segunda-feira, 4 de abril de 2011

TROFÉU INTERNACIONAL DE ORIENTAÇÃO EM BTT DE CÓRDOBA: POUCOS PORTUGUESES... MAS BONS!




Com o calendário nacional deste fim-de-semana recheado de muitas e boas provas de Orientação, o mais importante evento de todos acabou por se jogar fora de portas. Foi em Córdoba, na vizinha Espanha, em jornada dupla pontuável para a Taça de Portugal de Orientação em BTT 2011.


Com assinatura do Club Califas de Orientación e os apoios, entre outros, do Conselho Superior dos Desportos de Espanha, Federação Espanhola de Orientação, Federação Portuguesa de Orientação, Federação Andaluza de Orientação, Junta da Andaluzia e Córdoba 2016 Capital Europeia da Cultura, teve lugar nas imediações da monumental cidade de Córdoba o Trofeo Internacional de Orientación em BTT. Composto por duas etapas em outros tantos dias, o evento integrou os Campeonatos de Espanha 2011 de Distância Média e de Distância Longa e ainda a 3ª prova pontuável para a Taça de Portugal de Orientação em BTT 2011, depois dos eventos de Sesimbra e de Grândola.

Um dos dados mais significativos deste Trofeo Internacional de Orientación em BTT prende-se com os índices de participação demasiado baixos para uma prova desta envergadura. É verdade que no Ibérico de 2010, em El Anillo, o número de portugueses a pontuarem para o 'ranking' foi de 89 e que esse número em 2009, no Trofeo Valle de Los Pedroches tinha sido de 58. Mas este ano foram 43 os atletas que pontuaram para o 'ranking' na prova de sábado, tendo esse número descido para 37 na prova de domingo, pelo menos a fazer fé nos elementos fornecidos pela organização. Se juntarmos estes dados àqueles que, no seu conjunto, permitiram atribuir as classificações do Troféu aos 14 escalões de competição em disputa, temos um total de 98 atletas, dos quais 35 são portugueses. Mais ainda, aquilo que se constata é que o Campeonato de Espanha de Orientação em BTT foi disputado por 81 atletas na prova de Distância Média e por 77 na prova de Distância Longa. Será que isto não dá que pensar?


Susana Pontes vence e convence

Colocando os números de parte, passemos à competição onde os portugueses, ainda que poucos, foram realmente bons. Susana Pontes (CPOC) não deixou os seus créditos por mãos alheias e levou de vencida as duas etapas no escalão Damas Elite, à frente de Uxue Fraile Azpeitia (IMOS) e de Miren Andueza Arina (Peña Guara). Na Elite Masculina, Tiago Lourenço Lopes (CAOS) foi 7º na prova de Distância Média e 3º na prova de Distância Longa, alcançando um excelente 2º lugar final, atrás de Iván Trigales Delgado (Los Angeles). Cabe aqui dizer que, “para consumo interno”, o 6º lugar de Carlos Simões (COALA) na prova de sábado tem um sabor muito especial, uma vez que significa a vitória numa etapa pontuável para o 'ranking' nacional de Orientação em BTT no escalão de Elite, presumimos que a primeira da sua carreira. O mesmo aconteceu com Nuno Barreiro (NADA), 2ª classificado na etapa de domingo e melhor português, concluindo num excelente 5º lugar da Geral do Troféu.

Nos restantes escalões, Nuno Pedro (CAOS) foi o vencedor do escalão H21A, um escalão no qual se classificaram nas primeiras onze posições, nada menos que oito portugueses. O jovem Cristiano Silva (GD4C) triunfou no escalão H20, enquanto Rita Gomes (BTT Loulé) levou de vencida o escalão D45 e José Silva (ATV) triunfou em Veteranos MB. Merecem ainda uma referência a terceira posição de Márcia Rusga (GDU Azoia) em D45 e de Luciano Lucas (COALA) em Veteranos MB. Publicados tardiamente, os resultados são omissos no que à classificação por clubes diz respeito, apenas mencionando os resultados das selecções autonómicas.


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

1 comentário:

Jorge Gaspar disse...

Merecedor de destaque esta tambem Luis Barreiro, 2º classificado no domingo e melhor Português no escalão elite nesse dia, na geral ficou em 5º, e 2º melhor tuga.
Parabens Barreiro.
Jorge Gaspar