domingo, 24 de abril de 2011

PORTUGAL O' MEETING DE ORI-BTT 2011: UM PUNHADO DE CURIOSIDADES




Praticamente no "lavar dos cestos", aqui ficam algumas curiosidades referentes aos Campeonatos Nacionais de Orientação em BTT, tendo como ponto de partida os resultados verificados na edição de 2011, disputada este fim-de-semana nos concelhos de Torres Vedras e do Cadaval.


- As 41 medalhas douradas correspondentes aos títulos nacionais individuais atribuídos este fim-de-semana foram parar ao peito de 27 atletas diferentes o que constitui, em si mesmo, um record. Ou seja, nunca, até hoje, nuns Campeonatos Nacionais de Orientação em BTT, tantos atletas diferentes tinham pisado o mais alto degrau do pódio.

- Os atletas vencedores fizeram-no em representação de quinze clubes. BTT Loulé/EAFIT/BPI e CN Alvito, com sete títulos individuais cada, foram os grandes açambarcadores. Seguiram-se COC e ADFA com cinco títulos individuais cada e CIMO com três títulos.

- Destes 27 atletas, apenas 3 conseguiram a proeza de garantir o pleno de títulos: Ana Margarida Rocha (CIMO) no escalão D15, Ana Rita Gomes (BTT Loulé/EAFIT/BPI) no escalão D35 e Luísa Mateus (COC) no escalão D45. Ana Rita Gomes repete a proeza pelo terceiro ano consecutivo, reafirmando uma superioridade esmagadora neste escalão. Quanto a Luísa Mateus, iguala o feito da temporada de 2007/2008, embora num ano em que apenas estiveram em disputa os Nacionais de Distância Longa e de Distância Média.

- Com a conquista dos três títulos nacionais individuais em disputa em 2011, Ana Rita Gomes acaba de igualar Alice Silva (GDU Azoia) com um total de nove títulos nacionais alcançados nos escalões de Veteranos, enquanto Luisa Mateus segue na peugada de ambas as atletas com sete títulos alcançados até ao momento nestes escalões. O facto de Alice Silva ter alcançado também o título nacional de Distância Longa, na primeira edição dos Nacionais (1998/1999), então no escalão de Elite, confere-lhe uma ligeira vantagem sobre a atleta de Loulé.

- Paulo Palhinha (Casa Povo Abrunheira) e Davide Machado (.COM) alcançaram os primeiros títulos nacionais das respectivas carreiras, e logo no escalão de Elite. Aqui, Daniel Marques (COC) continua a ser o mais ganhador, com oito títulos individuais no currículo, contra os quatro de Paulo Alípio (COC) e Eduardo Sebastião (ADFA). No sector feminino, Susana Pontes (CPOC) segue na frente com nove títulos, seguida de Maria Amador (ATV) com cinco títulos e de Rita Madaleno (ADFA) com quatro.

- Paulo Palhinha e Davide Machado não foram, contudo, os únicos atletas a conquistarem pela vez primeira um título nacional individual de Orientação em BTT. Estão na mesma situação Ana Margarida Rocha (CIMO) no escalão D15, Duarte Sousa (BTT Loulé/EAFIT/BPI) e Ricardo Reis (Ori-Estarreja) no escalão H15, Paul Roothans (CN Alvito) e Samuel Leal (Ginásio) no escalão H17, António Valentim (ADFA) e Nuno Patrício (CN Alvito) no escalão H35, Pedro Dias (Montepio Geral), Mário Fernandes (DA Recardães) e Mário Marinheiro (Casa Povo Abrunheira) no escalão H40, Mário Duarte (ADFA) no escalão H45 e Carlos Ferreira (DA Recardães) no escalão H55.

- Em termos colectivos, o COC mantém no escalão de Elite Masculina uma hegemonia absoluta que vem desde a temporada de 2002/2003. Com efeito, o emblema leiriense embolsou dezassete dos dezoito títulos disputados desde então e apenas em 2009/2010 a ADFA conseguiu quebrar este ciclo absolutamente vitorioso, conquistando o título colectivo de Distância Longa. Já no escalão de Elite Feminina, os três títulos da ADFA somam-se aos três títulos alcançados em 2009/2010, lançando-a para a liderança das equipas mais ganhadoras, ultrapassando a aeGIST com cinco vitórias e o ATV com quatro.

- Refira-se, por último, que foram atribuídos até ao momento, em treze edições de Campeonatos Nacionais, um total de 220 títulos nacionais individuais e 107 títulos colectivos, o que vale por dizer que, no Campeonato Nacional de Sprint, disputado ontem, foram atribuídos os títulos nº 200 e nº 100 das respectivas as tabelas (só não sabemos a quem, se é que a ordem pela qual os prémios foram entregues pode ter “uma palavra a dizer”). Luís Sousa (Clube TAP), com treze títulos nacionais, é o nosso atleta com maior número de títulos alcançados até ao momento, logo seguido de Daniel Marques (COC) com dez títulos. No sector feminino, Alice Silva é, com dez títulos nacionais, a líder deste particular 'ranking', de parceria com a jovem Ana Filipa Silva (CPOC).

[Nota importante: O Orientovar pede desculpa por eventuais incorrecções no tocante aos dados fornecidos. Com efeito, apesar de todo o avanço tecnológico que uma ferramenta como a Internet representa, incompreensivelmente são muito poucas as páginas dos respectivos eventos que ainda se mantém on-line o que torna esta tarefa de compilação e resumo particularmente ingrata. Gostaria, a este propósito, de deixar uma palavra de apreço a Luís Santos, a quem se deve muito do material entretanto organizado.]


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

1 comentário:

Dani disse...

Aqui está mais um extraordinário trabalho jornalístico por parte do Joaquim Margarido. Um bem haja!