domingo, 20 de junho de 2010

JUKOLA 2010: A MÃE DE TODAS AS ESTAFETAS

.

Halden SK (Noruega) e Tampereen Pyrintö (Finlândia) foram as equipas vencedoras da Jukola 2010, “a mãe de todas as Estafetas”.


São vários os condimentos que fazem das Estafetas as provas mais apetecidas da Orientação. É a sempre espectacular saída em massa, aquilo a que vulgarmente se chama ‘mass start’;é depois a passagem de testemunhos e a emoção criada face às posições relativas e à necessidade de segurar ou recuperar um lugar; é finalmente o seu apogeu onde, ao contrário das outras disciplinas, o primeiro a chegar é mesmo o primeiro! Se a isto juntarmos as ‘soluções de compromisso’ entre os membros da equipa, a questão táctica de quem sai em primeiro e quem fica para o fim e ainda o espírito de grupo e a solidariedade criadas em torno duma prova com estas características, facilmente se percebe o porquê de esta ser, para muitos amantes da Orientação, a sua ‘prova-rainha’.

Mas se é bem verdade que a Estafeta é a ‘prova-rainha’ da Orientação, não é menos verdade que a clássica Estafeta Jukola, que desde 1949 tem lugar nas florestas da Finlândia, é a “mãe de todas as Estafetas”. É que aos predicados enumerados anteriormente, a Jukola acrescenta ainda a magia de ser realizada, em parte, durante a noite (a partida da edição deste ano teve lugar às 23h00, hora local), mas também índices de participação cuja expressão e significado ultrapassam em muito a realidade a que estamos habituados em Portugal. Este ano assim foi uma vez mais, reunindo num mesmo espaço e em tempos consecutivos 1555 equipas masculinas e 1107 femininas, para um total de 15.295 atletas inscritos, um record de participações nas 62 edições que o evento leva de vida.

Nordberg foi a chave da vitória do Halden SK

Relativamente à competição deste ano, “ainda a procissão ia no adro” e já a notícia caia como uma bomba. Lucie Babel, editora da Ultimate Orienteering, chamar-lhe-ia mesmo “um trovão” na chuvosa noite finlandesa de Kytäjä. Um erro de Jostein Andersen no primeiro dos sete percursos da Jukola “queimava” a turma norueguesa do Kristiansand OK da lista de candidatos à vitória, retirando a Baptiste Rollier, Holger Hott ou Daniel Hubmann a possibilidade de reeditarem a subida ao lugar mais alto do pódio. Apesar desta ser uma prova de vencedor sempre incerto, a verdade é que, com a turma norueguesa de fora da corrida, a luta pelo lugar mais alto do pódio ficou mais aberta do que nunca, como se viria a verificar com o decorrer da prova.

Antti Anttonen foi o primeiro atleta a brilhar, fazendo uma prova de excelência e garantindo à turma finlandesa do Vaajakosken Tëra a liderança à partida para o segundo percurso. A verdade é que, a partir daqui, só deu Halden SK até ao final. Erik Axelsson, responsável pelo segundo percurso, colocou a turma norueguesa na dianteira, mas a chave da vitória residiu na extraordinária prestação de Anders Nordberg, com um terceiro percurso absolutamente esmagador. Nordberg entregaria o testemunho a Mattias Karlsson com o tempo de 4.05.40 e com uma vantagem superior a 5 minutos sobre o grupo perseguidor onde se incluíam todos os restantes pretendentes à vitória. Gerir a vantagem foi a preocupação de Karlsson, mas também de Mats Haldin, Emil Wingstedt e Olav Lundanes, de tal forma que o tempo final da equipa se cifrou em 8.32.41 contra os 8.39.49 dos finlandeses do Kalevan Rasti – de Jan Prochazka, Fabian Hertner e Thierry Gueorgiou -, segundos classificados, e os 8.50.24 dos igualmente finlandeses do Vaajakosken Tëra. Sete anos depois, o Halden SK volta a saborear a vitória, naquele que é o seu sexto triunfo na competição, consolidando a segunda posição no quadro de honra da prova, agora apenas a duas vitórias do Helsingin Suunistajat, vencedor das duas primeiras edições da Jukola e ainda a sua maior referência.

Tampereen Pyrintö pela quarta vez

No sector feminino, a Estafeta Venla conheceu a sua 33ª edição e, verdade seja dita, tinha no Ulricehamns OK o grande favorito à vitória final. Grande dominadora da prova nos últimos seis anos, onde por quatro vezes subiu ao lugar mais alto do pódio, a turma sueca apresentava ainda um trunfo de peso que dá pelo nome de Simone Niggli. A verdade é que… não ganhou!

Depois dum primeiro percurso onde o equilíbrio foi a nota dominante, as finlandesas do Tampereen Pyrinto tomaram a dianteira graças aos superiores desempenhos de Saila Kinni e Riina Kuuselo (quem não se lembra da menina das trancinhas que, em 2007, levou de vencida a primeira edição do NAOM, disputada em Nisa?). No último percurso foi possível perceber uma Anni-Maija Fincke super-motivada e, sobretudo, uma Simone Niggli nconformada mas impotente para virar o rumo dos acontecimentos! Resultado final: Tampereen Pyrintö, com 3.07.12, a levar de vencida a prova pela quarta vez no seu historial (igualando as suecas do Ulricehamns OK na liderança do quadro de honra da prova) e com Riina Kuuselo a saborear o triunfo 11 anos depois. O Ulricehamns OK quedou-se a 4.46 do vencedor e teve de contentar-se com o segundo lugar, enquanto o Halden SK repetiu uma presença no pódio, desta feita graças ao terceiro lugar da turma feminina (de Céline Dodin e Anne Margrethe Hausken), a distantes 7.39 das vencedoras.

Portugueses na Jukola

Uma referência para o facto de três dos nossos melhores atletas de Elite terem marcado presença na Finlândia, em representação da equipa sueca do Köping-Kolsva OK. Diogo Miguel e Jorge Fortunato alinharam na equipa principal, tendo garantido os terceiro e derradeiro percursos, respectivamente. Paulo Franco participou na Estafeta pela segunda equipa, tendo sido o primeiro atleta a partir e o único a viver a inesquecível sensação duma ‘mass start’ com mais de milhar e meio de almas de mapa em punho e frontal na testa. Apesar de nenhum dos três atletas ter tido um desempenho brilhante, a verdade é que também não comprometeram. Paulo Franco foi o 443º atleta a entregar o testemunho, tendo feito 1.47.30 (mais 30.15 que o vencedor, o já referido Antti Anttonen). Com 2.14.27, Diogo Miguel foi o 580º classificado do seu percurso, a 48.32 de Anders Nordberg, a quem pertenceu o melhor tempo. Finalmente, Jorge Fortunato fez o 295º parcial com o tempo de 2.19.36 e a 47.18 do atleta mais rápido no derradeiro percurso, o francês Thierry Gueorgiou.

Resultados
Jukola (Estafeta Masculina)

1º Halden SK (Noruega) 8.32.41
Kiril Nikolov, Erik Axelsson, Anders Nordberg, Mattias Karlsson, Mats Haldin, Emil Wingstedt, Olav Lundanes
2º Kalevan Rasti (Finlândia) 8.39.49
Jan Prochazka, Tommi Tölkkö, Hannu Airila, Simo Martomaa, Philippe Adamski, Fabian Hertner, Thierry Gueorgiou
3º Vaajakosken Tëra (Finlândia) 8.50.24
Antti Anttonen, Jouni Kahelin, Pasi Ikonen, Timo Joensuu, Juha Sorvisto, Jonne Lakanen, Jani Lakanen.
4º Lynx (Finlândia) 8.55.38
Juuso Metsälä, Aleksi Leskinen, Antti Parjanne, Ville Keskisaari, Aapo Leskinen, Marten Boström, Roman Ryapolov
5º Paimion Rasti (Finlândia) 8.56.55
Janne Virtanen, Tero Heikillä, Teemu Väre, Mats Dahlen, Benno Schuler, Markus Lindeqvist, Kim Fagerudd
(...)
182º Köping-Kolsva OK (Suécia) 11.59.15
Simon Hedlund, Jonas Vikström, Diogo Miguel, Henrik Holmberg, Cristian Larsson, Janne Sälkelä, Jorge Fortunato
386º Köping-Kolsva OK 2 (Suécia) 13.29.32
Paulo Franco, Thomas Eek, John Edlund, Eric Englöf, Sofie Landqvist, Niklas Landqvist, Ola Carlsson

Venla (Estafeta Feminina)
1º Tampereen Pyrintö (Finlândia) 3.07.12
Venla Niemi, Saili Kinni, Riina Kuuselo, Anni-Maija Fincke
2º Ulricehamns OK (Suécia) 3.11.58
Maja Alm, Jenny Johansson, Ida Bobach, Simone Niggli
3º Halden SK (Noruega) 3.14.51
Celine Dodin, Björgul Ida Marie Näss, Vendula Klechova, Anne Margrethe Hausken
4º NTNUI (Noruega) 3.15.12
Line Hagman, Nielsen Mali Fjogstad, Bodil Holmström, Mari Fasting
5º IFK Lidingö SOK (Suécia) 3.15.38
Elisabeth Hansson, Malin Sand, Signe Söes, Annika Billstam

Saiba mais na página oficial do evento em
http://www.jukola2010.net/sivut/pages/fi/etusivu.php e acompanhe as emoções de quem viveu de perto as emoções da Jukola 2010 em WorldofO e Ultimate Orienteering.

[Foto extraída da página da prova na Ultimate Orienteering, em
http://www.ultimate-orienteering.com/]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO
.

Sem comentários: