terça-feira, 13 de julho de 2010

MTBO WOC & JWOC 2010: MICHAELA DE OURO

.

Depois do pesadelo de Chaves, um verdadeiro sonho dourado. Michaela Gigon subiu e desceu as colinas em redor de Montalegre, atravessou a voar ruas e ruelas em redor do altaneiro castelo e, já nas margens do Cávado, mergulhou nas asas do sonho, chegando ao título mundial pela sexta vez na sua carreira.


Acima de tudo, foi uma vitória da garra e da classe. Michaela Gigon poderia estar à espera de tudo, menos daquele “mp” no Sprint de Chaves. Um verdadeiro balde de água fria que a austríaca não demorou a vingar. Os 14,9 km de prova (17 pontos de controlo e 435 metros de desnível) cumpriu-os em 1.00.39, deixando as suas mais directas adversárias, a dinamarquesa Rikke Kornvig e a finlandesa Marika Hara, a 0.33 e 1.14 de diferença, respectivamente.

A prova foi arduamente disputada, com algumas tremendas subidas na parte inicial a desempenharem um papel sobretudo selectivo e a exigência técnica a vir depois ao de cimo, com algumas pernadas longas de permeio a exigir a maior concentração face às opções que se colocavam às atletas. E aí impôs-se a maior consistência da austríaca, sobretudo se verificarmos que foram dela apenas dois dos melhores 17 parciais. E acabou por ser precisamente no último destes dois pontos - o 14 -, que Michaela Gigon tomou conta do comando da prova para nunca mais o largar. Uma vitória que a austríaca alcança pela sexta vez na sua carreira – a quarta em Distância Média -, igualando o finlandês Mika Tervala na lista dos atletas mais "dourados" em Campeonatos do Mundo.

Rita Madaleno alcança classificação histórica

Rikke Kornvig alcançou a segunda medalha da Dinamarca na história dos Campeonatos, no que ao sector feminino diz respeito, e a mais valiosa (antes, apenas Line Pedersen tinha conquistado uma medalha, precisamente a de bronze, na prova de Distância Longa dos Mundias de 2008, na Polónia). Quanto a Marika Hara, esta foi a sua quinta medalha em Campeonatos do Mundo e a primeira de bronze. Anna Kaminska (Polónia), medalha de ouro da prova de Sprint que abriu os Campeonatos, alcançou a quarta posição com o tempo de 1.02.45, ao passo que a suíça Christine Schaffner, actual líder do ‘ranking’ mundial e vice-campeã do mundo de Sprint em título, se quedou pelo quinto lugar a 2.17 da vencedora. Quanto à sexta posição, com o tempo de 1.03.26, coube à alemã Anke Dannowski, uma “veterana” destes Mundiais, ela que se estreou em 2004, na Austrália, sob os melhores auspícios, sagrando-se então Campeã do Mundo de Distância Longa.

No que concerne às nossas atletas, em ano de estreia em Campeonatos do Mundo, Rita Madaleno fez o tempo de 1.12.36 e foi a nossa melhor representante ao concluir na 33ª posição. Com este resultado, Rita Madaleno alcançou a melhor posição de sempre duma atleta portuguesa numa prova de Distância Média em Campeonatos do Mundo. Maria Amador foi a 44ª classificada com um registo de 1.20.52. Quanto a Susana Pontes, definitivamente não esteve nos seus melhores dias e, depois do notável 18º lugar da prova de Sprint de anteontem, não foi hoje além do 54º lugar com o tempo de 1.28.01.

Resultados

1. Michaela Gigon AUT 1.00.39
2. Rikke Kornvig DEN 1.01.12
3. Marika Hara FIN 1.01.53
4. Anna Kaminska POL 1.02.45
5. Christine Schaffner SUI 1.02.56
6. Anke Dannowski GER 1.03.26
7. Line Brun Stallknecht DEN 1.03.40
8. Ingrid Stengard FIN 1.04.09
9. Madeleine Kammerer FRA 1.04.25
10 Ramune Arlauskiene LIT 1.04.38
11. Martina Tichovska CZE 1.04.57
12. Maja Rothweiler SUI 1.05.33
13. Susanna Laurila FIN 1.05.35
14. Sakiko Miyauchi JPN 1.05.39
15. Kaisa Pirkonen FIN 1.05.54
16. Karolina Mickeviciute LIT 1.06.14
17. Nadiya Mikryukova RUS 1.06.23
18. Sonja Zinkl AUT 1.06.41
19. Marie Hrdinova CZE 1.07.03
20. Ursina Jaggi SUI 1.07.11

Finalmente, algumas curiosidades. Rita Madaleno e Rikke Kornvig, já o dissemos, alcançaram os melhores desempenhos de sempre de atletas dos seus países em provas de Distância Média de Campeonatos do Mundo. Mas não foram as únicas. Anna Kaminska (Polónia), melhorou o 7º lugar que havia alcançado em Israel, no ano transacto e Anna Telyakevych (Ucrânia) alcançou para o seu país, com o 22º lugar de hoje, também a melhor posição de sempre. A grande nota de sensação vai, todavia, para a 14ª classificada, a japonesa Sakiko Miyaichi, melhorando um resultado que já lhe pertencia, alcançado no ano transacto em Israel, e que era o 37º (!).

Tudo para conferir em
http://mtbwoc2010.fpo.pt/.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: