domingo, 19 de dezembro de 2010

IRONIR ALBERTO EV: "SER ORIENTISTA É SER UMA PESSOA PREOCUPADA COM O MEIO AMBIENTE"




Ironir Alberto Ev é, na actualidade, um dos nomes mais sonantes da Orientação brasileira. É ele o convidado do mês neste cantinho de mãos dadas com o Brasil.


Nascido a 10 de Julho de 1979, na cidade de Taquara, Estado do Rio Grande do Sul, Ironir Alberto Ev teve o primeiro contacto com a Orientação há quatro anos apenas. Anteriormente, a sua grande paixão eram as corridas de rua, sendo frequentador assíduo de provas longas, nomeadamente meias-maratonas e maratonas. Apesar de curta, a sua carreira na Orientação conheceu já alguns momentos altos, destacando-se a vitória nos “5 Dias do Brasil 2010” e um punhado de excelentes resultados, sobretudo nas provas de Distância Longa, onde faz valer a sua excelente condição física. Ocupa a 275ª posição no ‘ranking’ mundial da IOF, em cuja tabela é o segundo atleta brasileiro melhor cotado, imediatamente atrás do incontornável Leandro Pereira Pasturiza.

Ironir Alberto Ev reside actualmente na cidade de Santigo, é militar do Exército brasileiro e define-se a si próprio como “uma pessoa muito tranquila”. Gosta de treinar e de competir, de conversar com os amigos e de aproveitar as folgas para ficar com a família e passear na floresta, observando os animais e os pássaros. É absolutamente contra todo e qualquer tipo de caça e fica muito triste face à falta de civismo das pessoas que não têm qualquer pudor em desfazer-se do seu lixo na rua ou na floresta.


“Ser orientista é ser uma pessoa
preocupada com o meio ambiente”

Orientovar - Veio das corridas populares, mas quando “caiu” há quatro anos na Orientação nunca mais a largou. Foi amor à primeira vista?

Ironir Alberto Ev - Eu diria que sim, que foi amor à primeira vista. Eu tinha um pouco de medo de não entender os mapas, mas tive óptimos professores e iniciei a prática da Orientação em áreas conhecidas, o que serviu para ganhar confiança. Pulei algumas etapas e fui directo para a Elite, o que nem foi tão mau no início devido à minha boa condição física. Acho que aquilo que me agarrou na Orientação foi o diferencial que ela tem, ou seja, é você contra você mesmo, superando os seus limites e sem desconcentrar um só segundo. Ainda tenho um pouco de dificuldade no que respeita à concentração, mas estou buscando melhorar nesta parte para que não perca tanto tempo num único ponto.

Orientovar - O que significa para si ser orientista e qual a importância que a Orientação tem na sua vida?

Ironir Alberto Ev - Para mim, ser orientista é ser uma pessoa preocupada com o meio ambiente, preocupada em manter as nossas florestas, os nossos mananciais hídricos e as nossas cidades limpas, para que no futuro nossos filhos e netos possam praticar este desporto num ambiente limpo e despoluído. A Orientação é muito importante para mim, pois através dela aprendi que podemos viver em harmonia com a natureza. Para além disso, foi na Orientação que construí grandes amizades e que são o bem mais valioso que tenho.


“Competir com os melhores
fortalece-nos e motiva-nos sempre mais”

Orientovar - Como avalia o seu percurso na Orientação?

Ironir Alberto Ev - Como já referi anteriormente, comecei na Elite. Talvez isto possa ter-me atrapalhado um pouco, pois saltei alguns passos importantes. Mas por outro lado, julgo que não estaria ao nível a que estou hoje se não tivesse começado desta forma. Acho que uma das minhas melhores qualidades é a boa forma física e, se às vezes perco um pouco de tempo por conta da parte técnica, a preparação física compensa. A minha evolução é notável pois em 2008 disputei o meu primeiro Campeonato Brasileiro e fiquei em 18º lugar. No ano seguinte já fui o 6º classificado e este ano terminei em 4º, destacando o facto de, nas três provas de Distância Longas, ter ganho duas e ficado em 2º lugar na outra.

Orientovar - Apresenta no seu currículo alguns títulos bem saborosos e era, ainda há uns dias atrás, o atleta brasileiro melhor classificado no ‘ranking’ da IOF. Quer-me falar de alguns resultados na sua carreira que tenham um sabor especial?

Ironir Alberto Ev - Considero importantes todos os resultados que obtive até hoje, porque cada um é uma etapa diferente e, em todas as provas, dei sempre o meu máximo. Mas os resultados alcançados no O-Ringen, nos Campeonatos do Mundo de Orientação Pedestre e nos Mundiais Militares têm um diferencial, pois estão lá os melhores do Mundo e competir com os melhores fortalece-nos e motiva-nos sempre mais.


