terça-feira, 22 de março de 2011

PAULO FRANCO: "O O-RINGEN É UMA COMPETIÇÃO FANTÁSTICA!"




O O-Ringen, evento que todos os anos atrai à Suécia milhares e milhares de orientistas, tem este ano um “embaixador” em Portugal. Trata-se do nosso bem conhecido e estimado Paulo Franco, ao encontro do qual vamos hoje. Uma conversa que é, em si mesma, um convite a fazer parte da maior festa de Orientação do Mundo.


Outrora chamado “5 Dias da Suécia”, o O-Ringen realiza-se ininterruptamente desde 1965 e conhece este ano, de 23 a 29 de Julho, a sua 47ª edição. Peo Bengtsson e Sivar Nordström foram os grandes impulsionadores desta fantástica aventura, ao lançarem em 1965, nas cidades dinamarquesas de Skåne e Blekinge, a primeira edição do evento e na qual participaram 156 atletas. Desde então, os números não cessaram de crescer. O O-Ringen ganhou um lugar de prestígio no mundo inteiro, sendo por muitos considerada a segunda mais importante competição internacional, imediatamente após os Campeonatos do Mundo. Para que se perceba um pouco melhor a dimensão do evento, basta dizer que na 21ª edição do O-Ringem, em Dalarna/Falun, o número de participantes ascendeu aos 25.021 e ainda em 2008, numa edição com etapas pontuáveis para a Taça do Mundo (tal como sucedera em 1998 e em 2007), esse número atingiu os 24.375 atletas.

Os primeiros vencedores do O-Ringen foram suecos, dando pelos nomes de Nils Bohman e Inga-Britt Bengtsson. O nosso bem conhecido Juhani Salmenkylä (Finlândia) venceu a segunda edição e na terceira edição teve início o “reinado” da sueca Ulla Lindkvist, ela que, com oito vitórias consecutivas, é a grande “recordista” da competição. No sector masculino, Lars Lönnkvist, também da Suécia, é o atleta com maior número de triunfos, nada mais nada menos que quatro (1980, 1982, 1987 e 1988). A húngara Sarolta Monspart, em 1976, foi a primeira atleta não-nórdica a vencer o O-Ringen, depois de ter sido igualmente a primeira atleta não-nórdica a sagrar-se Campeã do Mundo, precisamente quatro anos antes. Nesta última década, o grande nome do O-Ringen – inevitavelmente! - é o da helvética Simone Niggli, vencedora das edições de 2002, 2006, 2007 e 2010. É neste contexto de grandiosidade e prestígio que o Orientovar vai hoje ao encontro de Paulo Franco, “embaixador” português da edição de 2011 do O-Ringen.


Quem vai uma vez não esquece

Orientovar - Qual o significado da figura do embaixador do O-Ringen?

Paulo Franco - Este ano, a organização do O-Ringen convidou uma pessoa de cada um dos países praticantes da modalidade para desempenhar o papel de Embaixador. Este convite foi-me dirigido e eu aceitei. O Embaixador do evento é o responsável pela divulgação da prova no seu país, auxilia os atletas nas inscrições, planos de viagem, alojamento, aluguer de viaturas e qualquer outra informação relacionada com a competição e a viagem. O número máximo de atletas portugueses no O-Ringen foi atingido o ano passado com o total de 20 atletas. Acredito que ultrapassar este número está ao alcance da edição deste ano. No O-Ringen 2011todas as etapas têm lugar num raio de 10 km da Vila do O-Ringen, as florestas são fantásticas e apresentam uma variedade incrível de tipos de terreno. Os percursos estão bem ajustados e exigentes para os escalões jovens, bem como para os atletas de Elite e atletas menos avançados. Estão reunidos todos os ingredientes necessários para uma edição de sucesso.

Orientovar - Esteve presente em Bohuslän-Dal 2003 e Örebro 2010. Que recordações guarda destas experiências?

Paulo Franco - O O-Ringen é um evento único. A logística e organização são impressionantes e têm um impacto mediático significativo na Suécia e naturalmente na comunidade internacional de Orientação. Fico marcado pela zona do campismo a perder de vista, as lojas de material desportivo com boas promoções, a rádio local O-Ringen a debitar entrevistas e informação sobre o evento a toda a hora, os concertos a seguir à entrega de prémios de cada etapa, o convívio do dia de descanso e a festa no último dia, mais conhecida como a Etapa 6. Quem vai uma vez não esquece. É uma competição a repetir. Sempre!


A página web da "Embaixada" do O-Ringen em Portugal foi a melhor forma que encontrei para reunir toda a informação útil

Orientovar - Existe uma "Embaixada" do O-Ringen em Portugal, situada em http://oringen.ori.pt e construída por si. Quer falar-me disso?

Paulo Franco - A página web da "Embaixada" do O-Ringen em Portugal foi a melhor forma que encontrei para reunir toda a informação útil a qualquer um que pretenda preparar a sua viagem de Portugal ao O-Ringen. Neste sítio poderá encontrar soluções para as deslocações entre Portugal e a Suécia, preços das inscrições, principais localizações do O-Ringen, alguma informação técnica e estimativas de custos. Este website não dispensa a consulta do site oficial do O-Ringen, em www.oringen.pt e estarei sempre à disposição para qualquer esclarecimento necessário.

Orientovar - Para que as pessoas possam ter uma ideia, seria possível fazer duas simulações com o maior detalhe possível - uma para "remediados" e outra para aqueles que buscariam talvez um pouquinho mais de conforto -, que nos dessem uma ideia de quanto custa uma ida à Suécia para participar no evento?

Paulo Franco – Respondendo em concreto à sua questão, começaria pela Opção 1, com a estadia em Campismo (preço por pessoa): Avião: 170 / 200 EUR (low cost) + Transfer de aeroporto para Mohed / Oringen: 30 / 50 EUR + Inscrição: 62 a 172 EUR (até 01 de Maio e dependendo da idade do atleta) + Campismo: 70 EUR (preço por espaço 4.5 x 9 m) + Transporte para as etapas: 22 EUR. Isto dá um total aproximado de 350 / 450 EUR, numa situação de de Campismo a dividir por dois. Na Opção 2, com Estadia em Hotel + Aluguer de Carro – aqui a estimativa é para duas pessoas – ficaria por 1400 / 1600 EUR. Qualquer uma das opções não leva em consideração a despesa com a alimentação, nem a gasolina no caso de aluguer de viatura (Opção 2).


A qualidade da organização de um POM está ao nível de um O-Ringen

Orientovar - Caso o número de interessados seja significativo, há algum "pacote" para grupos?

Paulo Franco - A inscrição através da embaixada do O-Ringen em Portugal beneficia de uma das seguintes promoções: 3 % desconto ou inscrição grátis na prova de treino (com SportIdent) ou mapa de treino grátis. Grupos de 5 ou mais pessoas beneficiam da promoção de 3 % de descontoe uma das seguintes promoções: Inscrição grátis na prova de treino (com SportIdent) ou mapa de treino grátis.

Orientovar - Afirmou recentemente, no rescaldo do II Meeting Internacional de Arraiolos, que deveríamos pensar em "criar a figura do Embaixador do Portugal O' Meeting”. O que separa o O-Ringen do POM?

Paulo Franco - Afirmo sem pudor que, actualmente, a qualidade da organização de um POM está ao nível de um O-Ringen. A dimensão é naturalmente diferente. A Orientação Portuguesa já deu várias provas de que somos capazes de organizar eventos grandes com qualidade. Falta-nos dar o salto e sermos mais ambiciosos! O O-Ringen é um evento de Verão que visa principalmente a generalidade dos atletas. Os escalões de Super Elite têm a devida projecção, mas a massa dos participantes são de recreio. O POM ganha pela localização no calendário, os atletas procuram melhores condições atmosféricas e bons mapas. Aliado à oferta diversificada do nosso turismo (gastronomia, locais a visitar, acolhimento, etc.), estão reunidas as condições para tornar o POM desejado pelo dobro dos visitantes actuais. Imaginem os benefícios de termos um mini WMOC todos os anos!? Acredito que o Estado e os próprios media nos passariam a dar maior atenção. O POM ganha projecção internacional principalmente pelos escalões de Elite. O escalão da Elite masculina do ano passado bateu o record de inscritos num WRE (273). O foco principal do Embaixador do POM deverá ser as massas (os atletas de recreio), para divulgar a marca POM, ajudar nos planos de viagem, oferta de campos de treino, turismo... Divulgar, divulgar, divulgar!


Vale sobretudo pela sua dimensão e ambiente que são únicos e impressionantes

Orientovar - Aos indecisos em embarcar no Verão até Hälsingland e viver uma experiência seguramente inesquecível, que mensagem deixaria?

Paulo Franco - O O-Ringen é uma competição fantástica! É sem dúvida a “Meca” de qualquer orientista. Vale sobretudo pela sua dimensão e ambiente que são únicos e impressionantes. A edição deste ano reúne um leque de características que a torna num evento a não perder para qualquer desportista.



Para mais informações contacte Paulo Franco através do e-mail oringen@ori.pt ou pelo telemóvel 91 560 23 37. Não deixe também de visitar o site oficial do O-Ringen em www.oringen.se.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

3 comentários:

Luís Santos disse...

Boa tarde caro Paulo. Faço votos de um bom trabalho pois é realmente um evento fantástico mas tenho que te fazer uma correcção.

Quando eu organizei um grupo para ir ao O-Ringen (já não me lembro se foi em 2002 mas penso que terá sido em 2002 em Skovde) estiveram no O-Ringen mais de 60 portugueses...

Abraço,
Luís

Paulo Franco disse...

Olá Luís! Bom, esses números não serão de facto fáceis de bater, mas também não impossíveis :). Basiei-me na info que a organização do O-ringen me passou e dos dados que estão online. Parece então que nem eles sabem bem :). De qualquer forma, obrigado pela correcção.

Luís Santos disse...

Temos que os ajudar a melhorar a produção de estatísticas da própria prova deles. Deve ser a única coisa em que lhes podemos ensinar alguma coisa... :-)

Mas foi uma experiência inesquecível, sem dúvida.

No meu clube costumamos brincar que há dois tipos de praticantes: os que já foram ao O-Ringen e os que nunca lá foram... :-)

Diria eu agora que o único conceito de lazer em provas internacionais que rivaliza com o estatuto e a dimensão do O-Ringen é participar nas provas extras de um WOC e ter o prazer de acompanhar ao vivo os grandes momentos de um Campeonato do Mundo.

Abraço,
Luís Santos