quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

DESPORTO ESCOLAR NO FIO DA NAVALHA: IMPRESSÕES (II)




Prosseguindo com a divulgação das reacções ao Projecto de Despacho de organização do trabalho nos Agrupamentos ou Escolas não agrupadas, suas implicações no Desporto Escolar e mais concretamente no trabalho ao nível dos Grupos-Equipa de Orientação, o Orientovar debruça-se agora sobre as palavras de José Mateus e Hélder Ferreira, responsáveis pela Orientação nas Escolas Cunha Rivara (Arraiolos) e Guilherme Stephens (Marinha Grande). Em ambos a mesma nota de incerteza e pessimismo!


Orientovar - Caso venham a ser implementadas, que reflexo poderão ter estas medidas no desenvolvimento do trabalho com o seu Grupo-Equipa de Orientação?

Professor José Mateus - Caso estas medidas venham a ser implementadas, o reflexo no Grupo-Equipa de Orientação da Escola EB 2,3/S Cunha Rivara vai ser certamente muito negativo. Neste momento considerávamos estar no bom caminho, apostando fortemente no trabalho de formação de base. Como tal tínhamos para este ano lectivo o objectivo de cativar e formar um grupo de 20 a 30 novos elementos entrosando-os com atletas já existentes. Esse objectivo vinha a ser conseguido e serão cerca de 40 a 50 atletas da Cunha Rivara a estar presentes na I prova do Ori-Alentejo (quadro competitivo onde se insere a Cunha Rivara) já no próximo domingo. Para o ano lectivo 2011/2012 a nossa ilusão passava por atingir esse mesmo objectivo, ou seja mais 20 a 30 atletas, pois é nossa convicção que só com um grande número de atletas na base é possível surgirem cada vez mais atletas a competir a grande nível. A tão falada simbiose Rivara / GafanhOri está a funcionar melhor que nunca e é perfeitamente vulgar e normal encontrar num treino de Desporto Escolar, atletas do 1º ciclo, da Escola, ex-alunos e atletas do Gafanhori, ou seja uma grande família completamente aberta à comunidade local. O clube, através da sua estrutura, possibilita numa fase posterior a integração num nível competitivo mais elevado dos atletas que ambicionem voos mais altos. Esperemos sinceramente que todo o caminho percorrido até aqui não tenha sido em vão..

Orientovar - Quais as consequências desta situação para o futuro da modalidade?

Professor José Mateus - As consequências para o futuro poderão passar por uma pequena travessia no deserto, pois parece ainda não existir ao nível dos clubes uma clara aposta ao nível da formação com treinos regulares e adaptados aos respectivos escalões etários (plano de carreira do atleta). Caso isso aconteça, os clubes vão ter de se adaptar muito rapidamente às novas exigências, pois ao contrário do que acontece em outras modalidades desportivas, grande parte da formação vinha a ser realizada nas escolas.


“Será que é desta que a Orientação vai ficar veterana?”

Orientovar - Caso venham a ser implementadas, que reflexo poderão ter estas medidas no desenvolvimento do trabalho com o seu Grupo-Equipa de Orientação?

Professor Hélder Ferreira - No meu caso, que tenho oito horas semanais, com quatro para o Grupo-Equipa e mais quatro para a Escola de Referência - sem contar as dezenas de horas que gasto aos fins-de-semana... - passaria a ter, na melhor das hipóteses, duas horas como componente não lectiva. Que eficácia terão as sessões de aprendizagem e de treino, que tempo terei para me deslocar para fora da escola e que motivação terei eu (bem como os outros professores) para andar a fazer mais horas à borla ??!!! A Orientação é uma das modalidade que mais tempo gasta aos professores - deslocação e montagem/desmontagem dos percursos nas zonas de floresta cartografadas, geralmente longe das escolas. Todo o meu trabalho com o 1º Ciclo ficaria comprometido - edição de mapas simples das escolas primárias, formação de professores e dinamização de actividades de Orientação, na zona da Marinha Grande. Na prática, iria implicar o encerramento do meu Grupo-Equipa e da Escola de Referência Desportiva de Orientação que dinamizo há já quatro anos!

Orientovar - Quais as consequências desta situação para o futuro da modalidade?

Professor Hélder Ferreira - Julgo que a Orientação irá sofrer muito se esta medida for para a frente. As escolas deixarão de ter Orientação. Como se poderá fazer a "ponte" entre as Federações e os Clubes com as Escolas ?? Nem sei qual vai ser o futuro do Mundial ISF 2013 em Portugal!!! Onde é que os Clubes vão arranjar jovens? Será que é desta que a Orientação vai ficar veterana?


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Sem comentários: