quinta-feira, 10 de março de 2011

DUAS OU TRÊS COISAS QUE EU SEI DELA...




1. Nas suas declarações ao Orientovar, em jeito de balanço daquilo que foi esta décima-sexta edição do Portugal O’ Meeting, Fernando Costa referia uma sensação estranha no final dos quatro dias de provas, “uma sensação de vazio”, de acordo com as suas palavras. É que foi tudo tão bom e acabou tão depressa… Todo um evento pensado ao pormenor e executado desta forma constitui um enorme motivo de orgulho para o Grupo Desportivo dos Quatro Caminhos e é mais uma prova da qualidade das organizações portuguesas. Ou como diria o Luís Sérgio no seu excelente blog - http://maisummapa.blogspot.com/ -, “POM – Orgulho de ser português!”

2. Terá passado algo despercebido, mas o Sprint nocturno foi um delicioso bombom neste autêntico banquete de Orientação. O centro histórico de Portalegre revelou qualidades únicas para uma prova desta natureza e nem mesmo Simone Niggli desperdiçou a oportunidade de fazer aqui “uma perninha”. A Orientação entrou pelos olhos adentro das pessoas, fazendo com que um verdadeiro “Carnaval de Portalegre” se instalasse nas suas praças e ruas ao cair da noite de segunda-feira.

3. Pelos olhos adentro do país entrou este Portugal O’ Meeting como um todo, através dum trabalho de divulgação notável e que teve em Fernando Costa um obreiro de excelência. As televisões falaram do evento em horários nobres, os jornais estiveram presentes e sempre em cima do acontecimento – ontem o jornal “A Bola” dedicava uma página (!) ao Portugal O’ Meeting –, as rádios falaram disto. No epicentro disto tudo, palmilhando horas a fio o terreno, uma jovem fazia a sua estreia nestas lides e brindava-nos com alguns dos mais belos momentos da competição, através das fotografias publicadas em www.freestyle-spirit.com. Luzir trouxe mais brilho ainda ao POM’ 2011.

4. Numa equipa tão vasta como esta, não é fácil referir os nomes daqueles que, com o seu trabalho e empenho, mais se destacaram. Penso que todos estiveram realmente muito bem, do incansável batalhão do Comezainas, este ano reforçado com o “maratonista” Zé Carlos, aos pacientes e disponíveis “teams” do Secretariado e da Informática, passando pela excepcional colaboração da equipa da Cruz Vermelha de Portalegre, pelos “bombeiros” de serviço, Marcolino, Delgado, Moutinho, Zé Mário, Luís Pereira e por tantos, tantos outros. Uma palavra muito especial para o sempre jovem Joaquim Costa, que com a sua presença e o seu saber, fez a ponte entre novos e menos novos, mostrando a força de ser “Quatro Caminhos”.

5. Uma palavra muito especial de admiração e apreço ainda para alguns elementos do COAC e do CPOC, “capitaneados” por Hugo Borda d’Água e Alexandra Coelho. Todos eles souberam perceber o que esteve aqui em causa, despiram as camisolas dos respectivos clubes e ajudaram a elevar bem alto a bandeira da Orientação portuguesa. Sem querer deixar de louvar todos quantos fizeram deste Portugal O’ Meeting um evento inesquecível, para esta particular equipa vai uma referência muito especial e o meu sincero reconhecimento pelo exemplo de amizade e de solidariedade que souberam prestar.

6. Ao longo do evento, o Orientovar desenvolveu um trabalho de parceria com o Ultimate Orienteering, resultando em textos diários, num belo punhado de fotos (muitas delas da autoria de Luzir) e ainda na divulgação das opiniões de três dezenas e meia de participantes. Tudo isto em inglês, graças à “paciência” de Niels-Peter Foppen e de Lucie Babel. Para eles aqui vai o meu sentido agradecimento pela forma como aceitaram o desafio e ajudaram a divulgar este Portugal O’ Meeting através daquela que é uma das mais visitadas páginas do mundo da Orientação.

7. Num evento desta natureza, é normal que falemos sobretudo dos grandes nomes da Orientação mundial que nos visitaram, esquecendo um bocadinho todos os demais. Não queria, pois, deixar de mostrar a minha admiração e afecto por todos aqueles que rumaram por estes dias ao Norte Alentejano, dando mais alegria e mais colorido às suas magníficas paisagens. E, já agora, deixaria uma referência muito especial para a vitória de Santos Sousa (ADFA) no escalão M40, afinal o único português a subir ao lugar mais alto do pódio no conjunto dos trinta e cinco escalões de competição.

8. O Portugal O’ Meeting chegou ao fim, viva o Portugal O’ Meeting. De 18 a 21 de Fevereiro do próximo ano, o Clube de Orientação de Estarreja e o Clube de Orientação de Viseu – Natura dão as mãos e levam até Vila Nova de Paiva, Viseu e S. Pedro do Sul, na região centro do país, a 17ª edição da maior competição portuguesa de Orientação Pedestre. A fasquia encontra-se muito alta, mas todos saberemos ajudar a elevá-la mais ainda. As maiores felicidades aos organizadores do próximo Portugal O’ Meeting, são os votos sinceros do Orientovar.


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

3 comentários:

Dinis Costa disse...

Parabéns ao Santos Sousa que tem estado na crista da curva de nível mestra nos últimos anos.
Gostava de o ter visto competir no WMOC08
Abraço
DC

Dinis Costa disse...

Parabéns ao Santos Sousa que tem estado na crista da curva de nível mestra nos últimos anos.
Gostava de o ter visto competir no WMOC08
Abraço
DC

Rui disse...

Amigo Margarido, os mais sinceros agradecimentos pela prontidao com que as nossas necessidades foram atendidas!
Um agradecimento muito especial à Dra. Graça pela sua amabilidade.
Honra-me saber que que na generalidade os nossos cuidados foram uma mais valia para os atletas.
Espero continuar a trabalhar com um tao vasto conjunto de pessoas com este espirito organizativo.

Sem mais me despeço...Até um dia que espero ser breve
Rui Morgado (CVPortalegre)