quarta-feira, 24 de novembro de 2010

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE ORIENTAÇÃO ADMITIDA NO SEIO DO COMITÉ PARALÍMPICO DE PORTUGAL




O Comité Paralímpico de Portugal acaba de admitir no seu seio, a título de Membro Ordinário, a Federação Portuguesa de Orientação. À medida do filme “Casablanca”, este é, seguramente, o princípio duma bela amizade.


Reunido em Assembleia Plenária na noite do passado dia 22 de Novembro, o Comité Paralímpico de Portugal votou a integração no seu seio da Federação Portuguesa de Orientação, Federação Portuguesa de Canoagem, Federação Portuguesa de Tiro e Federação Portuguesa de Golf, como Membros Ordinários do Comité.

Estas quatro novas Federações juntam-se agora às restantes Federações da modalidade que já integram o Comité - Federação Portuguesa de Vela (FPV), Federação Equestre Portuguesa (FEP), Federação Portuguesa de Remo (FPR), Federação Portuguesa de Judo (FPJ), Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC), Federação de Andebol de Portugal (FAP) e Federação Nacional de Karaté (FNK) -, bem como às Federações Multidesportivas, casos da Federação Académica de Desporto Universitário (FADU) e Federação Portuguesa de Desporto para Pessoas com Deficiência (FPDD).

Igualdade, Inclusão e Excelência Desportiva

A integração destas novas Federações cumpre um dos objectivos que o Comité Paralímpico de Portugal estabeleceu para a sua actividade no quadriénio 2009/2012, visando a inclusão e aumento do número de praticantes nas estruturas regulares do desporto, com a consequente diversificação em relação à oferta de modalidades com acessibilidade a praticantes com deficiência.

Neste contexto, o Comité Paralímpico de Portugal vê assim quadruplicar o número de Federações, o que expressa bem o esforço desenvolvido nesta área de intervenção. Para Humberto Santos, Presidente do Comité Paralímpico de Portugal, “promover o desporto adaptado e criar uma dinâmica de desenvolvimento do sistema desportivo para praticantes com deficiência, através do aumento da diversidade de modalidades e do número de atletas são objectivos do projecto ‘Igualdade, Inclusão e Excelência Desportiva’ em desenvolvimento pelo Comité Paralímpico de Portugal”. Segundo aquele dirigente, este “é um projecto que se insere nas grandes preocupações mundiais, pelo que a sua Visão e a sua Missão devem estar para além da exclusiva dimensão desportiva, e considerarem como fim último a inclusão das pessoas com deficiência”.

“Uma associação de sucesso”

Em carta enviada à Federação Portuguesa de Orientação [reproduzida na foto acima], Humberto Santos agradece “o interesse e o empenho demonstrado pela Federação Portuguesa de Orientação em participar na construção e participação do Projecto Paralímpico em Portugal”. Humberto Santos termina com a convicção de “ser esta uma associação de sucesso, com um longo e frutuoso caminho a percorrer em conjunto.”

Alexandre Guedes da Silva, Presidente da Federação Portuguesa de Orientação, espera que “seja este um incentivo adicional para as Organizações e Clubes que têm apostado na divulgação e promoção da Orientação de Precisão”, pode ler-se no site da FPO, em http://www.fpo.pt/

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO
.

Sem comentários: