quinta-feira, 28 de outubro de 2010

ORIENTAÇÃO DE PRECISÃO: IDEIAS PRECISAM-SE!

.


Da autoria de Alexandre Guedes da Silva e subordinado ao tema “Ideias e propostas procuram-se para o lançamento da Taça de Portugal de Orientação de Precisão”, acaba de surgir no Oásis Forum uma linha de discussão sobre este assunto. A relevância do tema faz com que o Orientovar lhe dê o destaque que realmente merece.

“Ideias e propostas procuram-se para o lançamento da Taça de Portugal de Orientação de Precisão” é o mais recente assunto lançado à discussão no Oásis Forum e tem a assinatura de Alexandre Guedes da Silva. Fazendo questão de notar, a título introdutório, que a Orientação de Precisão é um pelouro que reservou para o Presidente da Federação Portuguesa de Orientação, no pressuposto de que “é importante que o mesmo passe a estar representado ao mais alto nível”, Alexandre Guedes da Silva assume que “a Orientação de Precisão, como montra da Orientação, há muito já devia ter sido implementada como disciplina regular nos nossos quadros competitivos e por isso não há agora mais desculpa para que tal não seja uma realidade.”

Ao encontro dum desígnio que tem, para além da componente institucional, um carácter pessoal que revela um profundo empenho em alterar o actual estado de coisas, Guedes da Silva aponta para 2011 como “o ano da mudança de paradigma nesta disciplina da Orientação em Portugal.” E avança com duas razões acrescidas para esta determinação: “Em primeiro lugar porque assumimos recentemente obrigações face ao Comité Paralimpico de Portugal e em segundo lugar porque vamos estabelecer com a Federação Portuguesa de Desporto para Pessoas com Deficiência um protocolo de colaboração que permita efectivamente colocar esta disciplina inclusiva da Orientação ao dispor da comunidade dos desportistas deficientes e da grande família da Orientação nacional.”

Neste sentido, “ e porque é da discussão que surge a luz”, está aberta em http://www.orioasis.pt/forum/showthread.php?tid=181 uma linha de discussão onde se faz um apelo à colaboração de todos no sentido de contribuírem com as suas ideias para este tema tão aliciante.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

2 comentários:

Tiago Romão disse...

Olá a todos,
Penso que este assunto realmente merece a nossa atenção e tentar que a orientação de precisão evolua mas acho que estão a querer ser mais papistas que o Papa. A verdade é que de repente parece que a Orientação de Precisão é o foco das atenções e com o novo presidente a dizer que vai ser o Presidente da Orientação de Precisão. Eu acho que posso falar no assunto pois eu próprio organizei a prova de orientação de precisão no POM'10 e sei do que falo. Sinceramente penso que estamos a querer envergar pelo caminho mais fácil em busca do mediatismo em vez de nos preocuparmos com as questões fulcrais da Orientação. Se queremos ter mediatismo então apostem a sério nas selecções que realmente podem dar esse mediatismo. Quem é que sabe quem é o actual Campeão do Mundo de Trail-O? Que impacto isso trás? Verdade seja dita nem a Pedestre trás algum mediatismo... mas isso são outros assuntos.
O que realmente me deixa apreensivo é que parece que quem está à frente da modalidade não entende os propósitos para que foi criado a orientação de precisão. Em países como Suécia, Noruega ou Finlândia em que a quantidade de atletas a praticar orientação é tão grande, existem muitos que se tornaram deficientes motores e então criou-se a orientação de precisão para que eles pudessem continuar a praticar orientação. Em Portugal estamos a querer fazer o processo todo ao contrário. Não estamos a criar a modalidade para que os atletas a possam praticar, mas sim a criar atletas para que a modalidade possa ser praticada... Não sei se me fiz entender...
Volto a frisar que não sou nada contra a criação de desportos de inclusão, até porque estou num curso de saúde, mas só não acho bem uma sobre-preocupação com o tema.
Abraço a todos

ALIX disse...

Caro Tiago,

Decerto desconhecerás mas a motivação do presidente em relação à Orientação de Precisão é a mesma dos seus pais fundadores nos paises escandinavos.

Desconhecerás também que há 12 anos fiz o meu curso de treinadores com uma dezena de técnicos da FPDD e que desse entusiasmo inicial nada infelizmente se concretizou.

Fico satisfeito pelo teu contributo no POM'10 e acredita que são esses os passos que temos de dar para lograr sucesso no desenvolvimento desta disciplina.

Ao contrario daquilo que dizes e porque decerto o desconheces, o desporto para deficientes irá em Londres'12 ser objecto de uma mediatização idêntica à das modalidades ditas Olímpicas e que apartir desta Olimpíada nada será como dantes, sobretudo no capitulo da relevância mediática e do empenhamento de fundos públicos.

Se hoje, na Orientação, ninguém sabe que é o actual Campeão do Mundo de Trail'O (SWE, Ola Jansson e Stig Gerdtman) descansa que depois desta mudança de paradigma que já está em curso isso será corrigido.

Em relação ao Alto Rendimento e às Selecções Nacionais está em curso uma normalização da situação que nos irá conduzir a um alinhamento com as politicas publicas e que irão levar ao estabelecimento com o IDP de um contrato Programa para esse efeito que permita que todos os agentes envolvidos - atletas, treinadores, dirigentes, clubes possam aproveitar dos apoios colocados pelo estado para esse objectivo.

Sobre as questões de mediatização não te quero desiludir mas há uma semana tivemos um Português a vencer uma etapa da Volta à Australia e o facto não foi sequer mencionado em nenhum mass media nacional - por isso, desengana-te em relação ao mediatismo que os eventuais feitos desportivos possam gerar.

Um abraço,
Alexandre