segunda-feira, 29 de novembro de 2010

ORIENTAÇÃO DE PRECISÃO: CIRCUITO ARRANCA A NORTE E PROMETE FAZER HISTÓRIA




Nascido do querer e da bondade do Grupo Desportivo dos Quatro Caminhos, está aí o I Circuito de Orientação de Precisão “Todos Diferentes, Todos Iguais”. Ao encontro do clube organizador, vamos conhecer hoje o âmbito, propostas e ambições dum evento que promete fazer história.


À semelhança do que aconteceu no ano transacto, a Escola Secundária de Baião recebe uma prova de Orientação de Precisão para assinalar o Dia Internacional da Pessoa Portadora de Deficiência. No próximo dia 03 de Dezembro, a partir das 10h00, pelos recreios, alamedas e polidesportivo da Escola, desfilarão pessoas de mapa e cartão de controlo na mão, numa grande jornada de desporto para todos.

O desafio deste “II Open de Orientação de Precisão de Baião” é simples: Procurar a correspondência entre os pontos assinalados no mapa e aqueles dispostos no terreno. Aos participante pede-se concentração na leitura do mapa e decisões acertadas nos desafios que compõem o percurso. Em troca, está prometida uma bela jornada desportiva, em ambiente fraterno e onde todos – mas mesmo todos -, ainda que diferentes, são iguais!


Entidades organizadoras

Diana Coelho, aluna do 12º Ano da Escola Secundária de Baião, foi a “alma” desta actividade em 2009 e volta a sê-lo este ano. A partir duma cadeira de rodas, a sua visão apurada do mundo que a rodeia levou-a a lançar-se nesta aventura, arrastando consigo o Grupo Desportivo dos Quatro Caminhos (GD4C) e a Câmara Municipal de Baião, para além da sua própria Escola e do Agrupamento de Escolas de Vale de Ovil, na qual se insere.

Mas o “II Open de Orientação de Precisão de Baião” marca ainda o arranque do I Circuito de Orientação de Precisão “Todos Diferentes, Todos Iguais”, conjunto de provas que, até finais de Maio de 2011, promete levar a Orientação de Precisão a vários municípios do Grande Porto. A Organização do Circuito tem a assinatura do Grupo Desportivo dos Quatro Caminhos, contando com os apoios das Câmaras Municipais de Baião, Matosinhos, Porto e Vila Nova de Gaia, da Federação Portuguesa de Orientação, do Instituto do Desporto de Portugal e da Federação Portuguesa de Desporto para Pessoas com Deficiência.


“Esta é uma modalidade à qual o clube sempre procurou ter uma certa ligação”

Para saber algo mais acerca do Circuito, o Orientovar foi ao encontro do grande timoneiro do GD4C, Fernando Costa, também ele, um entusiasta da Orientação de Precisão. Nessa conversa, com tanto de cordial como de simples, ficámos a perceber que “esta é uma modalidade à qual o clube sempre procurou ter uma certa ligação”. Mas se as primeiras experiências neste âmbito, “há cerca de uma década”, acabaram por ser inconsequentes, hoje as coisas perspectivam-se duma forma diferente. As iniciativas têm-se multiplicado, há entusiasmo, os níveis de adesão são satisfatórios e muita da carga logística está ultrapassada visto serem os próprios participantes a “reclamarem” a realização de mais e mais provas.

É neste contexto que podemos enquadrar o aparecimento do I Circuito de Orientação de Precisão “Todos Diferentes, Todos Iguais”. Este resulta, segundo Fernando Costa, “do ‘feed-back’ que fomos recebendo dos participantes em actividades de Orientação de Precisão, realizadas no âmbito das nossas provas regionais e locais.” Com efeito, de acordo com o grande timoneiro do clube da Senhora da Hora, “havia pessoas muito interessadas, verificámos que fazia todo o sentido levar por diante uma actividade mais regular e daí a abraçar um projecto com uma certa dose de ambição foi apenas um pequeno passo.”


“Quisemos envolver vários Municípios na organização do Circuito”

Falando da abrangência do Circuito, o Presidente do GD4C começou por referir uma contrariedade: “Quisemos envolver vários Municípios na organização do Circuito, o que complicou em certa medida as coisas. Quando as coisas se repartem por várias entidades, infelizmente pensa-se logo que aquilo não é só deles e os problemas são maiores do que aqueles que eventualmente surgiriam se nos resumíssemos a um local único.” Mas, no caso do Circuito, “o interesse tinha também a ver com o aproveitamento dos mapas, já que as barreiras naturais ou arquitectónicas fazem com que não sejam muitos os mapas que reúnam condições para levar por diante provas desta natureza. E daí o termos de nos dispersar por vários locais”, conclui.

