quinta-feira, 24 de junho de 2010

PELO BURACO DA FECHADURA: XII GRANDE PRÉMIO DE ORIENTAÇÃO DO RA4

.

“Doze anos, doze eventos”. Vem isto a propósito do XII Grande Prémio de Orientação do RA4, que o COC – Clube de Orientação do Centro leva a efeito na manhã do próximo sábado, nas Pataias. Pretexto para uma conversa com Carlos Monteiro, o grande timoneiro da prestigiosa nau leiriense. É com ele que espreitamos o evento, “pelo buraco da fechadura”.


Criado legalmente a 10 de Dezembro de 1998, o COC tem-se evidenciado pelo rigor e qualidade do trabalho desenvolvido. O resultado de tanto empenho e esforço em prol da modalidade pode avaliar-se pela riqueza dos resultados desportivos e pela qualidade organizativa das acções que desenvolve, relevando a excelência dum vasto grupo de homens e mulheres que “da floresta trazem muitas histórias para contar, mas não deixam mais que algumas pegadas.”

Depois de, já este ano, terem levantado dois eventos de categoria ímpar – o Portugal O’ Meeting (de parceria com a Secção de Orientação do Ginásio Clube Figueirense) e o IV Ori-BTT do Centro, ambos pontuáveis para os respectivos ‘rankings’ mundiais -, e quando se prepara já a organização do XII Meeting de Orientação do Centro (simultaneamente Taça dos Países Latinos e Campeonato Ibérico de Orientação Pedestre), eis que aí está o sempre esperado Grande Prémio de Orientação do RA4, cuja 12ª edição terá lugar já no próximo sábado. Organizado conjuntamente pelo COC e pelo Regimento de Artilharia Nº 4, este é um evento integrado nas comemorações do Dia da Unidade do RA 4 de Leiria e constituído por uma etapa pontuável para a Taça FPO Continente.

“Honrar e dignificar o Regimento de Artilharia Nº 4”

Ao encontro de Carlos Monteiro, Presidente da Direcção do COC – Clube de Orientação do Centro, o Orientovar pode perceber a emoção e o carinho em torno duma prova emblemática a todos os títulos e registar o empenho e a vontade em reeditar o êxito das edições anteriores.

Orientovar – “Doze anos, doze eventos”. Que significado tem para o COC a realização, pelo 12º ano consecutivo, do Grande Prémio de Orientação do RA4?

Carlos Monteiro – Enquanto clube organizador para a modalidade, esta é uma prova que tem para nós um significado muito grande, sobretudo porque representa um relacionamento e uma postura de longos anos com todas as entidades com as quais mantemos laços de proximidade e, neste caso, com o Regimento de Artilharia Nº 4. O RA4 é uma instituição que acreditou em nós desde a primeira hora, nos deu a abertura e a confiança necessárias para avançarmos com o evento e, a cada ano que passa, fazemos os possíveis para honrar e dignificar o Regimento de Artilharia Nº 4. Este ano cá estamos a fazê-lo uma vez mais, comemorando a passagem do 83º Aniversário daquela unidade militar.

Orientovar – A forte relação entre as duas instituições não se resume ao anual Grande Prémio, ao que julgo saber. Quer falar-nos um pouco acerca disso?

Carlos Monteiro – É verdade que essa relação é muito forte e traduz-se, entre muitas outras coisas, no facto de o Clube de Orientação do Centro, ao fim de doze anos, ter conseguido um espaço próprio com a instalação da sua sede dentro do próprio Regimento de Artilharia Nº 4. Isto é motivo de enorme satisfação e orgulho para nós, sabendo que estamos agora duplamente instalados, já que a nossa existência está intimamente ligada ao RA4 e é aqui que estamos sediados. É um voto de confiança muito grande que acarreta naturalmente enormes responsabilidades e que esperamos saber honrar dentro das nossas possibilidades.
.
"Quem chega em primeiro é que ganha"

Orientovar – Perspectivando já a prova do próximo sábado, quem se deslocar as Pataias o que irá encontrar?

Carlos Monteiro – À semelhança do que vem acontecendo nas últimas edições do evento, a prova terá uma partida “em massa”, uma situação que tem sido do agrado do Regimento de Artilharia Nº 4 e dos próprios participantes. Quanto ao mapa, ele é do conhecimento duma boa parte dos orientistas portugueses, já que aqui tiveram lugar, nomeadamente, as qualificatórias de Distância Longa do Campeonato do Mundo de Veteranos WMOC 2008 e, em Março do ano passado, o XI Meeting de Orientação do Centro. O percurso estará montado sobre uma Distância Longa e cada escalão terá três “loops”. Basicamente um “loop” será sobre Distância Média em terreno com grande detalhe de relevo, grandes pormenores técnicos e mudanças de direcção muito bruscas; um segundo “loop” será sobre Distância Longa, com pernadas longas e muitos verdes e amarelos pelo meio onde as opções de pernada irão ser determinantes; e um terceiro “loop” intermédio, com um bocadinho de ambas as coisas. Contamos também que esta prova seja interessante porque colocámos no terreno muitos pontos e na zona de cada ponto haverá mais dois ou três pontos para obrigar a uma maior concentração. Finalmente, há essa questão suplementar de quem chega em primeiro é que ganha, precisamente devido à partida "em massa".

Orientovar – O índice de participações deixa-o satisfeito ou nem por isso?

Carlos Monteiro – Há dois ou três anos atrás eu ficaria um bocadinho triste com o número de inscritos na prova. Na conjuntura actual de crise e com o cenário a que vimos assistindo nos últimos tempos em provas da Taça de Portugal, julgo que os cerca de 340 atletas inscritos se pode considerar um número bom. Estamos aquém dos 410 participantes em 2009, mas penso que 340 ou 350 atletas numa prova regional, nos dias de hoje, acaba por ser bastante gratificante. É também mais uma obrigação nossa para com a modalidade e para com os atletas que nos dão a confiança da sua presença, no sentido de trabalharmos bem e fazermos um evento bonito e apelativo. Da nossa parte, temos a consciência que tudo tem sido feito para que as coisas corram bem e para que as entidades que apostaram no evento fiquem satisfeitas com esta organização.
.
"Uma bela tarde de sol"

Orientovar – Irão ficar, concerteza, até porque eu sei que as novidades não se esgotam por aqui e há ainda um belo punhado de aliciantes extra, não é verdade?

Carlos Monteiro – É verdade, sim senhor. Um quarto de hora antes da partida, às 10h15, portanto, haverá lugar uma pequena cerimónia de votos de sucesso para as Selecções Nacionais que irão participar muito brevemente no JWOC – Campeonato do Mundo de Juniores e no EYOC – Campeonato da Europa de Jovens. Esta cerimónia será coordenada conjuntamente pela organização da prova e pela Direcção Técnica da Federação Portuguesa de Orientação. Aliás, estes atletas competirão já com o equipamento nacional. Depois, aquando da entrega de prémios, vamos manter a chamada dos Infantis ao pódio para lhes ofertar umas goluseimas e agradecer também a sua presença. Após este momento ocorrerá, como também já vem sendo habitual, um cocktail oferecido a todos os participantes. Finalmente, deixo o convite para que, após o almoço, todos possam dar um salto à praia, inserida numa costa muito bonita e apelativa, e possam gozar uma bela tarde de sol.

Resta apenas acrescentar que, à semelhança da anterior edição, a Direcção da Prova é da responsabilidade de Nuno Ferreira e a cartografia e traçado de percursos têm a assinatura de Rui Antunes. O Supervisor FPO é, desta feita, António Neto. Tudo para conferir em
http://www.coc.pt/eventos/26jun2010/.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO
.

Sem comentários: