sábado, 17 de julho de 2010

MTBO WOC & JWOC 2010: NO RESCALDO DA FINAL DE DISTÂNCIA LONGA

.

São ainda os ecos da grande final de Distância Longa disputada ontem em Morgade, pequena aldeia sobranceira à albufeira da Barragem do Alto Rabagão. Aqui ficam as declarações de alguns dos principais protagonistas.


É, talvez, o dia mais feliz da minha vida. Treinei muito para estar neste evento ao melhor nível, tentei melhorar mais a minha velocidade de corrida e trabalhei arduamente. A prova de Distância Média não me correu muito bem, cometi muitos erros e quando no fim vi que tinha ficado em terceiro lugar fiquei surpreendido e muito contente. Hoje foi muito duro e foi realmente incrível esta vitória.

Gosto da forma como têm decorrido os Campeonatos, tudo tem sido perfeito, um evento muito bom, corridas muito boas. Gosto muito de Portugal e recordarei sempre estes Campeonatos como um dos grandes momentos da minha carreira.

Anton Foliforov, Rússia



Ser Campeã do Mundo de Distância Longa pela terceira vez consecutiva é uma sensação fantástica. Uma prova muito dura, sempre a puxar o tempo todo, ter muito cuidado com a velocidade e o terreno... O percurso não era muito técnico mas exigia muita atenção. Foi uma boa Longa Distância. Gostei muito.

A Organização tem estado, dum modo geral, bem. Devo dizer apenas que não gostei da prova de Distância Média. Aquele mapa não esteve à altura dum Campeonato do Mundo. Não gostei que os dois pontos iniciais fossem os mesmos dos Juniores e de os fazer ao mesmo tempo. E depois aquilo não era uma Distância Média, era uma Curta Distância Longa. No resto, tudo bem.

Christine Schaffner, Suíça


Estou feliz pelo resultado conseguido, embora tenha a certeza que podia ter sido melhor porque perdi imenso tempo no primeiro mapa. Mas foi muito bom este sétimo lugar. Não entrei propriamente com o pé direito nestes Campeonatos, mas na prova de Distância Média consegui recuperar a confiança e hoje tinha expectativas altas, mas não para um lugar destes. Confesso que contava entrar nos 20 primeiros, mas não estava à espera dum lugar no top-10.

Este resultado eleva o nível da Orientação em BTT portuguesa e é importante para a Federação ter um atleta com estas prestações. Pessoalmente, representa um importante estímulo para continuar a trabalhar e a dar sempre o meu melhor e é isso que vou continuar a fazer.

Davide Machado, Portugal



Nestas competições nunca podemos dizer que vamos conseguir este ou aquele lugar. São muitos os imponderáveis e com estes competidores nunca sabemos o que poderemos esperar. Mas estou feliz com esta medalha de bronze. Numa prova muito rápida como esta, ficar a três minutos do vencedor deixa-me muito contente. Foi uma Distância Longa muito longa e foi excelente, com as opções de itinerário a fazerem toda a diferença. É assim que eu acho que devem ser estas provas, pois só desta forma podemos ver realmente quem são os melhores.

A Organização até ao momento tem sido boa, bons mapas, corridas muito bem traçadas. Estou a gostar.

Erik Skovgaard Knudsen, Dinamarca


Comecei muito bem a prova, depois tive alguns problemas mecânicos, perdi tempo, perdi ritmo, deixei cair a corrida. Apesar de tudo tem sido uma excelente experiência, estou muito contente com os meus resultados no Sprint e na Distância Média, a Organização tem estado muito bem. É isso: Uma boa experiência acima de tudo.

Anke Dannowski, Alemanha


Este é um regresso aos Campeonatos do Mundo de Orientação em BTT depois dum interregno de seis anos e estou aqui como uma forma de promover este desporto junto das autoridades desportivas irlandesas. Tem sido uma experiência fantástica, nunca tinha visto nada assim. As provas longas são realmente longas, os mapas e os percursos são bons embora duros, nunca tinha feito provas assim. Estou impressionado. E depois a Organização tem sido fantástica. Há imensos voluntários, são todos muito atenciosos, muito disponíveis. Há um ambiente de grande amizade e fraternidade entre todos.

Vejo que a Orientação em BTT em Portugal está muito evoluída. Quanto à Irlanda, ter um atleta no top-10, certamente. Mas só quando eu disputar o Mundial… de Veteranos (risos). Agora a sério, temos um bom punhado de juniores, são muito rápidos, têm evoluído muito mas precisam de experiência, de contactos internacionais. Estou deveras confiante que possamos vir a ter brevemente alguns bons resultados.

Bobby Smith, Irlanda


Venho dos Juniores e um Campeonato do Mundo de Seniores tem outra exigência, é muito mais duro. Este ano tenho treinado mais que anteriormente mas não me sinto ainda com capacidade para entrar no top-10. Espero lá chegar dentro de um ou dois anos mas, neste momento, sinto-me satisfeito. Hoje tive um problema mecânico no primeiro ponto, perdi cerca de cinco minutos, perdi ritmo, desconcentrei-me e até ao final não consegui empenhar-me suficientemente para conseguir um bom resultado.

Esta organização tem sido perfeita. Todos têm sido muito simpáticos e qualquer problema é resolvido rapidamente. Estou realmente muito satisfeito.

Frantisek Bógar, República Checa


Mais informações sobre os Campeonatos do Mundo de Orientação em BTT em
http://mtbwoc2010.fpo.pt/.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO
.

Sem comentários: