damião de Goes, onde cerca de meia dúzia de miúdos correram, alegres e despreocupados, à procura do Homem-Aranha, do Faísca Mcqueen e do Noddy, entre outros.

Com o elevado número de organizações de eventos inseridos no Dia Nacional da Orientação, sabíamos que o número de participantes não seria muito elevado e como consequência tivemos cerca de trinta participantes, mais alguns dos atletas do nosso clube que também se deleitaram em percorrer as ruas de Alenquer (Paredes).

O S. Pedro prometeu mas não cumpriu e, como não choveu, tivemos um dia muito bom para a prática desportiva — nem calor, nem frio.

Recolhidos os depoimentos de alguns atletas, a opinião geral foi unânime: «gostei, percurso porreiro, mapa bom». A entrega de lembranças e de prémios foi recebida com algum espanto e contentamento, principalmente por parte dos atletas mais jovens. Como curiosidade refiro que, um dos atletas residente nesta localidade e professor na escola acima referida, ficou espantado por não conhecer um campo de futebol de cinco “encaixado” no meio de um enorme quarteirão de prédios, praticamente ao lado da escola.

Como balanço final, penso que foi uma iniciativa bem conseguida, de sucesso e em que apenas faltou um maior número de atletas para dar algum ânimo aos organizadores. Naturalmente que a iniciativa Dia Nacional da Orientação é, na minha opinião, um “must-to-have” e não deve ser encarada como um “nice-to-have”. Os rituais, as cerimónias, os costumes… dão a carga simbólica aos grupos, às organizações, aos povos… e “fabricam-se” ao longo dos anos. Ao comemorarmos este dia, damos notoriedade, visibilidade, credibilidade ao grupo e à modalidade que abraçámos.

Por mim, mantém-se!

Carlos Garcia

[Foto gentilmente cedida por Carlos Garcia]


1 comentário:

Dinis Costa disse...

Gostei de tudo até da intenção/tensão do último parágrafo.