terça-feira, 26 de abril de 2011

PORTUGAL O' MEETING DE ORI-BTT 2011: IMPRESSÕES (III)




Embora com algum atraso no envio, a relevância das impressões recebidas na redacção do Orientovar a propósito da primeira edição do Portugal O' Meeting de Orientação em BTT justificam a “reabertura do processo”. Agora sim, um ponto final no grande evento.


O Portugal O' Meeting de Orientação em BTT 2011 fica marcado, claramente, pelo título obtido no Campeonato Nacional de Sprint, distância onde me sinto mais à vontade e na qual as minhas características mais se enquadram. E esta foi uma prova que decorreu muito próxima da perfeição a todos os níveis: físico, táctico e técnico (a técnica era muito importante devido ao tipo e condições do terreno e à geografia da zona). A prova de Distância Longa apresenta sempre algumas dificuldades que ainda não consegui superar - desta vez foi uma leitura inadequada do mapa. Quanto à prova de Distância Média, foi condicionada por algum – bastante! - cansaço. Para finalizar, conseguimos (Paulo Palhinha, Mário Marinheiro e João Palhinha) um excelente resultado nas Estafetas, algo que nos tem escapado nos últimos anos, o pódio em Seniores Masculinos. É um excelente prémio para a Casa do Povo de Abrunheira, um pequeno clube no seio da Orientação Nacional, de uma pequena freguesia do concelho de Montemor-o-Velho e que nos tem apoiado muito no desenvolvimento da prática desportiva, sendo todos os resultados a ela dedicados. Para finalizar o balanço, destaco a excelente organização do ATV, sob condições climáticas muito adversas e a escolha de locais e mapas que decerto agradaram a todas os atletas e com uma vertente táctica que acabou por fazer diferença.

Paulo Palhinha (Casa Povo Abrunheira)
Campeão Nacional de Sprint 2011 (HE)


Como será de esperar, estou muito satisfeito por ter finalmente conseguido o meu primeiro titulo nacional em Orientação em BTT, no fundo algo que, mesmo vencendo o 'ranking' já por duas vezes, ainda não tinha conseguido. Isto numa excelente organização do ATV e com a felicidade acrescida de, como principal responsável da vertente BTT do ADFA, termos conseguido ser o clube “campeão dos campeões”, destes campeonatos.

Mário Duarte (ADFA)
Campeão Nacional de Sprint e de Estafetas 2011 (H45)



Participei unicamente no Campeonato Nacional de Distância Longa e no Campeonato Nacional de Sprint e poderei dizer que, tirando o mau tempo que se faz sentir, gostei muito. Em termos organizativos, o ATV, mais uma vez, esteve bem, brindando-nos com bons terrenos, bons percursos, etc. Então o terreno do Sprint foi soberbo, labirinto autêntico, do melhor que se pode encontrar para este tipo de prova. Em termos pessoais, tirando pequenas e habituais hesitações, os dois Campeonatos correram-me muito bem. Na prova de Distância Longa, e devido a ter regressado aos treinos somente há quinze dias atrás, na parte intermédia / final fui-me abaixo fisicamente, sendo a vitória merecida do Luis Sousa. Consegui o segundo lugar. No Sprint, e como verifiquei que a prova era muito técnica, procurei acima de tudo fazer uma Orientação segura e sem erros. Foi uma boa opção, pois garantiu-me a vitória. Parabéns ao ATV.

Albano João (COC)
Campeão Nacional de Sprint 2011 (H50)


As minhas primeiras palavras são dirigidas ao ATV e a todas as pessoas que de dedicaram "de corpo e alma" à organização deste grande evento, abdicando de um fim-de-semana de descanso, festivo e em família (em família foi, mas a família da Orientação)! Foi tudo espectacular: o terreno, os mapas, os percursos, o pessoal da organização e a sua simpatia... tudo correu às mil maravilhas, apesar de todas as contrariedades (metereológicas e festivas)! O meu obrigada a todos e continuem assim, para bem da modalidade!

No que se refere à prova, tive logo um percalço "grave" a minutos da partida para a prova de Distância Longa. O travão traseiro da minha 'bike' (hidráulico) estava um pouco mal afinado e a quinze minutos da partida desloquei-me ao mecânico que estava associado à organização e que prestou "apoio mecânico" durante todo o evento e pedi-lhe para tentar afinar melhor o travão. Ele travava, mas não nas condições ideais. O mecânico pôs-se a tentar arranjar o travão, mas ao abrir a manete, esvaziou o que restava de óleo no circuito! A cinco minutos da partida, além de não ter travão, estava desmontado!!! Passei-me e disse: "Monte isso mesmo assim, porque tenho que partir!". Resumindo... fiz a prova sem travão traseiro (nem uma pontinha...)! Tive que ter extremo cuidado e controle com o travão dianteiro, especialmente nas descidas, tendo inclusivamente travado duas vezes "com o corpinho", ou seja, fui parar ao chão. No entanto, estava tão concentrada na prova que fiz boas opções e apesar de ter que ir mais devagar nas descidas, consegui vencer.

Na prova de Sprint do dia seguinte, já tinha travão... o que não correu bem :). Fora de brincadeiras, a prova até correu bem e fiz bons tempos e opções. No entanto, para o ponto 2 cometi um grande erro técnico e perdi-me... demorei treze minutos nesse ponto (que se fazia em um ou dois minutos) o que comprometeu o meu resultado. Na prova de Distância Média, as coisas iam a correr bastante bem, no entanto perdi-me para o ponto 4 e demorei quinze minutos a controlá-lo, quando o melhor tempo nesse ponto foi de dois minutos. Nessa altura pensei: "A prova está perdida"... Concentrei-me e tentei recuperar o tempo perdido durante o resto do percurso! Consegui fazê-lo cometendo ainda alguns erros e ganhei... por muito pouco tempo.

A prova de domingo, a Estafeta, foi muito fixe. Para mim é das provas que mais gozo dá, pois o espirito de equipa está ainda mais elevado! Apesar da pouca concorrência (mas aguerrida :)), foi uma prova muito interessante, dura fisicamente, bastante técnica e desafiante em termos de percurso.

Resumindo... foram três dias de prova muito bem disputados, com bons mapas, desafiantes em termos técnicos e físicos e a questão física agravada pelas condições do terreno, com muita lama e muitos eucaliptos cortados e atravessados nos caminhos, que se tornam bastante escorregadios quando molhados.

Rita Madaleno (ADFA)
Campeã Nacional de Distância Longa, Distância Média e Estafetas 2011 (DE)


[Foto recolhida do Boletim Noticioso do Gabinete de Comunicação e Imagem do Ginásio Clube Figueirense ]


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

1 comentário:

Maria disse...

Quero, em nome do ATV, agradecer todo o trabalho desenvolvido pelo Joaquim Margarido, na divulgação e acompanhamento do 1º POM de Ori-BTT 2011, que muito contribuiu para a sua visibilidade. Obrigada por mais este excelente contributo para a nossa modalidade!

Maria Amador