“Isto vem mostrar que uma prova
só termina quando passamos a linha de chegada”

Orientovar – Falou dos Campeonatos do Mundo e também do O-Ringen. O que retirou dessas experiências?

Ironir Alberto Ev - Foram experiências incríveis que não esquecerei jamais. Pude correr ao lado de grandes atletas. Aproveitei para observar como eles se orientam na floresta e fiquei impressionado com a facilidade como progridem naquele terreno da Suécia, que na minha opinião é o terreno mais difícil onde já corri.

Orientovar - Já conseguiu ultrapassar aquele “mp” da prova de Distância Média WRE e que lhe roubou o título de Campeão do último Sul-Americano ou ainda lhe está “atravessado na garganta”?

Ironir Alberto Ev - Procuro não pensar muito nisso, mas superado ainda não está. Acho que me vai acompanhar por um longo tempo, mas vou lembrar-me para que sirva de lição e não volte a acontecer novamente. Isto vem mostrar que uma prova só termina quando passamos a linha de chegada e naquele dia eu desliguei no penúltimo ponto. Não olhei mais para o mapa, achei que era ir só para a chegada. Na minha opinião, aquele ponto era desnecessário, pois era do lado da chegada e já tinhamos chegado duas vezes no mesmo local, na Classificatória e na Final do Sprint. Foi uma armadilha na qual vários atletas caíram.


“Acho que devíamos implementar
a Orientação nos currículos escolares”

Orientovar - Que avaliação faz do actual estado da Orientação no Brasil?

Ironir Alberto Ev - A Orientação no Brasil está a crescer a cada ano que passa. O nível dos atletas está muito melhor e só as organizações de alguns eventos ainda estão deixando a desejar. Não é certamente o caso da organização do Sul-Americano, pois essa estava óptima. Mas tivemos outras competições nacionais que teria sido melhor que não tivessem acontecido.

Orientovar - Que medidas poderiam ajudar a que a Orientação crescesse mais e se afirmasse junto das populações, tanto no seu país como a nível mundial?

Ironir Alberto Ev - Acho que devíamos implementar a Orientação nos currículos escolares, não para obrigar a prática deste desporto, mas para dar oportunidade às crianças de conhecerem uma modalidade que desenvolve vários atributos no ser humano e ensina também a respeitar a natureza e a preservá-la. No Brasil já vêm sendo desenvolvidas algumas ações nesse sentido e o município de São Gabriel, no Rio Grande do Sul, já aprovou a inclusão da Orientação nas suas escolas.


“O que está faltando são mais apoios”

Orientovar - Para quando um atleta brasileiro no top-100 mundial?

Ironir Alberto Ev - Eu diria que o Brasil já tem atletas em condições de alcançar o top- 100 mundial. O que está faltando são mais apoios, pois não competimos muito na Europa e com isso não subimos no ‘ranking’. Quando começarmos a competir mais, ganharemos mais experiência nos terrenos europeus. Este ano, com o apoio da Comissão Desportiva Militar do Brasil, conseguimos ficar um mês na Europa, a treinar e a competir. Os nossos resultados superaram as expectativas e tivemos quatro atletas classificados abaixo do 100º lugar na Geral do O-Ringen.

Orientovar - Em Julho de 2011, a cidade do Rio de Janeiro vai receber os 5º Jogos Mundiais Militares CISM, sendo a Orientação uma das 20 modalidades que compõem o programa. Vamos poder ver o Ironir e a selecção brasileira no pódio dos Jogos?

Ironir Alberto Ev - Estamos treinando forte e vamos fazer tudo para que isso aconteça. Existe em todos uma forte motivação e podem ter a certeza que daremos o máximo até ao último minuto.


“Pretendo levar a Orientação a muitas pessoas”

Orientovar - Qual o grande objectivo para a próxima temporada?

Ironir Alberto Ev - O objetivo para a próxima temporada é melhorar. Se na próxima temporada obtiver melhores resultados do que nesta, já ficarei satisfeito pois saberei que melhorei o meu rendimento.

Orientovar - Até quando vamos poder vê-lo ligado à Orientação?

Ironir Alberto Ev - Espero poder praticar este desporto por muito tempo. Ainda não pensei em parar e pretendo levar a Orientação a muitas pessoas. Gostaria apenas de agradecer a todos aqueles que me incentivaram neste desporto e que ainda continuam a incentivar-me.


  



Consulte o perfil de Ironir Alberto Ev no World of O e na página da Federação Internacional de Orientação.

[Fotos gentilmente cedidas por Ironir Alberto Ev]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO
.

Sem comentários: