domingo, 11 de julho de 2010

MTBO WOC & JWOC 2010: ADRIAN JACKSON SPRINTOU PARA O OURO

.

Fazendo jus à condição de favorito, Adrian Jackson foi o grande vencedor da prova inaugural dos Campeonatos do Mundo de Orientação em BTT. No centro histórico da cidade de Chaves, o australiano reeditou o triunfo de 2009 na prova de Sprint e é, desde já, a grande figura da competição.


“I am an elite MTB racer and Mountain Bike Orienteer who feels the need for speed!” [http://adrianjacksonsblog.blogspot.com/]. Mais do que um gosto, é uma necessidade. A velocidade está-lhe na massa do sangue e Adrian Jackson sabe tirar disso o devido proveito. A uma semana de completar 27 anos de idade, Jackson foi, num dia memorável para a Orientação portuguesa, verdadeiro imperador da nobre Aquae Flaviae.

Iniciou-se na Orientação em BTT em 2000 mas foi em 2004 que saltou para o galarim das estrelas da modalidade ao conquistar em Ballarat, no seu país natal, o título mundial de Distância Média. Regressaria aos títulos só mais tarde, em 2008 (Óstroda, Polónia), vencendo de novo a prova de Distância Média. No ano transacto, no calor israelita de Ben Shemen, levou para casa os títulos de Sprint e de Distância Longa e tornou-se no segundo atleta da história dos Campeonatos a conquistar dois títulos individuais numa mesma edição da prova (anteriormente, apenas o russo Ruslan Gritsan o havia conseguido, precisamente em Banska Bystrica, Eslováquia, nos idos de 2005).

Australiano com final fortíssimo

Foi com estas credenciais que Adrian Jackson se apresentou à partida para a sua prova, marcavam os ponteiros as 10h12 duma manhã esplendorosa de autêntico Verão. Um percurso totalmente urbano, numa distância de 9.000 metros (21 pontos de controlo e 180 metros de desnível), que o australiano cumpriu no tempo de 22.08, à velocidade de 24,398 km/hora. Dos 21 melhores parciais, foram dele apenas sete e só nos dois últimos pontos de controlo é que pegou em definitivo na prova. A verdade é que ninguém mais o agarrou e é dele a primeira medalha de ouro destes Campeonatos.

Pelo que atrás foi dito, percebe-se que houve uma concorrência muito forte, destacando-se aqui a figura de Tõnis Erm (Estónia), segundo classificado a apenas 18 segundos do vencedor. Chegando à liderança da prova logo no terceiro ponto, Tõnis Erm foi soberano durante dois terços da prova, embora a diferença máxima para Jackson acabasse por nunca ultrapassar escassos 36 segundos. Na parte final o estoniano perdeu 21 segundos para Jackson precisamente no último ponto de controlo e, até ao Finish, já nada havia a fazer. Tõnis Erm – cuja estreia em Campeonatos do Mundo teve lugar em 2005 com um auspicioso 7º lugar na prova de Distância Média -, oferece assim à Estónia a sua segunda medalha na competição em termos absolutos e também a mais valiosa, depois de ter sido medalha de bronze na prova de Sprint dos Mundiais de 2008, na Polónia.

Daniel Marques faz história

Com o tempo de 22.30, Anton Foliforov (Rússia) teve de se contentar com a medalha de bronze, repetindo o feito alcançado nos Mundiais de 2007 (Nove Mesto Na Morave, República Checa), igualmente na prova de Sprint. Os lugares imediatos foram ocupados por Jussi Laurila (Finlândia), com o tempo de 22.42 e Erik Skovgaard Knudsen (Dinamarca), com 23.14. Victor Korchagin (Rússia) e Frantisek Bogar (República Checa), com um registo de 23.24, ocuparam ex-aequo a sexta posição. O atleta checo merece uma chamada de atenção pelo facto de ter alcançado um lugar de honra em ano de estreia no seio da Elite mundial, ele que nos Mundiais de Juniores de 2009, na Dinamarca, havia arrebatado o título mundial de Sprint.

Ao alcançar a 11ª posição, Daniel Marques é igualmente uma das grandes figuras desta prova de abertura dos Mundiais de Ori-BTT 2010. Daniel Marques terminou com o tempo de 23.45, a um segundo apenas do tão almejado top-10, acabando todavia por alcançar o melhor resultado de sempre dum atleta português em provas de Sprint do Campeonato do Mundo, melhorando o 16º lugar de 2007 e 2009, que já lhe pertencia. Os restantes portugueses tiveram prestações mais modestas, concluindo todos eles já no último terço da tabela classificativa. Davide Machado foi 49º com o tempo de 27.21, Paulo Alípio concluiu no 52º lugar com um registo de 27.50 e Joel Morgado foi o 65º classificado com o tempo de 30.45. Classificaram-se 73 dos 77 atletas que alinharam à partida.

Resultados

1º Adrian Jackson (Austrália) 22:08
2º Tonis Erm (Estónia) 22:26
3º Anton Foliforov (Rússia) 22:30
4º Jussi Laurila (Finlândia) 22:42
5º Erik Skovgaard Knudsen (Dinamarca) 23:14
6º Frantisek Bogar (Republica Checa) 23:24
6º Victor Korchagin (Russia) 23:24
8º Beat Schaffner (Suiça) 23:32
9º Yoann Garde (França) 23:35
10º Tobias Breitschadel (Austria) 23:44
11º Daniel Marques (Portugal) 23:45
12º Pavol Paprcka (Eslováquia) 23:47
13º Radek Laciga (Republica Checa) 24:00
14º Lasse Brun Pedersen (Dinamarca) 24:01
15º Juho Saarinen (Finlandia) 24:13
16º Jiri Hradil (Republica Checa) 24:15
17º Matthieu Barthelemy (França) 24:18
18º Clement Souvray (França) 24:25
19º Bjarke Refslund (Dinamarca) 24:27
20º Ruslan Gritsan (Russia) 24:29

Curiosidades

A terminar, ficam algumas curiosidades. Com nove melhores parciais, o finlandês Samuli Saarela foi o vencedor deste particular ‘ranking’. O facto, todavia, de nada lhe valeu, já que duas más opções deitaram por terra as aspirações daquele que ocupa, actualmente, a 7ª posição do ‘ranking’ mundial. Actual nº 1 do Mundo, o checo Jiri Hradil não conseguiu melhor que o 16º lugar, a 2.07 do vencedor. Ruslan Gritsan (Rússia) segundo classificado do ‘ranking’ mundial e, juntamente com os seus compatriotas Victor Korchagin e Maxim Zhurkin, um dos três atletas russos que marcaram até hoje presença em todas as edições dos Campeonatos do Mundo, não esteve melhor e quedou-se pelo 20º lugar com o tempo de 24.29.
.
Finalmente, não apenas Tõnis Erm e Daniel Marques deram à Estónia e a Portugal, respectivamente, os melhores resultados de sempre em provas de Sprint em Campeonatos do Mundo. O mesmo aconteceu com Tobias Brëitschadel (Áustria) no 10º lugar, Regimantas Kavaliuskas (Lituânia), na 24ª posição e Stanimir Belomazhev (Bulgária), no 31º lugar, embora neste último caso se trate duma estreia da Bulgária em provas de Sprint (anteriormente, no sector masculino, os búlgaros apenas haviam participado na Estafeta dos Mundiais de 2008, alcançando a 22ª posição).

Tudo para conferir em
http://mtbwoc2010.fpo.pt/.

[Foto extraída da Galeria do evento em
http://picasaweb.google.pt/107072310920480480597/SprintFinalFlowersCeremony# ]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO
.

1 comentário:

Albano disse...

Mais uma grande prestação do nosso melhor atleta da actualidade. Daniel muitos mas muitos parabens ,..., és o nosso idolo.