No ano passado, a Escola Secundária de Baião assinalou o Dia Internacional da Pessoa Portadora de Deficiência com uma actividade de Orientação de Precisão e este ano foi a própria Câmara Municipal de Baião a contactar o GD4C no sentido de ver repetida, no mesmo local, a actividade. “Como percebemos tanto interesse por parte das várias entidades envolvidas, achamos por bem avançar já em Baião com o Circuito de Orientação de Precisão - Todos Diferentes, Todos Iguais”, diz Fernando Costa a propósito da calendarização da primeira etapa já para a próxima sexta-feira, dia 3 de Dezembro.


“Quanto maior for o Calendário, melhor”

Aproveitando a realização em Matosinhos do Grande Prémio dos Reis, uma actividade que tem já muitos anos e que é organizada pela ANDDI – Associação Nacional de Desporto para a Deficiência Intelectual, o GD4C acolheu com entusiasmo a proposta da Câmara Municipal de Matosinhos de incluir no evento uma prova de Orientação de Precisão. Fernando Costa justifica: “Aproveitamos as estruturas montadas e o facto de termos o mapa no próprio local das actividades, pelo que vamos fazer no Parque Basílio Teles a segunda etapa deste Circuito.”

As etapas seguintes inserem-se, tal como aconteceu no ano transacto, nas provas organizadas pelo clube em finais de Abril e início de Maio, distribuindo-se pelos concelhos de Vila Nova de Gaia (Justlog Park Race), Porto (Troféu de Orientação do Porto) e Matosinhos (Troféu Sálvio Nora). Mas Fernando Costa faz notar que “o Calendário não está fechado e este Circuito poderá sofrer ajustamentos e ser melhorado ou ampliado com a eventual inclusão de mais uma etapa.” Para tal, diz, “bastará que haja uma entidade a contactar-nos nesse sentido e que em termos de recursos possamos estar disponíveis para que tal aconteça.” E conclui: “Quanto maior for o Calendário, melhor. Mais competitivo se tornará.”


“O objectivo seria fazer a etapa final no Hospital da Prelada”

Para a etapa final está prometida uma grande festa, embora o seu local não esteja claramente definido. O facto de ainda nos encontrarmos a uma distância considerável do evento faz com que o Grupo Desportivo dos Quatro Caminhos não esteja muito preocupado com a situação, mas Fernando Costa levanta uma pontinha do véu: “O objectivo seria fazer a etapa final no Hospital da Prelada, com a inauguração dum mapa novo e com a presença de alguns convidados que seguramente poderiam abrilhantar ainda mais esta iniciativa.” Para aquele responsável, fazer recair a escolha no Hospital da Prelada tem uma explicação lógica: “Seria a melhor forma de homenagear o Serviço de Medicina Física e Reabilitação, um dos grandes impulsionadores do movimento de relançamento da Orientação de Precisão em Portugal e responsável pela mobilização da grande maioria de participantes neste tipo de actividades.”

Fazer passar a mensagem é sempre uma tarefa hercúlea, que o Grupo Desportivo dos Quatro Caminhos enfrenta uma vez mais com determinação. As ferramentas já se encontram on-line, desde um ‘site’ apelativo - http://gd4caminhos.com/eventos/circuito/ - até à página no Facebook - http://www.facebook.com/#!/profile.php?id=100001891673209.


“Uma contribuição decisiva para a afirmação da modalidade no nosso País”

São também várias as parcerias entretanto estabelecidas, quer com entidades públicas como ligadas ao sector privado. Neste particular aspecto, Fernando Costa admite que “ao nível privado, poderá até ser mais fácil encontrar aqui apoios do que na Orientação Pedestre.” A explicação é simples: “O esforço de inclusão e o trabalho com as pessoas portadoras de deficiência está na ordem do dia e há uma grande sensibilidade para esta problemática. Há entidades cuja filosofia se enquadra no apoio a este tipo específico de actividades e compete-nos ir ao seu encontro. Pode não ser um apoio muito substantivo, mas tudo o que vem é bom e o futuro pode ser mais fácil. Sobretudo, cumprimos a nossa missão de dar a conhecer a Orientação de Precisão e o seu enorme potencial inclusivo enquanto modalidade desportiva.”

Numa altura em que a Federação Portuguesa de Orientação parece fortemente apostada em promover a Orientação de Precisão a vários níveis, nomeadamente através da criação da Taça de Portugal no ano de 2012, este Circuito poderá servir, segundo o Presidente do GD4C, de rampa de lançamento para essa grande competição. A sua opinião é a de que o Circuito “é realmente um teste que nos fará perceber as dinâmicas geradas, avaliar implicações aos mais variados níveis e adequar um Regulamento específico. Desta forma, poderemos partir para a criação duma Taça de Portugal com as mais variadas situações devidamente balizadas e os problemas minimizados.” A finalizar, um desejo: “Espero que o Circuito possa dar uma contribuição decisiva para a afirmação da modalidade no nosso País e que em 2012 vejamos concretizado esse enorme desafio que é o de pôr em marcha a Taça de Portugal Orientação de Precisão.”



Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO
.

1 comentário:

antunes disse...

Bom Dia;

Parabéns por mais esta excelente iniciativa do Grupo Desportivo 4 caminhos.

Rui Antunes