terça-feira, 15 de março de 2011

II MEETING INTERNACIONAL DE ARRAIOLOS: IMPRESSÕES (III)




Antes do ponto final no II Meeting Internacional de Arraiolos, aqui fica mais um significativo conjunto de impressões de alguns dos principais protagonistas no evento.


Esta foi uma prova na qual depositei algumas expectativas, tanto a nível da minha prestação como a nível da organização. Numa organização do Gafanhori estão sempre garantidos bom percursos, mapas e arenas. Não tinha qualquer dúvida que me esperariam terrenos dificeis e percursos desafiantes. Sem surpresa, encontrei provas muito desafiantes - tecnica e fisicamente – e agradavelmente senti o carinho com que todos organizavam esta prova e o afinco com que todos, inclusivé os habitantes de S. Pedro da Gafanhoeira, quiseram agradar e garantir o bem estar de todos. São pequenos pormenores como estes que nos deixam com boas memórias - não foram precisas as tendas gigantes nem as cerimónias / refeições em Arraiolos... Em termos pessoais, consegui melhores resultados que prestações. Na prova de Distância Média, cometi muitos erros e fiz toda a prova com muitas dificuldades dado a cansaço da viagem até ao local da prova e as escassas horas de sono. Na prova de Distância Longa WRE, depositei alguma expectativa já que esta é uma distância à qual me adapto melhor. Cometi muitos erros (quase 15 minutos no total!!!) e por isso não fiquei satisfeita com a minha prestação. Fiquei muito surpreendida com o 5º lugar e foi com muito orgulho que subi ao pódio junto à sueca Gunilla Svärd, atleta que admiro desde que iniciei a Orientação!
Maria Sá (GD4C)


Gostei muito, achei óptimos os percursos, os mapas e a organização está de parabéns. Realmente conseguiram entusiasmar tanto atletas como espectadores com a fantástica cobertura e narração do que estava acontecendo durante a prova. Posso afirmar que a prova de Distância Longa de Arraiolos foi um dos melhores percursos que corri até hoje, em termos de mapa, traçado e terreno. Só foi uma pena que quebrei na parte final e não aguentei o ritmo até ao fim, acabando por fazer um tempo acima da minha expectativa. Quanto à estadia, sem comentários. Foi espectacular, o povo português é realmente muito acolhedor... agradeço a todos que nos receberam e nos acolheram. Obrigado.
Leandro Pasturiza (CDMB, Brasil)


A minha opinião acerca do II Meeting Internacional de Arraiolos é muito positiva. Devo confessar que gostei imenso. A organização foi perfeita, não encontro nada a apontar. Já quanto à minha prestação não posso dizer o mesmo. A prova do primeiro dia correu muito bem mas no segundo dia cometi uma série de erros logo de início e acabei por perder a motivação para continuar a lutar por um bom resultado. É verdade que também não senti a força necessária para correr uma prova desta dureza depois de tantas competições nos últimos dias. Quanto à prova de Sprint, encarei-a mais como um treino e não forcei minimamente, até porque o meu frontal era fraquinho. A minha estadia em Portugal nesta altura foi bastante importante, desde logo porque ainda temos as nossas florestas da Lituânia carregadas de neve, sendo por isso impossível treinar com qualidade no meu País. Evidentemente, é também muito agradável privar com amigos de outros países e competir com eles em provas de Orientação de excelente qualidade após um longo Inverno.
Jonas Vytautas Gvildys (Rehns Bk)


Estou muito satisfeito com a minha performance. Dá-me uma enorme auto-confiança para esta temporada que vai começar. O evento e a organização pareceram-me excelentes. Tudo o que necessitamos estava lá: água. Comida, mesas e cadeiras e muito, muito mais. Só os tempos de partida demasiado longos são sempre um problema para nós, atletas, com alguns a partirem às 9:00 e outros às 12:00. Quanto aos mapas nada a apontar, eles foram, dum modo geral, muito bons. Os 'loops' nas provas existem para evitar que os atletas se agrupem demasiado, mas desta vez talvez houvessem alguns mais pequenos na prova de Distância Longa e nada na prova de Distância Média. A primeira parte da prova de Distância Média era muito simples, talvez demasiado simples. Eu pretendo exactamente estes terrenos divertidos, rápidos e técnicos que existem em Portugal. Elementos rochosos de grandes dimensões e provas exigentes. Não há motivo para termos terrenos demasiado abertos e rápidos porque rapidamente se torna aborrecido correr neles. O Sprint constituiu um bom treino para as nossas pernas mas correu-se mais rápido na prova de Distância Média do que na prova de Sprint, o que é um contra-senso. Para mim isto não é um Sprint. Gostaria que ele tivesse decorrido, talvez, no emaranhado de ruas do centro da cidade de Évora ou qualquer coisa assim. 

A importância destes Campos de Treino nesta altura do ano é enorme. Algumas corridas técnicas com mapa mesmo antes do início da temporada dão, naturalmente, alguma vantagem em relação àqueles que não passam por esta experiência. Portanto, na minha opinião, continuem com o excelente trabalho que têm demonstrado nos vosso eventos e organizações. 'Loops' mais longos, terrenos técnicos e provas de Sprint em zonas urbanas complicadas e o mais próximo possível dum verdadeiro sprint, não em áreas verdes como as deste mapa, que realmente não era tão bom assim. Fica aqui o meu conselho, a par do desejo de voltar no próximo ano.
Jerker Lysell (Rehns Bk)


Durante cinco dias, o concelho de Arraiolos respirou Orientação. Com o fim do Portugal O' Meeting, muitos atletas deslocaram-se para a região de Arraiolos e lá fizeram os campos de treino preparados pelo GafanhOri até ao ínicio do II Meeting Internacional de Arraiolos. Neste evento estiveram presentes cerca de 1200 atletas, dos quais 600 eram estrangeiros. Foi sem dúvida um bom incremento em comparação com o ano passado onde estiverem presentes no I Meeting Internacional de Arraiolos cerca de 800 atletas; no entanto, este ano presenciamos uma diminuição no número de atletas nacionais o que nos faz pensar que algo está a correr mal para que cada vez mais haja uma redução de atletas lusos nos eventos nacionais.

Após o II Meeting Internacional de Arraiolos há duas palavras que vêm à cabeça da organização: objectivo cumprido. Objectivo cumprido, pois conseguimos criar provas variadas e com exigência física e técnica em bons mapas e com bons percursos. Mas mais do que os mapas ou os percursos, a realização deste evento só foi possível devido ao grande trabalho que esta organização levou a cabo. Esta era composta por inúmeros grupos que trabalhavam autonomamente e que apesar das limitações monetárias impostas pelos tempos que se vivem conseguiu por de pé toda a infra-estrutura que esteve à vista.

Durante o II Meeting Internacional de Arraiolos estiveram presentes alguns dos maiores nomes da Orientação mundial. A presença destes atletas elevou bastante a competitividade do evento e ajudou a criar um excelente clima nas arenas. Algo que nos deixa bastante contentes é o excelente feedback recebido da parte de todos. Mas além destes atletas temos outros “campeões” que participaram na prova, como por exemplo os atletas de maior idade e os atletas jovens (M/W11). Como membro da organização e atleta penso que é muito importante existir estes escalkões, nos quais são todos vencedores e é sem dúvida uma forma de atrair pequenos atletas que poderão vir a ser os campeões de amanhã.

Em ponto de conclusão queria dar os parabéns a toda a organização e voluntários de última hora sem os quais não teria sido possível realizar este o II Meeting Internacional de Arraiolos. Proximamente iremos organizar a Estafeta da Primavera e aproveito para deixar aqui o convite a todos os atletas para virem participar neste evento, independentemente da experiência que tenham. Após esse evento iremos ter algum tempo de reflexão durante o qual não iremos organizar nenhum evento à escala nacional. Sem dúvida que com os apoios necessários este clube poderá realizar maiores e melhores organizações e talvez num futuro próximo venhamos a ter o III Meeting Internacional de Arraiolos.
Tiago Gingão Leal (Organização do II Meeting Internacional de Arraiolos)


[Foto gentilmente cedida por Tiago Gingão Leal]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: