quinta-feira, 21 de abril de 2011

MUNDIAIS DE ORIENTAÇÃO DE DESPORTO ESCOLAR ISF 2011: EQUIPAS-SELECÇÃO NÃO VÃO A ITÁLIA




Que a Orientação atravessa momentos particularmente delicados, é um facto que todos pressentem e muitos sentem já. Está neste caso o dossier ISF 2011, os Mundiais que terão lugar em Itália em finais do próximo mês de Maio e que fazem hoje a manchete do Orientovar. É o Desporto Escolar a saltar, não pelos melhores motivos, para a Ordem do Dia.


Depois do brilhantismo das anteriores participações dos jovens portugueses nos Mundiais de Desporto Escolar, nomeadamente nas recentes edições de Edimburgo (2008) e Alcalá de Henares (2009), foi com natural expectativa que se assistiu ao lançamento da campanha referente à 10ª edição dos Campeonatos do Mundo de Desporto Escolar ISF 2011, que decorrerão em Primiero, Itália, de 21 a 27 de Maio próximos.

Até Janeiro passado o processo decorreu de forma irrepreensível, tendo-se concluído o apuramento das Equipas-Escola e seriado os potenciais candidatos a integrar as Equipas-Selecção, com esta última fase a ser estendida por mais algum tempo, através dum número importante de provas de observação.


Equipas-Selecção descartadas

O processo das Selecções, contudo, foi-se mantendo num impasse. Se o volume financeiro implicado nesta participação não seria nunca desprezível, o interesse para a modalidade na participação das Selecções deveria falar mais alto, pelo que a Federação Portuguesa de Orientação seria sempre um parceiro incontornável. É de todos conhecido, todavia, o imbróglio em que se transformou o Plano de Actividades e Orçamento da FPO para 2011, fruto da inabilidade duma Direcção que não o soube fazer aprovar, afundando o processo e deixando-se ir ao fundo com ele. Assim sendo, ficou inviabilizada a possibilidade de se assumir qualquer tipo de compromisso com a Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular (DGIDC), apesar de o Plano de Actividades e Orçamento (que nunca foi aprovado) contemplar uma verba para esse efeito.

Condicionada pelos prazos de inscrição, a DGIDC acabou por decidir recentemente não levar as Selecções a Itália, decisão esta que – sabe o Orientovar - não foi comunicada ainda às Escolas mas que é já do conhecimento informal de todos os Professores interessados. Obviamente que se trata de uma situação que é do desagrado geral, sobretudo no que a professores e alunos diz respeito.


Os que vão e... os que ficam!

Em concreto, numa comitiva chefiada pelo Prof. Américo Sequeira (DGIDC), seguirão para Itália as Equipas-Escola apuradas e que são as seguintes: Iniciados Femininos – EB 2,3 Sarrazola (Profª Avelina Alvarez), Iniciados Masculinos – EB 2,3 D. Afonso IV (Prof. João Vítor Alves), Juvenis Femininos – EB 2,3 Cunha Rivara (Prof. José Mateus) e Juvenis Masculinos - ES Pinhal Novo (Prof. Daniel Pó). Em Itália estará também o Professor Ricardo Chumbinho, integrando o Comité Técnico Internacional na qualidade de representante da organização dos Campeonatos do Mundo de Orientação de Desporto Escolar ISF 2013, que terão lugar no Algarve daqui a dois anos.

Com a não ida das Selecções a Itália, de fora ficam nomes como os de Inês Alves, Daniel Catarino, João Novo, Diogo Barradas, Rui Oliveira, Tiago Baltazar, Miguel Ferreira ou Vera Alvarez, entre outros. Uma lástima, sobretudo quando todos estamos absolutamente convictos de que uma geração de bons atletas acaba de lhe ver negada uma oportunidade que não voltará a surgir e que, em todo este processo, muito mais poderia ter sido feito. E não foi!


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

8 comentários:

Anónimo disse...

boa tarde,
vejo que aontece o mesmo que aconteceu em 2004 quando somente representou Portugal as escolas e deixaram de foram as seleções, pergunto-me não és nas seleções que estão os nossos melhores atletas? como pelo menos em 2004 nas juvenis quem foi ao mundial foram 4 e quinto lugar para baixo e deixou-se de fora os melhores.
É realmente de lamentar deixa um tiago leal e uma Vera Alvarez com provas dadas nesta mesma competição de fora.
Patrícia Casalinho

Anónimo disse...

Fico bastante triste em receber esta noticia , ainda tinha a esperança de ir através de selecção mas pelos visto é uma oportunidade que foi por água abaixo .

Carlos Castro disse...

É pelo acumular de situações como esta, perpetradas por pessoas incompetentes, que o país está "no fundo"!

Espero que os lesados venham a cobrar, junto dos responsáveis!

(peço desculpa pelo desabafo, mas é revoltante)

Anónimo disse...

boa noite.
vejo-me indignado com esta informação porque como o regulamento diz não podemos formar equipa com pessoas de outras regiões e sendo assim não tendo hipótese para formar equipa um atleta tem que tentar apurar-se em individual e acho que praticamente todos os atletas que integram as equipas-selecção gostavam de ter uma equipa para ir aos Mundiais

uma atleta que tenha objectivos concretos não despreza uma competição como esta para integrar esses objectivos e é com esse pensamento que o atleta se motiva e treina 6 dias por semana

mesmo não tendo o apoio da Federação não percebo porque nos proíbam de ir porque acho que se podia fazer esse esforço financeiro não abdicando de uma experiência única

Anónimo disse...

como disseram anteriormente ALGUNS dos melhores atletas nacionais vão em equipas de Selecção sendo 3 dos quais dos atletas descartados constituintes da actual selecção nacional e outros tantos atletas promissores a lá chegar
será que não podia haver algum esforço financeiro por parte da Federação ?

Vera Alvarez disse...

Boa tarde,
É incompreensível esta atitude de não levar selecções. Como é referido em cima, este facto deve-se principalmente à situação actual da FPO e à consequente falta de apoios...
Pelo que sei, todos os atletas que estavam na minha situação, a de poderem estar integrados numa equipa de selecção,mostraram disponibilidade para acarretar todos os custos que a viagem podia trazer ( com o apoio dos clubes). Por outro lado, também os professores responsáveis pelas equipas de escolas se mostraram disponíveis para acompanhar mais uma equipa cada um, de forma a não ser necessária a ida de mais professores... Por tudo isto, mais difícil é para mim entender esta decisão, mas que se pode fazer... Podia dizer "fica para a próxima", mas na realidade, para mim, já não há próxima! Fico em casa, depois de ter conseguido arrecadar para Portugal o título de campeã e vice-campeã do mundo nesta competição...
Vera Alvarez

Anónimo disse...

Boa tarde,
Continuamos a espera do comunicado da FPO a dizer os motivos da não convocatória dos atletas da selecção para este importante Campeonato do Mundo somos informados através do Orientovar e dos professores.
Só queria reforçar a posição da Vera,
estou disposto a financiar a participação do meu filho no Campeonato do Mundo, digam o que necessitam e se ainda há alguma hipótese de estarem presentes.
Infelizmente a Vera e os outros atletas não jogam futebol...se não o problema estava resolvido!
Digam me em que modalidade uma Campeã do Mundo e Vice Campeã do Mundo não esta presente para mostrar o seu valor....um bom exemplo JUDO,Europeus, estão os melhores atletas Portugueses que têm dado mostra do seu valor, hoje mais uma final João Pina e 2 Vice Campeãs Europeias, MUITOS PARABÉNS!
Assim vai a nossa modalidade.....excelente organizações, uma excelente fornada de novos atletas de valor que não têm hipotesse de competir ao mais alto nível....
Miguel Barradas
FPO -2214

Presidente disse...

Vivam,
O assunto merecerá um esclarecimento da FPO, mas, desde já, há que separar claramente o assunto em duas componentes:
a) O ISF é da exclusiva responsabilidade do Desporto Escolar (como o CISM é das Forças Armadas, por exº) e a FPO nada tem a ver com a sua preparação ou execução.
b) A participação nacional (equipas escola e equipas selecção) é organizada pelo Desporto Escolar e um eventual apoio da FPO à participação das equipas de selecção é conjuntural. Até ao momento a FPO ainda não recebeu qualquer apoio da tutela relativo a 2011 e apesar de tudo tem os seus encargos quase em dia (rendas, seguros, água, luz, telefone, segurança social, salários, etc).
Os factos são factos e não aquilo que alguns demagogicamente prometiam.
Como alguns dos interessados sugeriram devem ser feitos todos os esforços junto do DE na tentativa de encontrar uma solução e a FPO será solidária.
Boa Páscoa,
Augusto