quarta-feira, 1 de setembro de 2010

ASSEMBLEIA GERAL ELEITORAL EM 25 DE SETEMBRO DE 2010

.

Com pedido de publicação, recebeu o Orientovar da parte do Ex.mo Presidente da Assembleia-Geral da Federação Portuguesa de Orientação, Augusto Almeida, um ofício referente ao assunto que intitula esta mensagem.


Caros sócios,

Para encerrar o ciclo de adequação à nova legislação enquadrante das Federações Desportivas, a FPO realizará no dia 25 de Setembro de 2010, na região de Leiria, uma Assembleia-geral Eleitoral, destinada a eleger os Corpos Sociais para o período que resta do mandato 2008/12.

Face às recentes alterações quer dos Estatutos quer do Regulamento Geral da FPO é importante que todos os sócios se familiarizem com os citados documentos (disponíveis na página da FPO na Internet) para que o processo eleitoral decorra com normalidade.

É importante que todos os sócios tenham presente que face aos Estatutos a apresentação de listas é separada e que apenas o Presidente e a Direcção, solidariamente, e a Mesa da Assembleia-geral são eleitas por lista completa (é importante ver os Artº 32º e Artº 33º dos Estatutos). Novidade é também o Regime de Incompatibilidades onde o exercício de funções dirigentes em Clube ou o exercício das actividades de treinador ou supervisor (árbitro) não são compatíveis com o exercício de funções de titular de órgão federativo (é importante ver o Artº 4º do Regulamento Geral da FPO).
Para este acto eleitoral serão usados os seguintes procedimentos:
a) As listas (à AG/FPO, Presidente e Direcção, Conselho Fiscal, Conselho Disciplinar, Conselho Jurisdicional, Conselho de Arbitragem) são apresentadas separadamente e devem conter o número de efectivos correspondente ao total dos respectivos cargos e três suplentes; todas terão de dar entrada nos serviços da FPO (cumprindo todos os requisitos estatutários e regulamentares) até às 18h00 do dia 20 de Setembro de 2010.
b) Todos os delegados à AG devem ser portadores de documento de identificação legal e cumprir os requisitos inerentes à função.
c) Para os órgãos a que eventualmente não se apresentem listas será convocada nova AG eleitoral, a 30 de Outubro em local e hora a indicar.

Todos os sócios interessados em obter mais esclarecimentos devem contactar os serviços da FPO ou os membros da Mesa da Assembleia-geral.

Cumprimentos,
Augusto Almeida


[Consulte aqui o ESTATUTO DA FPO e o REGULAMENTO GERAL DA FPO]
.

2 comentários:

Luis disse...

Olá a todos!

Antes de mais felicito também o regresso do Margarido… essas férias pareciam não acabar mais!!!

Quanto à questão das eleições que se avizinham, preocupa-me o aparente vazio de candidatos (claro que podem haver movimentações de bastidores que ignoro), pelo que acho importante dar um contributo sobre a questão das incompatibilidades referida pelo Presidente da AG.

Lendo os estatutos de forma ligeira, parece que a grande maioria dos nossos praticantes, está impedida de se candidatar, desde logo os mais dinâmicos e envolvidos, já que muitos deles acumulam até várias incompatibilidades.

Como penso ser do conhecimento geral estes Estatutos, que foram impostos à FPO, são feitos tendo como modelo modalidades colectivas, com realidades completamente distintas da nossa.

Em relação à incompatibilidade dos dirigentes de Clubes, parece-me que não há volta a dar e estas terão que ser respeitadas.

No entanto no que diz respeito aos Treinadores e Supervisores, a situação é muito diferente:

Treinadores: Desde logo importa referir que se trata apenas de “treinadores em exercício”, o que exclui desde logo a grande maioria dos nossos treinadores.

Acresce o facto deste “em exercício” ter de certa forma subjacente o Treinador que se senta no banco, que dá a cara pela equipa nas conferências de imprensa, etc. e não o nosso Treinador que organiza treinos na floresta, cuida da preparação física dos atletas, etc. mas que no dia do “jogo” está a correr lado a lado com eles.

Supervisores: Aqui a questão ainda me parece mais gritante. O nosso Supervisor não é um Árbitro, pois não tem qualquer influência no decorrer da competição. Não apita faltas, não assinala penaltis, não está sujeito a pressões e/ou subornos. Se queremos compara-lo a um agente desportivo duma outra modalidade acho que seria com o Delegado ao Jogo, e tanto quanto sei esse não está incompatibilizado com cargos Federativos.

Quando se enquadrou a nossa Formação no modelo do então IND, foi natural esta equiparação aos árbitros das outras modalidades, mas assim como temos a especificidade de ter Cartógrafos (que por serem só nossos nem estão na lista de incompatíveis…), também me parece que podemos não ter árbitros.

Acho que é importante e urgente clarificar esta situação, pois claramente precisamos de mais potenciais candidatos.

Um abraço,

Luís Sérgio

PS: esclareço desde já que para além de “multi-incompatível”, não estou disponível para assumir qualquer cargo na FPO, pelo que peço que não façam leituras nas entrelinhas… ;o)

Almeida disse...

Olá,
Concordo em absoluto com o Luís Sérgio.
O processo do novo regíme jurídico das Federações não deixou margem para a adequada reflexão.
No que concerne aos Supervisores parece-me fácil de resolver pois basta alterar o RG (a lei indica "árbitros").
No que aos Treinadores diz respeito já não será tão simples mas penso que a nossa especificidade permitirá encontrar saída também no RG.
Abraço
AA